domingo, 18 de outubro de 2009

Matéria para ser lecionada no 1º ano do Ensino Médio.--3º e 4º bimestres.


1º BIMESTRE- 1º ANO GEOGRAFIA EM.

EIXO TEMÁTICO I TEMA 1 : O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO CONTEMPORÂNEO: A CIDADE, A METRÓPOLE, O TRABALHO, O LAZER E A CULTURA
PROBLEMAS E PERSPECTIVAS DO URBANO

TÓPICO-1. ESPAÇO URBANO-- OP1/ RA2
. Relacionar crescimento urbano e mudanças na vida das cidades.
. Interpretar as práticas socioespaciais no processo de urbanização contemporâneo (Turismo, o lazer e a cultura).
O que ensinar
• O desdobramento das cidades e suas periferias, o ritmo da urbanização, a evolução dos modos de vida colocando de certa forma em questão o modelo de urbanidade que constitui a “cidade européia”
• O crescimento, a explosão da mobilidade espacial e o crescimento da economia informal diante dos desafios dos avanços tecnológicos em modelos de políticas excludentes
• Os diferentes tipos de transporte e as novas tecnologias no âmbito de um desenvolvimento sustentável das cidades
• O avanço das comunicações, das redes, e o espaço virtual com o teletrabalho.
• A cidade educativa
•A cidade digital: novos signos e novas espacialidades
Conceituar:.  - cidades – periferias – urbanização - evolução dos modos de vida -explosão demográfica -  mobilidade espacial - economia informal - avanços tecnológicos - políticas excludentes-tipos de transporte - desenvolvimento sustentável -Comunicações-  redes - espaço virtual.
Descritores:
D7 - Associar as áreas urbanas e industriais no Brasil e no mundo, localizando-as no planisfério.
D8 - Indicar as características do modo de vida da sociedade urbano-industrial


TÓPICO -2. CIDADE E METRÓPOLE---OP2/ RA1
.Identificar os fenômenos urbanos relacionados à metropolização.
.Explicar a distribuição, localização e freqüência das atividades que evidenciam “vida 24 horas”, tais como serviços de saúde, “deliverys”, hipermercados.
. Reconhecer contradições expressas nas espacialidades urbanas, tais como: acampamentos, sem-teto, centros de reciclagem, “shoppings” populares, aglomerados.
O que ensinar
• Os fenômenos urbanos, sua distribuição e freqüência em diferentes escalas
•As conferências mundiais sobre as cidades: os assentamentos e as habitações subnormais
• Os fenômenos urbanos relacionados à globalização e questões que envolvem os blocos regionais no tocante às cidades: as cidades globais ou mundiais.
• Desenvolvimento local e desenvolvimento regional: interações, redes.
• Identidades locais, o mundo cultural que dá vida própria à cidade e localiza outras partes do mundo no espaço de algumas metrópoles, como os guetos
• A incorporação de tecnologias nos cotidianos urbanos e a necessidade de novas qualificações para a inclusão social
• Os fenômenos de não trabalho na mudança do mundo do trabalho: os diferentes tempos urbanos
Conceituar: Fenômenos urbanos relacionados à globalização- Cidade global-  “Função de produção cultural”-Metrópole – urbanização- Cidade- Cultura- Turismo – sem teto - serviços - comércio – indústria - economia informal -  políticas urbanas - - vida 24 horas nos cotidianos urbanos – metrópoles (trabalho, lazer, fluxos, segurança)-
Descritores:
D11 - Explicar o desemprego estrutural como decorrência do desenvolvimento da sociedade urbano-industrial.
D12 - Analisar as origens da economia informal na sociedade urbano-industrial, com o auxílio de textos.
D14 - Analisar e comparar as principais políticas demográficas contemporâneas.
D15 - Comparar pirâmides etárias típicas de países desenvolvidos e países subdesenvolvidos.

TÓPICO -3. TERRITÓRIO E TERRITORIALIDADE—OP4/ RA4
. Compreender as mudanças nas relações de trabalho na cidade.
. Relacionar o índice de emprego e desemprego às mudanças estruturais, em processo, no mundo do trabalho.
. Relacionar o crescimento da economia informal com o surgimento de novas territorialidades, como a dos camelôs, e espacialidades, como os shoppings populares.
O que ensinar
• A base territorial de poder dos serviços, comércio e indústria:as empresas e seu alcance político e econômico
• O crescimento da economia informal: os desafios para as políticas urbanas
• A vida 24 horas nos cotidianos urbanos de grandes metrópoles: trabalho, lazer, fluxos, segurança
Conceituar  -  Território- Territorialidade- Desterritorializados- Resterritorializados - Territórios fora da lei(territórios das drogas, da prostituição, das máfias.
Descritores:
D55 - Analisar, através de mapas, as áreas de conflitos de terras no Brasil, da década de 70 até os dias atuais.
D56 - Caracterizar o movimento dos trabalhadores rurais sem terra – MST – no contexto da luta pela terra e reforma agrária no país.
D57 - Analisar a estrutura fundiária brasileira e a violência no campo.

TÓPICO - 4. REDES E REGIÃO---OP3/ RA3
. Reconhecer na hierarquia urbana as funções e centralidades das redes.
. Reconhecer as relações das metrópoles com as cidades globais como poderosos entroncamentos de múltiplas redes, tais como, o mercado financeiro e as telecomunicações.
O que ensinar
As cidades globais na rede urbana: os entroncamentos, os nós, os fluxos e a possibilidade de circulação de informações, pessoas, capital e mercadorias.
• As redes de capital: a centralização de serviços e de atividades culturais
• O crescimento desordenado e a cidade ilegal
• A hierarquia de funções na rede urbana contemporânea, ou a centralização do poder financeiro
• As cidades digitais e o ciberespaço; uma rede em construção
Conceituar:  cidades globais - rede urbana (entroncamentos, nós, fluxos) - circulação de informações, pessoas, capital e mercadorias -redes de capital - centralização de serviços e de atividades culturais - crescimento desordenado - a cidade ilegal - centralização do poder financeiro - cidades digitais –ciberespaço.
Descritores:
D47 - Analisar o impacto ambiental nos ambientes litorâneos provocado pela expansão urbano-industrial, utilizando-se de textos da legislação atual e de artigos de jornal.
D48 - Estabelecer correlações entre a monocultura (cana de açúcar, soja, laranja, ou café) as relações de trabalho e a migração campo-cidade
D49 - Relacionar a posição do Brasil na produção mundial dos principais minérios, de acordo com tabelas e gráficos.
D50 - Analisar, através de gráficos, tabelas e mapas, a evolução da balança comercial brasileira ao longo do tempo.
D51 - Relacionar dados da modernização da agropecuária nas diversas regiões brasileiras com um mapa que represente estas áreas.
D52 - Compreender a circulação de mercadorias através da rede rodoviária, ferroviária, hidroviária ou aeroviária, utilizando-se de mapas e textos.


   

2º BIMESTRE- 1º ANO GEOGRAFIA EM.
EIXO TEMÁTICO II TEMA 2 : AS NOVAS TERRITORIALIDADES NO CAMPO
AS TRANSFORMAÇÕES DO MUNDO RURAL

TÓPICO -5. ESPACIALIDADE RURAL—OP5/ RA7
. Reconhecer os fenômenos espaciais que evidenciam as transformações no mundo rural.
. Interpretar textos, mapas, gráficos, imagens, charges e tabelas como formas de representação dos fenômenos espaciais que expressam as transformações da vida no campo.
O que ensinar
• os movimentos sociais contextualizados no meio rural
• as relações de dependência do produtor à agroindústria
• o agroturismo como alternativa para utilização do espaço
• a pluriatividade, cujos produtores deixam de ser trabalhadores agrícolas especializados para se transformarem em trabalhadores que reúnem formas de ocupação em diferentes ramos de atividades – agrícolas e não-agrícolas
Conceituar  - movimentos sociais - meio rural –agroindústria -agroturismo -  pluriatividade - atividades – agrícolas e não-agrícolas no campo.
Descritores:
D1 - Diferenciar, conceitualmente, paisagem e espaço geográfico.
D2 - Inferir, observando paisagens, relações de trabalho e relações políticas.
D44 - Concluir, através de análises de tabelas e gráficos, como o uso indiscriminado de agrotóxicos, fertilizantes químicos e máquinas agrícolas trazem dependências na relação campo-cidade e degradação do meio ambiente.
D45 - Relacionar o Sertão nordestino e a indústria da seca.
D46 - Analisar, através de tabelas, gráficos e mapas, a expansão da agricultura moderna no cerrado brasileiro.

TÓPICO -6. PRODUÇÃO E TECNOLOGIA NO CAMPO—OP7 / RA5
. Compreender a organização da produção agropecuária sob a ótica da tradição, da modernidade e da sustentabilidade ambiental.
. Avaliar as transformações no mundo rural brasileiro a partir do crescimento do agronegócio.
. Criticar os impasses na Organização Mundial do Comércio (OMC) no que diz respeito à inserção de agroprodutos dos países emergentes no mercado dos países ricos.
. Analisar a participação das multinacionais no campo e seu papel nas exportações brasileiras.
O que ensinar
• As etapas de desenvolvimento da agricultura: do padrão agrário latifúndio-minifúndio para o padrão agrário indústria-agricultura
• As alterações dos fatores de produção agrícola: de terra, capital e trabalho para ciência, tecnologia e informação
• O padrão agrário moderno e suas implicações socioespaciais
• Os indicadores de modernização, incluindo a mecanização, fertilizantes, adubos químicos, força de trabalho
• O complexo agroindustrial configurado no chamado agronegócio, responsável por grande parte das exportações brasileiras
• A agroindustrialização, permitindo a financeirização do capital no campo
Conceituar  -  desenvolvimento da agricultura -  padrão agrário - latifúndio-minifúndio –
indústria-agricultura - produção agrícola: de terra, capital e trabalho para ciência -  produção agrícola tecnologia e informação - mecanização, fertilizantes, adubos químicos, força de trabalho - agroindustrial – agronegócio - exportações brasileiras

TÓPICO -7. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO CAMPO--- OP6 / RA6
. Compreender a re-apropriação da Natureza na perspectiva de valores relacionados à diversidade biológica, heterogeneidade cultural, pluralidade política e democracia participativa.
. Reconhecer a região do cerrado brasileiro como espaço de produção, decorrente da implantação das novas tecnologias, avaliando seus impactos ambientais na ótica da sustentabilidade.
. Identificar na agricultura familiar o uso de técnicas agroecológicas, a produção de alimentos orgânicos e a organização em cooperativas.
O que ensinar
• relação entre a biodiversidade e a modernização agrícola: a destruição das matas altera os microclimas e o regime de chuvas e os pássaros e os animais ameaçados de extinção
• impacto nos solos resultante da modernização: - compactação (equipamentos pesados agridem a estrutura física dos solos), aceleração dos processos erosivos, semi-aridez, desertificação, irrigação intensiva provocando a salinização, comprometendo o futuro da atividade agrícola
• impacto nas águas: contaminação das águas superficiais e subterrâneas por resíduos de produtos químicos, causando mortandades coletivas de peixes, resultante dos dejetos industriais expelidos pela agroindústria, dos resíduos de agrotóxicos, cujas águas do subsolo estão sendo poluídas por resíduos de adubos químicos
• o descontrole das pragas e doenças, associado às condições do solo e seu manejo e ao uso de agrotóxicos: o aumento no desequilíbrio do ecossistema cria uma dependência pelo produto químico, a perda da qualidade biológica dos alimentos e suas conseqüências na saúde humana
• a contaminação dos alimentos e do homem por resíduos de agrotóxicos, tornando o consumo de certos produtos arriscado para a saúde humana
• efeitos globais resultantes de desmatamento, poluição das águas, degradação dos solos (mudanças climáticas)
• as queimadas, além de matarem a população de inimigos naturais e de prejudicarem a vida microbiana e destruírem a matéria orgânica do solo, agravam o acúmulo de gás carbônico na atmosfera, que, por sua vez, influencia na radiação solar e na temperatura da terra
• as conseqüências de assimilação de um modelo importado: a Revolução Verde
• a modernização da agricultura expressando a penetração do capital no campo: a indústria que produz para a agricultura (máquinas e implementos agrícolas, agrotóxicos, sementes selecionadas)
Conceituar:   biodiversidade - modernização agrícola - destruição das matas - microclimas - regime de chuvas - animais ameaçados de extinção -  impacto nos solos - aceleração dos processos erosivos - semi-aridez, desertificação, irrigação intensiva - salinização - contaminação das águas superficiais e subterrâneas - mortandades coletivas de peixes - dejetos industriais - a contaminação dos alimentos – desmatamento - mudanças climáticas –agrotóxicos.
Descritores:
D13 - Analisar os impactos ambientais (lixo, inversão térmica, ilhas de calor, poluição do ar) nos grandes centros urbanos.

   
3º BIMESTRE- 1º ANO GEOGRAFIA EM.

EIXO TEMÁTICO III TEMA 3 : A RELAÇÃO SOCIEDADE E NATUREZA EM QUESTÃO
MUTAÇÕES NO MUNDO NATURAL

TÓPICO -8. FONTES DE ENERGIA--- OP9/ RA10
. Compreender os impasses da sociedade contemporânea sob a ótica da produção e do consumo de energia.
. Comparar dados de mapas temáticos, gráficos, imagens, textos e tabelas sobre a atual matriz energética da sociedade industrial (hidrocarbonetos e gás natural, biomassa, carvão mineral, álcool etílico, nuclear, hidráulica, eólica, solar, geotérmica), segundo os parâmetros da sustentabilidade ambiental.
. Localizar a distribuição do uso de tecnologias energéticas limpas (solar, eólica e geotérmica) e de tecnologias alternativas (álcool etílico, biomassa, nuclear,  biodiesel), avaliando os impactos ambientais gerados pelas tecnologias alternativas.
. Compreender a geopolítica do petróleo e do gás natural no contexto contemporâneo.
. Explicar a geopolítica do petróleo contextualizando-a no atual cenário de distribuição espacial, produção, consumo, comércio e reservas.
. Explicar a geopolítica do gás natural na América do Sul, no atual cenário de distribuição espacial, reservas, produção, consumo e comércio.
O que ensinar
• A atual matriz energética da sociedade industrial nos mapas temáticos, comparação de dados
• A geopolítica do petróleo, contextualizando-a ao futuro da energia dos hidrocabonetos no atual cenário de produção, consumo, poluição e reservas
• A nova geração de tecnologias energéticas do século XXI, suas vantagens e desvantagens
Conceituar :  novas fontes de energia – sociedade industrial – tecnologias energéticas – energias limpas – energia renovável e não renovável.

TÓPICO -9. ORDEM AMBIENTAL INTERNACIONAL---OP10 /RA11
. Reconhecer na sociedade global instrumentos de políticas ambientais.
. Confrontar as políticas públicas a respeito das fontes energéticas com o compromisso do governo brasileiro frente aos acordos firmados nas rodadas de negociações da Ordem Ambiental Internacional.
. Problematizar o renascimento do uso da energia nuclear como alternativa de contenção de emissões de gases de efeito estufa.
. Avaliar o uso, o consumo e a geopolítica da água e as políticas ambientais a ela relacionadas.
O que ensinar
- A mudança de matriz energética e o programa do "Sequestro do Carbono" com as proposições acordadas no Protocolo de Kyoto (1997), posicionando-se frente ao proposto
- O significado do programa "Seqüestro do Carbono" proposto pelo Protocolo de Kyoto, avaliando o desenvolvimento desses programas no território brasileiro
- As políticas públicas em nível nacional e internacional, seus acordos e controles de gestão ambiental para o resguardo do patrimônio ambiental do planeta
Conceituar  matriz energética – seqüestro de carbono – Protocolo de Kyoto – CNUMAD – Ordem Ambiental Internacional – políticas ambientais – energia nuclear – fontes de energia – política da água - 

TÓPICO -10. AQUECIMENTO GLOBAL /OP-----RA8
. Explicar os desdobramentos da matriz energética da sociedade industrial, considerando seus impactos sobre o aquecimento global.
. Avaliar as mudanças climáticas a partir do aquecimento global.
. Compreender a polêmica que envolve os problemas de natureza socioambiental e econômica em torno da matriz energética da sociedade industrial versus aquecimento global.
O que ensinar
• Paisagens que evidenciam a dinâmica terrestre e seu uso como atratividade das áreas turísticas.
Impactos do vulcanismo em regiões da terra.
Os tornados, furacões e suas conseqüências.
• Causas e efeitos dos fenômenos El Niño e La Niña e sua relação com as mudanças climáticas globais.
• Impactos do aquecimento global na dinâmica terrestre
• Mecanismo da formação de ilhas de calor, da chuva ácida e do efeito estufa
• Aumento de concentração na atmosfera do dióxido de carbono (CO2) proveniente da queima de combustíveis fósseis e de outros gases de efeito estufa emitidos por atividades humanas.
• Problemas de natureza social, natural e econômica, do local ao global, que o envolvem a mudança climática a partir do aquecimento global;
• Postura dos países que não assinaram o Protocolo de Kyoto.
Conceituar :  aquecimento global -  Protocolo de Kyoto - El Niño e La Niña – combustíveis fósseis – mudanças climáticas – vulcanismo – furacão – chuva ácida – efeito estufa – atividade antrópica -
Descritores:
D87 - Analisar as conseqüências da diminuição da camada de ozônio para a vida na Terra.
D88 - Analisar as razões do crescimento do movimento ambientalista no mundo, com base em artigos de jornais e revistas.
D89 - Avaliar, através de textos, gráficos e tabelas, a importância dos recursos hídricos para a vida dos seres humanos
D90 - Compreender as transformações ambientais decorrentes do efeito estufa.
D91 - Relacionar as práticas turísticas em diferentes áreas do globo com as características ambientais dos lugares.

TÓPICO -11. DOMÍNIOS DE NATUREZA NO BRASIL---OP8 / RA9
. Reconhecer os domínios de natureza que compõem o território brasileiro, avaliando a interferência humana na exploração de seus recursos.
. Avaliar os domínios da Caatinga e do Cerrado sob a ótica da originalidade climática, hidrológica e pedológica, relacionando as possibilidades e os limites de seu uso pela agricultura.
. Interpretar textos, mapas, gráficos e tabelas que tratam da indústria extrativa mineral brasileira, segundo sua localização, empresas, reservas e contribuição no PIB.
 O que ensinar
• Os domínios de natureza que compõem o território brasileiro avaliando a interferência humana nos grandes domínios florestais do país;
• Os domínios da caatinga e do cerrado sob a ótica da originalidade climática, hidrológica e pedológica e sua relação com as possibilidades e os limites de seu uso pela agricultura;
• Os domínios de natureza do Brasil Meridional e o condicionante climático e geológico.
Conceituar:   Caatinga -  Cerrado – floresta – campo - indústria extrativa – extração mineral -
Descritores:
D84 - Comparar os principais usos e formas de ocupação dos diversos domínios naturais e suas implicações socioambientais.
D82 - Comparar as classificações climáticas.
D79 - Compreender o processo de formação do solo e sua degradação.
D80 - Explicar a circulação geral da atmosfera relacionando-a com a pluviosidade, tipos climáticos e com a movimentação das massas de ar.
D81 - Relacionar as estações do ano com o movimento de translação e inclinação do eixo da Terra.
D76 - Compreender a Teoria das Placas Tectônicas e suas implicações, observando
esquemas gráficos e através de mapas.
D77 - Relacionar a estrutura geológica e as riquezas minerais.
D39 - Associar o mapa hipsométrico, o mapa das bacias hidrográficas e o potencial energético dos rios brasileiros. D40 - Comparar as classificações do relevo brasileiro, segundo os geógrafos Aroldo de Azevedo, Aziz Ab‘Saber e Jurandyr Ross
D41 - Correlacionar as reservas minerais do país com a estrutura geológica.
D42 - Descrever um perfil de vegetação da floresta amazônica, da Mata Atlântica, do Cerrado, Caatinga e Araucária.
D43 - Localizar no mapa do Brasil a área de domínio da Floresta Amazônica, Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga, Pantanal, Campos e Mata dos Pinhais.


4º BIMESTRE- 1º ANO GEOGRAFIA EM.

EIXO TEMÁTICO IV TEMA 4: AS NOVAS FRONTEIRAS DO CAPITALISMO GLOBAL: OS TERRITÓRIOS NAS NOVAS REGIONALIZAÇÕES
OS CENÁRIOS DA GLOBALIZAÇÃO E FRAGMENTAÇÃO

TÓPICO -12. GLOBALIZAÇÃO E REGIONALIZAÇÃO---OP11/ RA12
. Compreender a produção do espaço na tensão da globalização e da fragmentação.
. Reconhecer as novas ordens e desordens política, econômica e cultural decorrentes das relações de poder em diferentes formas de regionalização do espaço mundial, tais como: blocos econômicos; aglomerados de exclusão asiático, africano, latino-americano; territórios múltiplos do terrorismo e do genocídio.
. Interpretar na mídia impressa, visual e digital as representações das novas regionalizações do espaço na fragmentação, tais como conflitos e migrações.
O que ensinar
• A migração e as novas territorializações multiculturais na espacialidade das metrópoles
• A ciranda financeira e o processo de inclusão e exclusão de países emergentes
• O conflito das identidades regionais e os novos destinos geográficos
• A resistência islâmica, hinduísta, budista, cristã ortodoxa no processo de globalização e fragmentação
• A singularidade e identidade cultural dos povos que habitam a região equatorial
• Das resistências culturais indígenas latino-americanas às aborígenes australianas
• O IDH e as regionalizações da desigualdade no planeta
Conceituar: globalização – fragmentação – ordem e desordem política, econômica e cultural – blocos econômicos – aglomerados de exclusão (África subsaariana, América Latina etc.) – terrorismo – genocídio – migrações – conflitos atuais – países emergentes – IDH – aborígenes – religiões.  
Descritores: 
D17 - Analisar os principais deslocamentos populacionais no mundo.
D18 - Analisar as principais teorias racistas (apartheid, anti-semismo e o neonazismo),com o auxílio de textos.
D19 - Avaliar a questão racial no Brasil, com o auxílio de textos e dados socioeconômicos da população negra ou indígena.
D20 - Explicar os principais conflitos étnicos e religiosos do mundo atual.
D34 - Analisar historicamente a formação dos Blocos Econômicos como a União Européia, NAFTA, o MERCOSUL e dos Tigres Asiáticos (Nic’s).
D35 - Explicar o funcionamento da União Européia, do NAFTA e do MERCOSUL
3.4 A dinâmica da população e os movimentos migratórios
D53 - Descrever as migrações populacionais e classificá-las em relação aos espaços e seus deslocamentos ao longo do tempo.
D54 - Analisar as migrações internacionais e internas e seus fluxos no espaço brasileiro.

TÓPICO -13. COMÉRCIO INTERNACIONAL---OP13/ RA14 e 15
. Compreender a organização do capital no espaço da produção global.
. Interpretar a expansão econômica da China no comércio mundial, analisando sua produção no ranking do capitalismo global.
. Explicar o mecanismo de inclusão e exclusão de territórios industriais na nova dinâmica do capitalismo informacional e global.
. Indicar a interdependência entre governos, empresas, trabalho no espaço da produção, segundo as fronteiras flexíveis da globalização.
 O que ensinar
• O papel das Zonas de Econômicas Especiais (ZEEs) e os rumos da abertura econômica da China no comércio mundial
• A Organização Mundial do Comércio – OMC e o papel dos países emergentes, dentre eles, o Brasil
• O Brasil e o comércio internacional: o crescimento do agronegócio
• As barreiras técnicas ao comércio internacional e a formação de grupos e alianças
Conceituar : capitalismo – ZEEs – comércio internacional – países emergentes – agronegócio – comércio chinês -  
Descritores:
D24 - Identificar as principais características do modo de produção socialista, com o auxílio de textos.
D25 - Comparar as experiências socialistas da URSS com a da Iugoslávia e a da China.
D26 - Relacionar a crise do modelo soviético com a situação socioeconômica de Cuba.
 D28 - Reconhecer as transformações que a revolução comunista provocou na China.
D31 - Explicar as crises do capitalismo Monopolista no mundo pós-guerra.
D32 - Explicar os fatores responsáveis pelo colapso do Welfare State e as condições históricas do desenvolvimento da política neoliberal.
D33 - Explicar o funcionamento do Sistema Financeiro Internacional e seus principais agentes.

TÓPICO -14. REORDENAMENTO DO TERRITÓRIO—OP12 / RA16
. Explicar os novos ordenamentos espaciais exigidos pelas indústrias de alta tecnologia.
. Analisar o reordenamento espacial das indústrias de alta tecnologia no território brasileiro, avaliando suas possibilidades e limites no contexto das novas fronteiras do capitalismo global.
O que ensinar
• Localização e distribuição das indústrias, meios de transporte e telecomunicações nos mapas temáticos no movimento de reordenação de suas tipologias;
• A lógica das novas espacialidades criadas pelos tecnopólos no movimento de regionalização e globalização;
• O reordenamento territorial da indústria nos países industrializados nas três revoluções industriais.
Os novos tecnopólos.
As zonas econômicas especiais.
Conceituar  : capitalismo global (euro e dólar) meios de transporte e comunicação – tecnopólos – três revoluções industriais – zonas econômicas especiais (UE, EUA, Japão)
Descritores:
D9 - Analisar as transformações provocadas no mundo do trabalho decorrentes da inovação tecnológica e do desenvolvimento da Ciência e Tecnologia.
D10 - Relacionar o processo de terciarização e terceirização das sociedades urbanoindustriais
D21 - Relacionar trustes, cartéis, holdings e dumpings com a ação das corporações transnacionais.
D22 - Analisar o processo de transformação do capitalismo concorrencial para o capitalismo monopolista, destacando o papel crescente do capital financeiro, a partir de 1930.
D23 - Associar a atuação do capital financeiro e das grandes corporações transnacionais com o processo de internacionalização da economia.
D27 - Reconhecer as determinações históricas, territoriais, étnico-religiosas da desintegração do Estado Iugoslavo

http://profclaugeohist.blogspot.com/