sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Atividades sobre Eixo Temático III Globalização e Regionalização no Mundo Contemporâneo Tópico 15. Fragmentação Tópico 13. Revolução técnico-científica

 3º Bimestre Geografia 9º ano Ensino Fundamental.

Eixo Temático III Globalização e Regionalização no Mundo Contemporâneo
Tema 3 : Redesenhando o Mapa do Mundo: novas Regionalizações


Compreender e aplicar noções e conceitos básicos relacionados aos sistemas técnicos em suas múltiplas temporalidades.
Ler e interpretar textos sobre o avanço técnico e a pesquisa científica da terceira revolução industrial.
- Identificar os símbolos da nova revolução tecnológica:  computador, robô, transgênicos, conhecendo as vantagens e desvantagens  do seu uso e consumo.

Conceituar:- revolução técnico-científica - -Terceira Revolução Industrial – tecnologia –informação, - - serviços inteligentes - terceirização, robótica, microeletrônica, capitalismo

CONTEÚDO:
1. Os antecedentes da revolução técnico-científica
• As duas primeiras revoluções industriais
2. A terceira revolução industrial
As inovações nos serviços e indústrias e seus impactos socioeconômicos, políticos, ambientais, culturais a partir do uso da microeletrônica, informática, robótica, biotecnologia introduzidas pelas multinacionais.
3. O desenvolvimento científico e tecnológico: perspectivas e impactos.
DESCRITORES: PIP
 D4 - Reconhecer que a produção industrial exige cada vez mais quantidade versus velocidade
D5 - Relacionar a interdependência entre as diversas áreas industriais e as produtoras de matérias-primas.
D6 - Identificar os países que mais investem em ciência e tecnologia.
D7 - Interpretar texto  sobre investimentos em ciência e tecnologia, considerando a interdependência entre os países.

(1) conjunto de coisas naturais                                  
(   )montanhas, rios, lagos, vales, planícies, florestas, campos
(2)espaço geográfico                                                 
 (   )pontes, viadutos, automóveis, caminhões, aviões, fábricas, tecnopólos, fazendas modernas, portos, estradas de rodagem, estradas de ferro, aeroportos, cidades,
(3) elementos que compõem o mundo da tecnologia atual
(   ) telefone celular, notebook, clonagem, transgênicos. etc
PRODUÇÃO DO ESPAÇO, SISTEMAS TÉCNICOS E DIVISÃO TERRITORIAL DO TRABALHO
Como a produção do espaço resulta do trabalho social que se funda no sistema técnico imperante em cada fase da história, o conjunto das tarefas executadas pela sociedade é o sistema técnico e  reflete a correlação entre espaço produzido e as técnicas disponíveis em determinada época, também chamada de ciclo. O Brasil nasceu na região do nordeste atual, do litoral (com a cana) ao interior ou o amplo sertão nordestino, com a pecuária. Neste, sucederam vários sistemas técnicos pecuária, cotonicultura, extrativismo, indústria, agroindústria, agronegócio e turismo. Cada um transforma o espaço de uma forma.
RESPONDA:
1-O que muda o espaço?
2- O que é sistema técnico?
3- Onde “nasceu” o Brasil?
5- Que sistemas técnicos imperam na produção do espaço hoje?
4- Qual foi o primeiro sistema técnico usado no Brasil que modificou o espaço?















RELACIONE OS SISTEMAS TECNICOS:
TÓPICO 13. REVOLUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA
1)Sobre a  Revolução técnico científica ou 3ª Revolução industrial ,marque V ou F :
(   )iniciou-se ligo após a II guerra mundial, com a revolução da tecnologia da informação, tendo por base o desenvolvimento da eletrônica: microeletrônica, computadores e telecomunicações
(  )ocorreu na segunda metade do séc XX
(   )aumenta o processo de produção nas indústrias provocando um enorme desemprego
(   )desenvolveu-se a tecnologia de ponta e a robótica.
(   )substituição da mão de obra e aumentando o lucro dos donos dos meios de produção e das grandes empresas.
(  )Uma das conseqüências dessa revolução é que a mão de obra migrou para o setor terciário,que requer mais estudo e conhecimento.
(   )É caracterizada pelas indústrias avançadas, associadas a centros de pesquisa, formada pelos chamados "cérebros" (cientistas)- e marcados por uma paisagem constituída pelos edifícios "inteligentes".

2) Numere:

(  1  ) 1ª fase da R.Industrial.        
(  2  ) 2ª fase da R.Industrial.       
(  3  ) 3ª fase da R.Industrial.

(      ) desenvolvimento da eletrônica: microeletrônica, computadores e telecomunicações

(      ) tear mecânico;  máquina a vapor;  fundição do ferro;  progressos na agricultura.
(      ) dínamo;  petróleo;  motor de combustão interna;  máquinas automáticas.


Marque x na resposta certa:
3-Sabendo que  sistema técnico é o conjunto de meios instrumentais e sociais, que se realiza  na vida social e, ao mesmo tempo, se produz e se cria o espaço geográfico.podemos dizer que todos os itens abaixo foram sistemas técnicos no Brasil e que o mais antigo meio de transformação do espaço foi:
(   )pecuária   (  ) cotonicultura   (   ) extrativismo do pau- brasil   (    ) agroindústria  (   ) turismo.

4- Revolução tecnológica: o mundo passou por 3 revoluções  tecnológicas: a primeira, foi a  revolução industrial, baseada no recurso energético:-----------------; a segunda baseada no -------------------- fez expandir a indústria dos transportes e acelerou a mobilização mundial; a terceira que se baseou no novos materiais e gerou a -----------------------------baseada na pesquisa científica e fez o mundo se interagir por meio da informação. Respectivamente , foram as bases das fases das 3 revoluções Industriais:
 (a) carvão,petróleo e informatização(computadores)

(b) carvão, informatização(computadores) e petróleo

(c)petróleo ,carvão e informatização(computadores)




Reconhecer a velocidade e eficiência dos transportes e da comunicação em decorrência do desenvolvimento técnico científico e processo de globalização em curso.

Conceituar: - meios de transporte e comunicação – - instantaneidade de informações e a interação de culturas – planeta mais veloz e integrado. Agência Nacional de transporte (ANT) –.Hidrovia Tietê Paraná – Privatização:   Ferrovia Darjiling—Transporte Intermodal Transporte Multimodal - 

CONTEÙDO
- fluxos dos transportes e comunicações
- o surgimento da sociedade da informação que gera lazer, conhecimento, trabalho, produção, compras dentro da comunidade eletrônica, dando origem um novo espaço - o ciberespaço;
•O papel das comunicações no passado e no presente
•O desenvolvimento das telecomunicações alterando os cotidianos.
•Os meios de comunicação nos países ricos e pobres
•As grandes invenções humanas nas comunicações superando as barreiras do tempo e do espaço
•Noções de telecomunicações, fibras ópticas, rede digital, internet, infovias, sociedade da informação, ciberespaço
 As grandes invenções humanas nas comunicações: da permanência do arranjo espacial à modernidade no processo de globalização.
 O desenvolvimento das telecomunicações alterando o processo de produção e a circulação de mercadorias, reduzindo distâncias e globalizando idéias;
 As infovias circulando informações e gerando lazer, conhecimento, trabalho, produção, compra dentro da comunidade eletrônica, dando origem um novo espaço - o ciberespaço.
 Os serviços inteligentes encurtando distâncias e reduzindo o trabalho humano.
 As redes ilegais nos meios de comunicação relacionadas aos paraísos fiscais.
 Os fluxos de capitais, de mercadorias, de informações e de pessoas.



REDES DE COMUNICAÇÂO E TRANSPORTE.
      Vivemos num mundo conectado em redes. Informações viajam virtual e instantaneamente de um canto a outro, produzindo reflexos quase imediatos em diferentes lugares do globo. Se uma empresa multinacional quebra num país emergente da Ásia, no mesmo dia, a Bolsa de Valores de São Paulo entra em crise econômica. A Guerra no Iraque foi toda planejada na rede virtual. Hoje podemos acompanhar as consequências  das guerras, da Tsunami, dos terremotos,  das enchentes, sentados numa poltrona confortável, em nossa casa. Somos consumidores de milhares de informações em rede mundial. As mercadorias, são jogadas num circuito cada vez mais amplo de fluxo de comércio e serviços. As frutas de mesa colhidas em Pirapora, no interior mineiro, em curto tempo estão à venda nos supermercados europeus. O dinheiro transformou-se em cartão (dinheiro de plástico) que se retira no sistema informatizado, online. E as pessoas nunca viajaram tanto, como turistas. Uns para  trabalhar,uns para passear, outros estudar e, até mesmo, para se protegerem, como no caso dos refugiados de países em conflito.  Assim, o turismo tornou-se a primeira indústria mundial em volume de negócios e o número de trabalhadores sem nacionalidade cresce assustadoramente. O mundo se move em redes, num fluxo constante de mercadorias,pessoas,dinheiro, informações e de pessoas, pois os homens interagem  com outras culturas, levando e trazendo produtos; as leituras de Marco Pólo nos ensinam que integrar culturas é fundamental para novas aprendizagens.  A diferença é que hoje tudo ocorre com muita velocidade e intensidade,  mudando a organização sociocultural e ambiental das paisagens
A REDE DOS  TRANSPORTES ENCURTANDO AS  DISTÂNCIAS
O processo de globalização exige o desenvolvimento de meios de transporte cada vez mais rápidos. Para isso é necessário construir estradas, aeroportos, hidrovias. È fundamental modernizar a frota de veículos pesados e leves, de navios de carga, de aviões  que atendam a intensidade  de circulação de mercadorias e pessoas. Essas estruturas alteram toda a região à sua volta. Veja o caso da cidade de São Paulo. A pequena vila do século 16 só virou a maior metrópole brasileira porque ficava num ponto estratégico às margens da estrada de ferro que ligava as fazendas de café do interior ao porto de Santos. E, hoje,  os meios de transporte, mudaram a espacialidade de muitas cidades brasileiras que margeiam as vias rodoviárias. Isso traz grande impacto ambiental como o caso da BR-163, Cuiabá-Santarém que provocou a dizimação do povo indígena Panará, a migração desordenada, a grilagem de terras, o desmatamento, o aumento da criminalidade e o agravamento das condições sanitárias locais.No processo de globalização os carros, caminhões e navios articulam um lugar com uma região, uma região com um país, um país com o continente e com o mundo. Hoje, as cidades grandes  e as metrópoles, convivem com os problemas dos congestionamentos, falta de infra-estrutura viária que facilite o fluxo no trânsito e a poluição. Em 1970 havia no Brasil um carro para cada 38 pessoas. Em 2002, essa relação já era de um veículo para cada grupo de 10 habitantes, o que desencadeou a construção de túneis, pontes e avenidas nas grandes cidades. Essas mudanças causam impacto no meio ambiente e na vida das pessoas.                                      
A REDE DAS COMUNICAÇÕES                                                                                                 
O planeta está plugado em rede e a grande revolução é a Internet. Ela tornou possível a transferência instantânea de dados entre qualquer parte do planeta. Vivemos num mundo  online; em tempo real, tudo acontece simultaneamente no tempo e no espaço. Esse fenômeno muda a relação das pessoas com os lugares e dos lugares entre si; altera os hábitos culturais,  muda  os costumes,  as relações sociais e econômicas. Renova empregos, gera desempregos e recria o chamado ciberespaço, o lugar passa a ser virtual,  o site ou sítio onde muitos jovens, adultos e velhos se divertem, fazem compras, encontram amigos, estudam e se informam. A interação é simultânea e facilitada pelo ganho de tempo na pesquisa rápida sobre qualquer tipo de informação. As telecomunicações formam redes possibilitadoras de intercâmbios entre empresas, entre elas e pessoas, entre povos e suas ideologias determinando a reorganização do território, a transnacionalização de capitais, propiciando, dessa forma, o funcionamento da economia globalizada. Uma série de novas tecnologias dentre elas as fibras óticas, barateou os custos  e popularizou o uso dos meios de comunicação como telefones digitais, fax, computador, outros.  A inventividade do homem permitiu o desenvolvimento das telecomunicações capazes de "reduzir" o tamanho do mundo. A necessidade e o desejo de comunicar-se, de conhecer lugares, territórios, regiões transformaram o espaço e possibilitaram o desenvolvimento de processos que variam de dimensões em função do comércio, dos serviços e da indústria em seus movimentos de transformação. São processos que contêm um duplo movimento: de um lado, o de conectar pessoas, mercadorias e idéias e, de outro, o de excluir lugares e pessoas desse fluxo. Assim, as redes de transportes e comunicações foram modernizando-se e inserindo-se no contexto técnico-científico de cada época, aproximando/distanciando lugares e pessoas.  O acesso à modernidade não ocorre de forma democrática, porque o progresso tecnológico nunca é uniforme. Excluem-se pessoas que não  podem arcar com os custos ou não estão incluídas nessa cultura do instantâneo. Parcela significativa da população mundial,  não está conectada à Internet,  e são igualmente poucos os que podem viajar de avião, trem bala, ou mesmo,  deslocar-se no transporte urbano para o trabalho. Dependendo da forma como são utilizados, os sistemas técnicos, também podem ser acionados na construção de redes que provocam conflitos e desorganização do território. São as movimentações ilegais de produtos, pessoas e idéias: o cartel do narcotráfico, as máfias e gangues de drogas e seqüestros; o comércio de órgãos e pessoas, a lavagem de dinheiro “sujo” e o terrorismo internacional. As redes envolvem, portanto, poder, comunicações, espaços e pessoas numa ordem e desordem espacial formal e informal, legal e ilegal. No entanto, as redes podem ter outras intenções relacionadas com a solidariedade, a cooperação e a construção de outros modos de vida mais humanos, como as ações dos Médicos Sem Fronteiras, das ONG’s, dos grupos de Defesa dos Direitos Humanos que movimentam pessoas e lugares.Dessa forma são muitas as possibilidades de entendimento das redes legais e ilegais, formais e informais.A palavra rede em seu sentido metafórico ganha na atualidade um novo significado porque a produção, o uso e o consumo de produtos e de serviços estão organizados em fluxos. Quer um exemplo? A Rede Mundial de Computadores – a Internet.
 INTERPRETAÇÂO:
1-Copie a parte do texto que explica a expressão: “Vivemos num mundo conectado em redes”
2- O que é o dinheiro de plástico?
3- Que tipo de turismo feito pelas pessoas são descritos no texto?
4- De acordo com o texto qual é a primeira indústria mundial em volume de negócios e o nº de trabalhadores sem nacionalidade hoje?
5-De acordo com o texto que fluxos são constantes nesse mundo que se move através das redes?
6- Que diferença existe entre a integração de culturas descritas nos livros de Marco pólo e as de hoje?
7- O processo de globalização exige o desenvolvimento de meios de transporte cada vez mais rápidos, o que é necessário para que isso aconteça?
8- Que transformação aconteceu na cidade de SP com a modernização nos transportes? Por quê?
9- Que  grandes impactos ambientais e sociais causou a construção da BR-163, Cuiabá-Santarém?
10- Descreva o processo de globalização ajudado pelos meios de transporte.
11- Quais são os problemas gerados pelo grande fluxo de automóveis? Que modificações no ambiente tiveram que ser feitas para facilitar esse fluxo?
12- O que significa dizer que o mundo está plugado em rede?
13- O que significa dizer que vivemos num mundo online?
14- De exemplos de como a internet muda as relações e os hábitos das pessoas?
15- Nesse contexto de redes de informação, o que o uso das telecomunicações possibilita?
16- O barateamento de qual nova tecnologia popularizou o uso dos meios de comunicação?
17- Porque se diz no texto que o desenvolvimento das telecomunicações e do transporte tem um duplo movimento?
18- Por que se diz no texto que o acesso à modernidade não ocorre de forma democrática? Qual a conseqüência disso?
19- De que modo pode-se usar os meios de comunicação que podem ser acionados na construção de redes que provocam conflitos e desorganização do território?
20- De exemplo de rede de informação usada com intenções de solidariedade.






















































RELACIONE: Redes técnicas das telecomunicações
(   )  Inclusão digital
(   )  Redes telemáticas
(   ) ciberespaço
(   ) Exclusão digital
(   ) Fibra ótica
(   ) Globalização
(   ) Infovias
(   ) Planeta interligado
(   ) Serviços inteligentes
(   ) Territórios fora da lei 
(   ) Terceiro setor
(   ) Massificação
(1) São estradas eletrônicas onde pode transitar a informação, na forma de texto, som ou imagem, entre um ponto gerador e diferentes pontos receptores. EX: telefone, a televisão, a Internet.
(5) Influência exercida pelos meios de comunicação de massa (rádio, TV, cinema, jornais, revistas, outdors, propagandas), com a finalidade de impor hábitos, comportamento e condutas às pessoas.
(9)  É a Internet como direito de todos os cidadãos via as  políticas públicas de disseminação de recursos. Ex:o uso de softwares livres.


(2) É o espaço virtual para a comunicação disposto pelo meio de tecnologia. EX: celular, pagers, comunicação entre rádio-amadores e por serviços do tipo “tele-amigos”.
(6) Éo serviço prestado de forma mais rápida e eficiente usando alta tecnologia e novos materiais resultantes dos avanços da Revolução  técnico-científico-informacional.
(10) Um grande número de pessoas não têm acesso à informação: rádio, TV, jornais, revistas, computador, Internet, o que prejudica sua formação e impede sua qualificação para trabalhos mais qualificados e de melhor remuneração. 

(3) São as interações entre indivíduos e empresas, ONG e Estados, facilitado pelas novas tecnologias,gerando novas realidades e alterando o curso do processo civilizatório mundial. Tornou o mundo cada vez mais afetado  pelas influências internacionais políticas e econômicas.
(7) tecnologia que revolucionou as transmissões por cabos e as telecomunicações. É feita de vidro e com a espessura de um fio de cabelo, transporta sinais de vídeo e voz à velocidade da luz, sua capacidade de transporte de informações é praticamente ilimitada.
(11) Envolve o ESTADO como 1º Setor,  o MERCADO como 2º Setor; o3º Setor são as entidades, instituições, associações, fundações que ajudam a preservar a cidadania, o  ambiente e segurança, viabilizando a justiça social e a qualidade de vida.

(4) São espaços demarcados por relações de poder paralelo que ameaçam a vida social regulada pelo poder democrático tais como os territórios das drogas, da prostituição, das máfias.
(8) São as conexões que articulam as telecomunicações com as novas tecnologias da informática. 

(12) É a popularização da Internet que revolucionou o mundo gerando a sociedade da informação que vem mudando hábitos, trabalho, lazer e convivência.


Tópico 15. Fragmentação  OP- 28 Fragmentação RA-19 Mapeando a espacialidade da fragmentação mundial
.Mapear as áreas de exclusão utilizando textos para analisar as regiões em conflito no mundo.
Conceituar: - fragmentação - território, territorialização, cultura, política, economia e direitos sociais – - segregação espacial – Fundamentalista –Separatismo – - Territorialidade- Território-
 CONTEÚDO
As áreas de exclusão: as regiões em conflito no mundo.
Os fenômenos culturais, ambientais e econômicos que conferem identidade às manifestações de regionalização e fragmentação no espaço mundial.
- Identificar   os conflitos étnicos, religiosos, políticos, culturais.
- Identificar os elementos que revelam conflitos relacionados à guerra, ao terrorismo, à nacionalidade etc.  
- Identificar os elementos que revelam conflitos no espaço brasileiro e mundial.
- Reconhecer os conflitos explicando o que é fragmentação.
- Conhecimento de senso comum  sobre conflitos religiosos, culturais, políticos, econômicos e ambientais.
- Reconhecer os continentes e as regionalizações mundiais onde se manifestam as tensões.
D9 - Justificar a criação de organizações não-governamentais para o exercício da cidadania, a partir da leitura e interpretação.
(1) Desterritorializados 
(2)Globalização
(3)Identidade
(4) Desenraízamento
(5) Fronteiras  
(11) identidade cultural

(6) Fronteira simbólica
(7) Fundamentalista
(8) Separatismo
(9) Territorialidade
(10) Nacionalismo
(12) identidade nacional

(   ) Ato de arrancar, desterritorializar pessoas, grupo, povos de seu lugar de origem. Fazer perder as características de origem.
(   ) Constituem-se em diversas formas de apropriação do território por grupos sociais que vão de vendedores ambulantes num determinado espaço urbano a territórios de contravenção como o tráfico de drogas
(   ) São as experiências e características que identificam um  povo.

(   ) Pertencente a uma corrente teológica que toma o livro sagrado de sua religião ao pé da letra, como os islâmicos que defendem o islamismo e prega a adoção do Corão como constituição dos Estados.
(   ) Movimento  social de indivíduos que tomam consciência de formar uma comunidade em virtude dos elos étnicos, lingüísticos, culturais. Amor a Pátria.
(   ) São tendências de separação envolvendo escalas de fronteiras diferenciadas do Estado-Nação, província, Estado, região ou lugar. Envolve política, ideologia , cultural e  identidade.

(   ) Consiste em múltiplas e rápidas interações entre indivíduos,  empresas, ONGs, Estados, facilitado pelas novas tecnologias, gerando novas realidades e alterando o curso do processo global.
(   ) Identifica os costumes, as tradições, a língua, as formas de conviver e de viver, compartilhadas e construídas que dão coesão e força simbólica aos indivíduos ou grupo.
(   ) Identifica os  atributos lingüísticos, territoriais, étnicos, religiosos e políticos-históricos compartilhados do povo de um determinado lugar ou território.

(   ) Pessoas que sobrevivem  nas fronteiras da marginalidade, articulando-se com os lugares e criando territorialidades clandestinas  que se denominam Reterritorialização. Esses segregados ganham visibilidade nas paisagens excluídas como nos acampamentos, campos de refugiados, guetos, sarjetas, ruas.
(   )  Em escala regional, nacional, internacional a espacialidade representa o arranjo das fronteiras políticas. Com  limites,  história, lutas, conquistas, dominação, imposição de língua, costumes, religião, tradições, fragmentam e redefinem a configuração do território. Esses traçados imaginários desenham fronteiras simbólicas, segregadoras, instáveis, bem como soberanias difusas em conflitos religiosos, étnicos, políticos/estratégicos, culturais, econômicos, nacionais.
(   ) amplia o entendimento da desterritorialização quando discute a noção de pátria, estado, território, povo demarcando as diferenças e alteridades ligadas à exclusão. Como exemplo, podemos citar a questão do povo curdo. Ele forma a quarta maior nacionalidade do Oriente Médio e está disperso entre Irã, Iraque e Turquia. Luta pelo reconhecimento de sua nação. Que tem seu território demarcado simbolicamente.


Respostas::4-9-3//7- 10- 8///2-11-12///1-5-6

TEXTO 1  - A DESTRUIÇÃO DA BÓSNIA MULTIÉTNICA
        As conquistas otomanas no SE da Europa levaram para a região  uma nova cultura e religião. Deixando de herança a cultura muçulmanas nas atuais Albânia e Bósnia  e minorias  significativas  na  Macedônia e  Bulgária.  Ao longo da decadência otomana tornaram-se comuns do cruzamento de culturas e religiões diversas.  O exemplo mais notável do cruzamento de correntes históricas na região balcânica foi a Iugoslávia, que antes de se estilhaçar agrupava 5 grupos nacionais( sérvios, eslovenos, croatas, montenegrinos e macedônios) e três religiões ( católica, cristãos ortodoxos e islâmica) A Bósnia  era famosa pela tolerância, pois abrigava uma maioria muçulmana  e as minorias sérvia ortodoxa e croata católica. O colapso da Iugoslávia, destruída pelos nacionalismos étnicos a partir de 1991, atiçou o fogo na palha bósnia.  Nos anos seguintes, a  guerra étnica devastou a Bósnia num ritmo incessante.  A velha capital, Saravejo,  onde soou o sinal  para o início da Primeira Guerra,  perdeu sua condição de símbolo da tolerância e da pluralidade entre povos  e culturas para converter-se em signo associado ao ódio étnico e a limpeza étnica.
 UMA PAZ FRIA CAI SOBRE A EUROPA-  A queda do muro de Berlim e a desagregação do bloco soviético desestruturaram a Europa. O Fim da  URSS e da Iugoslávia redesenhou as fronteiras do Leste Europeu  e dos Bálcãs. Em 1995, com a Guerra na Bósnia, começaram a se delinear as opções estratégicas das potências européias no complexo cenário de pós-Guerra Fria. 
TEXTO 2 - A CHECHÊNIA E O CÁUCASO
 (...) O Estado russo enfrenta desafios dentro de suas próprias fronteiras. Organizado em federação com  21 repúblicas étnicas além da própria Rússia,  sofre as pressões pelo fim do  comunismo.  Em 1991foi proclamada a  independência. Chechênia. A Rússia atacou a capital, Grozny. A chechênia  é uma das repúblicas que compõem a Federação Russa é localizada no Cáucaso e nos vales banhados por rios  que deságuam no mar Cáspio abriga um milhão de habitantes. Cerca de 60% são etnicamente chechenos, que abandonaram o cristianismo para aderir ao Islã. O conflito na Chechênia assumiu forma de guerrilha desde a ocupação de Grozny. As forças separatistas passaram a fustigar as tropas russas. A ausência de democracia  estimula os separatismos étnicos, ameaçando a unidade do Estado russo. O foco principal da instabilidade étnica localiza-se na Chechênia onde a maioria da população não é  russa e é tem uma renda muito inferior á dos russos. A continuidade da guerra chechena pode provocar novas tentativas separatistas na região.
 TEXTO 3 – HIMALAIA - O TIBET é certamente a região autônoma que, pela riqueza de sua história e cultura, constitui o exemplo mais contundente da diversidade do espaço chinês e do arbítrio da elite HAN para se impor sobre as outras nacionalidades. Ao nos depararmos  com o mapa físico da China surpreende a vastidão do platô tibetano: quase dois milhões de km² acima de 3000m de altitude. A relativa  uniformidade do ambiente natural contrasta com as múltiplas identidades que compõe o Tibet. (..) prevalece as identidades subnacionais fundamentadas nas seitas do budismo lamaísta e na territorialidade definida pelas antigas províncias, uma reforçando a outra.  A presença e hegemonia crescente dos chineses HAN,  propiciou o fortalecimento de rivalidades étnicas, especialmente entre os habitantes das cidades, onde os confrontos são mais  violentos. (...) Além dessa opressão político-cultural há um povo que luta por sua autonomia, se vê o massacre e o desaparecimento de uma das culturas mais ricas do planeta.
 TEXTO 4- AS POLÍTICAS E MOVIMENTO MIGRATÓRIO NO CONTEXTO DA SEGREGAÇÃO.
 O prefeito de Novo Hamburgo reúne-se com o de São Leopoldo  para discutir a implantação do Programa Fecha Fronteiras no Vale dos Sinos e informa a existência de cinco veículos da prefeitura para controlar a chegada de indesejáveis. Quando essas equipes encontram um caminhão de mudança de outro município, procuram saber aonde vão se instalar. Se não têm moradia definida (...) são orientadas a retornar ao local de origem’  ( Correio do Povo, 18/02/1993)           
 Cinco cidades gaúchas que apresentam renda per capita muito acima  da média nacional e do estado, decidiram vetar a entrada de pobres. O prefeito de Gramado  explica não querer ‘importar miséria nem violência’, encarregou nove ‘fiscais ’  de circularem em bairros populares e indagarem aos migrantes se  têm casa e emprego garantidos; em caso negativo, a prefeitura providencia sua viagem para fora do município. (VEJA)
Ricas cidades do Triângulo Mineiro – particularmente, Uberaba e Uberlândia são acusadas de exportarem seus migrantes.  Fica evidente que essa  prática está generalizada.   Campinas e Jundiaí fornecem passagem ou utilizam um vagão,  para redistribuir seus indesejáveis  pela região.
          Na região de Ribeirão Preto, onde as plantações de cana e laranja utilizam  trabalhadores sazonais  ( vindos de outros lugares  que trabalham só no tempo da safra), alojam esse nas usinas e fazendas, mas sua instalação nas cidades é controlada ( e mesmo impedida). Normalmente, o clima se torna mais tenso no fim das safras, quando alguns tentam permanecer e outros se encontram sem recursos para voltar. O que mais chama a atenção nestes exemplos,  que já são muitos, é o apoio da população local a estas atitudes. Identificando no migrante o futuro desocupado, mendigo, assaltante, estas populações defendem seus espaços urbanos, seu meio ambiente. Depoimentos de assistentes sociais preocupadas com a situação informam que são numerosos os chamados telefônicos às prefeituras   exigindo a remoção e expulsão dos migrantes/ andarilhos/ itinerantes que se instalam nas praças e ruas ou que invadem terrenos baldios. Na escala mundial a exclusão do imigrante denuncia um mundo em fragmentação. A discriminação contra o imigrante ressurge nas manifestações nacionalistas e nos ódios étnico-culturais, demarcando as fronteiras entre o NORTE E O SUL.  A xenofobia (raiva do estrangeiro ou do diferente) e a indiferença se apresentam em níveis diferentes de tolerância na Europa, os africanos negros são mais tolerados por sua docilidade, os muçulmanos são detestados por sua arrogância e forte identidade cultural. Eles portam  o sentimento  de autonomia e de expansão da cultura  islâmica,  agitam a ordem política européia questionando a concessão da cidadania na Alemanha ( turcos), o racismo na Espanha ( magrebinos e marroquinos).   A União Européia sabe que limitar a chegada dos imigrantes significa parar o crescimento.  Assim  vem tentando discutir esses conflitos, sobretudo na região do Magreb africano, de onde provêm fugitivos de guerra e perseguições políticas, mulheres que pretendem  se libertar do peso islâmico e homens jovens em busca de vida melhor. As políticas  são de fixação no lugar de origem   ou no país de emigração, para que possam aplicar aí seus rendimentos.  Os EUA, vão administrando conflitos entre negros, hispânicos, asiáticos e mexicanos  com leis restritivas de  imigração.   A fragmentação evidencia o aumento das disparidades sociais, a baixa coesão socioespacial e a reduzida mobilidade espacial dos mais pobres.      
ATIVIDADES:
1-Cite pelo menos três países que participam da situação de conflito atual.
2- Que três religiões entraram em conflito causando a guerra da Bósnia e promovendo a limpeza étnica?
3-Que religião era maioria na Bósnia?
4- Que 5 grupos nacionais viviam na antiga Iugoslávia antes dela se desintegrar?
5- Por que a Bósnia era famosa pela sua tolerância?
6- O que motivou o fim da tolerância na Bósnia?
7- Qual é a capital da Bósnia?
8- Onde teve início a 1º guerra Mundial?
9- O que causou a desestruturação da Europa e início dos conflitos étnicos?
10-  A divisão de quais países principalmente causou o redesenho dos mapas da Europa?
11-  Como está organizado atualmente o Estado Russo?
12- Que desafios internos a Rússia enfrenta hoje?
13- Qual é a capital da Chechênia?
14- O que a Rússia fez quando a Chechênia declarou independência?
15- Onde se localiza a Chechênia?
16- Como são os habitantes da Chechênia?
17-  O que estimula o separatismo étnico na Rússia?
18- Porque o foco da instabilidade ética é na Chechênia?
19- Onde fica o Tibet?
20- Como é chamada a elite chinesa?
21- Qual é a religião predominante no Tibet?
22- O que pode acontecer se a opressão político-cultural contra o Tibet continuar?
23-  O que é o programa fecha fronteira implantado em algumas cidade do RS, Brasil?
24-  Porque o prefeito de Gramado RS decidiu vetar a entrada de pobres na cidade?
25- O que as cidades de Jundiaí, Campinas, Uberaba e Uberlândia fazem com seus imigrantes indesejados?
26-  O que são trabalhadores sazonais?
27- O que acontece com os trabalhadores sazonais de Ribeirão Preto?
28- Qual é a ação da população local diante dessa discriminação do imigrante?
29- Como é a discriminação do imigrante em escala mundial?
30-  O que é Xenofobia?
31-  Que povo é o mais odiado na Europa? Por quê?
32- Que povo é o mais “aceito” na Europa? Por quê?
33- Na Europa o que pode acontecer se barrarem a entrada dos imigrantes?
34- Porque o povo da Magreb (Norte da África) migra para a Europa?




Tema 4 : Ambiente, Tecnologia e Sustentabilidade              9º ano
Complementar: XVII. Ordem Ambiental Internacional
CONTEÚDO
-Explicar, no contexto do Protocolo de Kyoto, as vantagens de países emergentes, como o Brasil, participarem do Programa “seqüestro de carbono”. 
-Identificar as políticas estabelecidas pela Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento – CNUMAD – sobre mudanças climáticas avaliando os resultados do Protocolo de Kyoto em nível nacional e planetário.
-Explicar a importância da Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento – CNUMAD – na difusão da temática ambiental em nível planetário e como sistematizadora de uma ordem ambiental que regula as ações humanas e os impactos gerados
-O contexto do Protocolo de Kyoto e as vantagens de países emergentes, como o Brasil, participarem do Programa “seqüestro de carbono”.
-Políticas estabelecidas pela Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento – CNUMAD – sobre mudanças climáticas avaliando os resultados do Protocolo de Kyoto em nível nacional e planetário.
-A importância da Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento – CNUMAD – na difusão da temática ambiental em nível planetário e como sistematizadora de uma ordem ambiental que regula as ações humanas e os impactos gerados por ela no ambiente.

Conceituar:- Cúpula da Terra –  Rio+10 – - Terceiro Milênio - Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, CNUMAD ECO 92- Ordem Ambiental Internacional - Protocolo de Kyoto –
- Mudança climática - Efeito estufa –IPCC – Protocolo de Kyoto - Mercado de carbono –
Cúpula da Terra (Rio-92) e a Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+10), em Johanesburgo, na África do Sul, em 2002.


(1) Aquecimento global
(6) Socioesfera
 (11) Protocolo de Kyoto
(16) Mercado de carbono
(21) Desenvolvimento sustentável
(2)-Sociedade de consumo
(7) ECO 92
(12) Áreas de risco ambiental
(17)Hipótese de Gaia
(22) Sociedade sustentável
(3) Sociedade do desperdício
(8) Mecanismo de desenvolvimento/ Limpo
(13) Código de defesa do consumidor
(18) IPCC
(23)  Consumo sustentável
(4) Ex de socioesfera..
(9) Sumidouros de gás carbônico
(14) Efeito estufa
(19) Mudança climática
(24) Segurança alimentar
(5) Produção /consumo
(10) Consumismo
(15)  Rede urbana
(20) Consumo /insustentável
25- Agenda 21
(   ) Documento que estabeleceu que cada país deve se comprometer a refletir, global e localmente, sobre a forma como todos os setores da sociedade poderiam cooperar  para a  solução dos problemas sócio-ambientais
(   ) 90% do consumo individual do mundo são realizados  por, apenas, 20% da população do planeta. Apenas 20  % da população faz parte da sociedade de consumo.
(   ) 2º essa teoria o sistema terrestre é compreendido como um organismo vivo  em  busca de equilíbrio. A recuperação ambiental é possível se  o ritmo da natureza for respeitado
 (   ) Existem os que consomem por necessidade e os  por compulsão. É um modo de vida na qual o sujeito não interage com a natureza, usufrui sem pensar  no custo que sua atitude pode custar à sociedade.
(   ) Créditos de emissões reduzidas de carbono, um dos mecanismos criados pelo Protocolo de Kyoto para reduzir a emissão de gases do efeito estufa. Os países recebem por não poluir.
(   ) Ex: escala global é o aquecimento global, em escala regional  é desertificação decorrente do uso inadequado dos solos , em escala local  o lixo urbano.
(   ) Documento  pelo qual os países  se comprometem a reduzir   suas emissões de gases contribuintes para o aquecimento global.
(   ) Sujeitas à catástrofes naturais ou a acidentes com produtos tóxicos.Ex:Indonésia,São Francisco,Japão..
(   ) Entidades que defendem os direitos do consumidor.
(   ) São as florestas que se alimentam de gás carbônico e libera oxigênio: Ex:Floresta amazônica
(   ) São os padrões de desenvolvimento agravados pelo ideal de lucro sem preservação que incentivam o consumo e o desgaste dos recursos naturais gerando contradições entre o desenvolvimento, o crescimento da economia e a necessidade de preservação
(   ) Acontecerá quando ocorrer uma melhora da qualidade de vida com justiça social, construindo relações  saudáveis  com o meio ambiente.

 (   ) Não se resume à qualidade do que se come, mas à política de uso dos recursos  naturais p/ a produção de alimentos,o impacto ambiental que causa  e sua distribuição.
(   ) Conferência das Nações Unidas para o meio ambiente e desenvolvimento:
responsável pela  conscientização  ambiental  da população.
(   ) Processo de transformação, no qual a exploração de recursos e evolução tecnológica  se harmonizam protegendo o ambiente para as gerações futuras.
(   ) Crescente concentração de gases  na atmosfera, resultante da queima de combustíveis fósseis e florestas, que provocam um aumento da temperatura 
(   ) É o  sistema terrestre transformando o ambiente por meio de impactos, classificados em escala geográficas global, regional e local.
(   ) Painel Inter-Governamental sobre mudanças climáticas : reúne a comunidade científica para discutir o aumento da temperatura da Terra. 
(   ) MDL: prevê que os países desenvolvidos (GEE)poderão financiar projetos em países em desenvolvimento para compensar reduções de emissões não realizadas (RCE) 
(   ) Ocorrerá quando optarmos por produtos ecologicamente corretos e socialmente justos e sobretudo diminuirmos o consumismo.
(   ) Espécie de cobertor  na atmosfera, que impede os raios solares que incidem sobre a Terra sejam emitidos de volta ao espaço

(   ) A humanidade já consome 30% a mais do que a Terra é capaz de produzir. Impossibilitando a renovação do ambiente.
(   ) Alterações no clima da Terra em decorrência do acúmulo de    ( gás carbônico e metano),na atmosfera.
(   ) É o ato de comprar  sem necessidade e consciência. É compulsivo, descontrolado e se deixa influenciar pelo marketing.
(   ) A urbanização de uma sociedade origina uma rede urbana,um sistema integrado de cidades  pequenas ,médias,metrópoles  etc
 Respostas: 25- 2-17-25- 16///4- 11- 12- 13- 9///3--22- 24- 7- 21///6- 18- 8- 23///14- 20- 19- 10- 15

.
CNUMAD
A Eco 92 foi realizada de 3 de junho a 14 de junho de 1992, na cidade do Rio de Janeiro. Oficialmente era referida como Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (CNUMAD), e, popularmente, como Rio 92.
O objetivo da conferência era a busca de  meios que permitisse o desenvolvimento socioeconômico aliado à conservação da natureza. Ficou amadurecido o conceito de desenvolvimento sustentável, a Eco 92 ajudou a popularizar as questões ambientais no Brasil e em diversos países, conscientizando as nações ricas a ajudarem os países em desenvolvimento na implementação de uma economia sustentável.
A Eco 92 foi responsável por estruturar uma responsabilidade comum sobre o planeta, principalmente por parte das nações desenvolvidas, gerando uma mudança de percepção perante a complexidade das questões ambientais por parte dos governos e da opinião pública.
Na época da Eco 92, líderes de quase todos os países do mundo reuniram-se para discutir condições e medidas para mitigar a degradação do meio ambiental em nível global para as futuras gerações, sobretudo, por meio do desenvolvimento sustentável.
Ficou nítida a necessidade de se planejar para as sociedades a possibilidade da gestão de uma economia sustentável através de um modelo econômico menos consumista e equilibrado com as necessidades ambientais.
A Eco 92 gerou importantes documentos como a “Carta da Terra”; “Declaração do Rio sobre Ambiente e Desenvolvimento”, “Agenda 21”, “Declaração de Princípios sobre florestas” e as convenções da biodiversidade, desertificação e mudanças climáticas.
O principal documento produzido na RIO-92, o Agenda 21 é um programa de ação que viabiliza o novo padrão de desenvolvimento ambientalmente racional. Ele concilia métodos de proteção ambiental, justiça social e eficiência econômica. Este documento está estruturado em quatro seções
Dimensões Econômicas e Sociais- enfoca as políticas internacionais de ajuda ao desenvolvimento sustentável nos países em desenvolvimento (combate à pobreza e à miséria,  mudanças  nos padrões de consumo, interrelação entre sustentabilidade e dinâmica demográfica, saúde pública e  melhoria da qualidade dos assentamentos humanos
Conservação e questão dos recursos para o desenvolvimento – enfoca a proteção da atmosfera e  transição energética,  manejo do solo,  proteção dos recursos do mar e da gestão  da água doce;  combate ao desmatamento, a desertificação e a proteção aos ecossistemas de montanhas;
Revisão dos instrumentos necessários para a execução das ações propostas - mecanismos financeiros e mecanismos jurídicos internacionais;  produção e oferta de tecnologias enquanto suportes essenciais à gestão da sustentabilidade;  educação para construção de uma consciência ambiental;
A aceitação do formato e conteúdo da Agenda - aprovada por todos os países a CNUMAD - propiciou a criação da Comissão de Desenvolvimento Sustentável (CDS) que tem por objetivo acompanhar e cooperar com os países na elaboração e implementação das agendas nacionais.
O Brasil criou a Agenda 21 Nacional no objetivo de selecionar as áreas ambientais mais urgentes no trato ambiental. Foram seis áreas selecionadas: Infra-estrutura e Integração Regional; Cidades Sustentáveis; Agricultura Sustentável; Gestão de Recursos Naturais; Redução das Desigualdades Sociais;  e Desenvolvimento Sustentável.Fontes:http://www.comciencia.br/reportagens/biodiversidade/06.htm.Info escola
RESPONDA:
1-O que é a CNUMAD?
2-Qual  o objetivo dessa conferência?
3-Que consciência a Eco 92 despertou nos países desenvolvidos?
4-Por que os líderes de muitos países se reuniram na Eco 92?
5-Que importantes documentos foram gerados a partir da Eco 92?
6-O que é a agenda 21?
7-Quais são as dimensões econômicas da Agenda 21?
8-Que recursos a Agenda 21 promove para que o desenvolvimento seja sustentável?
9-Qual o objetivo da CDS?
10- Qual o objetivo da agenda 21 do Brasil?
1-    Responda:
1-    O que é a CNUMAD? Oficialmente era referida como Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (CNUMAD), e, popularmente, como Rio 92.
2-    Qual  o objetivo dessa conferência? A conferência buscava  meios que permitissem o desenvolvimento socioeconômico aliado à conservação da natureza
3-    Que consciência a Eco 92 despertou nos países desenvolvidos? conscientizou as nações ricas a ajudarem os países em desenvolvimento na implementação de uma economia sustentável
4-    Por que os líderes de muitos países se reuniram na Eco 92? líderes de quase todos os países do mundo reuniram-se para discutir condições e medidas para mitigar a degradação do meio ambiental em nível global para as futuras gerações, sobretudo, por meio do desenvolvimento sustentável.
5-    Que importantes documentos foram gerados a partir da Eco 92? A “Carta da Terra”; “Declaração do Rio sobre Ambiente e Desenvolvimento”, “Agenda 21”, “Declaração de Princípios sobre florestas” e as convenções da biodiversidade, desertificação e mudanças climáticas.
6-    O que é a agenda 21? é um programa de ação que viabiliza o novo padrão de desenvolvimento ambientalmente racional. Ele concilia métodos de proteção ambiental, justiça social e eficiência econômica.
7-    Quais são as dimensões econômicas da Agenda 21? Enfoca as políticas internacionais de ajuda ao desenvolvimento sustentável nos países em desenvolvimento (combate à pobreza e à miséria,  mudanças  nos padrões de consumo,  inter-relação entre sustentabilidade e dinâmica demográfica, saúde pública e  melhoria da qualidade dos assentamentos humanos);
8-    Que recursos a Agenda 21 promove para que o desenvolvimento seja sustentável? a proteção da atmosfera e  transição energética,  manejo do solo,  proteção dos recursos do mar e da gestão  da água doce;  combate ao desmatamento, a desertificação e a proteção aos ecossistemas de montanhas;
9-    Qual o objetivo da CDS? Comissão de Desenvolvimento Sustentável (CDS) que tem por objetivo acompanhar e cooperar com os países na elaboração e implementação das agendas nacionais.
10-  Qual o objetivo da agenda 21 do Brasil? Selecionar as áreas ambientais mais urgentes no trato ambiental. Foram seis áreas selecionadas: Infra-estrutura e Integração Regional; Cidades Sustentáveis; Agricultura Sustentável; Gestão de Recursos Naturais; Redução das Desigualdades Sociais;  e Desenvolvimento Sustentável

TEXTO 1 SC APRESENTA POTENCIAL PARA O MERCADO DE CRÉDITOS DE CARBONO
 Projetos para gerar energia limpa e  para reduzir a emissão de dióxido de carbono (CO2) no ar passaram a  receber mais destaque no Brasil a partir da entrada em vigor do Protocolo de Kyoto em 2005. O tratado estabeleceu um instrumento denominado MDL - Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, pelo qual os países desenvolvidos podem apurar os certificados de créditos de carbono, conhecidos como RCEsReduções Certificadas de Emissões, de nações em desenvolvimento.  O Brasil pode ser o país mais beneficiado por este instrumento, pois investe em projetos com grande potencial para geração de créditos de carbono. Os empreendimentos que possuem maior elegibilidade são os de eficiência energética na área de transportes; de substituição de energia elétrica ou térmica a partir de biomassa e resíduos (madeira, capim elefante, bagaço de cana, casca de arroz etc.); de geração do combustível fóssil por biocombustível (álcool, biodiesel etc.) e de florestamento e reflorestamento certificado.     O potencial de SC, em relação ao Brasil, é reduzido na apresentação de projetos para a geração de créditos de carbono. No entanto, há espaço para a viabilização de novos programas. Um bom exemplo é a suinocultura. O setor é um grande emissor de metano – gás com poder de aquecimento ambiental 21 vezes maior que o CO2. O rebanho catarinense, de 5,5 milhões de cabeças, produz cerca de 18 milhões de m3 de dejetos por ano, apenas 50% desse resíduo é aproveitado de forma adequada. O restante acaba sendo lançado diretamente em rios e lagos ou utilizado em excesso no solo, poluindo.   Se o gás metano proveniente da suinocultura for devidamente processado, pode ser transformado em energia elétrica e gerar muitas outras vantagens ambientais, decorrentes do tratamento adequado dos dejetos.    Do lixo também podem surgir muitas soluções. A criação de aterros sanitários que utilizam o biogás para a geração de energia é uma alternativa inteligente para um problema enfrentado por grande parte dos municípios brasileiros. Foi nesta área, inclusive, que surgiu o primeiro projeto para a captação de créditos de carbono no mundo: o NOVA GERAR, no RJ.
TEXTO 2-PAÍSES QUEREM ENERGIAS LIMPAS, MAS COM CRESCIMENTO ECONÔMICO
 EUA, Austrália, China, Índia, Japão e Coréia do Sul, reuniram-se em Sydney para discutir alternativas ao Protocolo de Kyoto, criaram um fundo para o desenvolvimento de energias limpas. EUA e Austrália organizadores da reunião, se comprometeram a investir U$ 170 milhões em programas energéticos que respeitem o meio ambiente e sejam dirigidos a reduzir a poluição global.
Os seis países representam 45% da população mundial e são grandes responsáveis pelo agravamento do efeito estufa: Austrália é o segundo produtor de carvão do mundo e produz mais gás carbônico por habitante que qualquer outro país. Já os EUA, é o maior poluidor do planeta, respondendo por mais de 25% das emissões de dióxido de carbono (CO2).      Ambos se recusaram a ratificar o Protocolo de Kyoto – acordo pelo qual os países  são obrigados a reduzir em 5% a emissão de gases até 2012. Quem não consegue atingir a meta, tem a opção de comprar créditos de carbono – gerados a partir de projetos de MDL - Mecanismos de Desenvolvimento Limpo em países em desenvolvimento.
     No comunicado final da reunião, EUA  e Austrália afirmam que não reduzirão o uso dos combustíveis fósseis e prevêem um aumento da utilização da energia nuclear.   A idéia é trabalhar para a erradicação do efeito estufa, mas sem que isso seja um obstáculo ao crescimento econômico, justificaram.
TEXTO 3- FLORESTAS 'PRODUZEM GÁS QUE CAUSA EFEITO ESTUFA', DIZ ESTUDO
 Cientistas da Alemanha descobriram que algumas florestas podem estar contribuindo para o aquecimento global, em vez de diminuir o ritmo de mudança do clima. Experiências relatadas na revista científica "Nature",  revelaram um processo desconhecido dos cientistas, no qual plantas em crescimento liberam metano, um dos gases responsáveis pelo efeito estufa. A descoberta é  inesperada. "Os livros afirmam que o metano é produzido apenas em condições em que os níveis de oxigênio são baixos. O metano é conhecido por ser um dos grandes contribuintes para o efeito estufa, perdendo apenas para o dióxido de carbono em grau de importância dentro do processo de prender o calor do Sol. Se as descobertas forem confirmadas, o fato poderá forçar uma reavaliação da maneira como a questão da preservação das florestas é tratada no Protocolo de Kyoto, o acordo que prevê medidas para frear as mudanças climáticas. Até agora, acreditava-se que o metano era produzido principalmente por bactérias em ambientes como pântanos, plantações de arroz e dentro do estômago de bovinos.
Mas na pesquisa, cientistas dizem ter concluído que o metano também é produzido em quantidades significativas por uma série de vegetais comuns crescendo em condições normais.
TEXTO 4-CATÁSTROFES NATURAIS E AQUECIMENTO GLOBAL: A NATUREZA REAGE?
 Desastres naturais; anúncio do recorde no desmatamento da Amazônia; transposição do rio São Francisco; polêmica na construção de hidrelétricas. Estes foram alguns dos assuntos mais debatidos em 2005.
PROTOCOLO DE KYOTO  foi assinado por 141 países. O documento estabeleceu as principais metas de redução da emissão de gases poluentes no planeta e estão ligados ao aquecimento global. Apenas 30 nações, consideradas industrializadas, sujeitaram-se às metas. Os EUA ratificaram o protocolo, porém, em 2001, retiraram-se das negociações, alegando estarem preocupados em manter a economia estável. Os países em desenvolvimento, como o Brasil e a China (apesar de ser o segundo maior país emissor de gases poluentes do mundo), ficaram livres de metas específicas. O Brasil foi apontado pela ONU, como grande beneficiário de Kyoto, já que, através do MDL - Mecanismo de Desenvolvimento Limpo -, poderia obter créditos de carbono para negociar com os demais signatários ao protocolo. Assim como o Brasil, outros países tomaram atitudes para uma menor emissão de CO2 na atmosfera, como a China. Apesar da recusa dos EUA em participar do protocolo, 28 dos 50 estados americanos e dezenas de empresas multinacionais sediadas no país adotaram voluntariamente medidas de redução de gases poluentes com o objetivo de combater o aquecimento global.  A  Noruega inaugurou a primeira bolsa mundial para compra e venda de cotas de emissão de dióxido de carbono.  EUA e  Austrália elaboraram uma alternativa ao Protocolo de Kyoto. China, Índia e Coréia do Sul também participaram da negociação. A idéia foi reunir os países responsáveis por 40% das emissões mundiais. A União Européia, que pretende colocar países do Terceiro Mundo, como o Brasil, a China e a Índia para cumprir as metas, além de convencer os EUA a participar do protocolo.
CATÁSTROFES NATURAIS- 2005 foi um ano recorde para os desastres naturais e meteorológicos, que mataram 350 mil pessoas e provocaram prejuízos econômicos calculados em US$ 200 bilhões. Além da tsunami que atingiu o sudeste asiático e do terremoto de 8 de outubro no Paquistão (com 70 mil mortes), 2005 foi o ano em que houve mais tempestades tropicais, contabilizando um total de 26, foram  14 furacões e sete deles alcançaram uma categoria de 3 ou mais na escala de Saffir-Simpson. O ano de 2005 também foi o segundo mais quente dos últimos anos, segundo dados da OMM(Organização Meteorológica Mundial). As catástrofes naturais de 2005 estão ligadas às mudanças climáticas.
AQUECIMENTO GLOBAL-O buraco na camada de ozônio sobre a Antártida aumentou em relação à 2004, invertendo uma tendência de queda,  o tamanho chegou a 24,3 milhões de km², quase três vezes a área do Brasil. Os números foram divulgados pela Nasa, a agência espacial norte-americana. levará várias décadas  para que os gases que têm provocado o fenômeno - clorofluorcarbonetos (CFC) e halon - caiam a níveis aceitáveis ou desapareçam.

ATIVIDADES:
1-Quando projetos para gerar energia limpa e  para reduzir a emissão de dióxido de carbono (CO2) no ar passaram a  receber mais destaque no Brasil?
2- O que significa MDL e o que estabelece?
3- Por que o  Brasil pode ser o país mais beneficiado pelo MDL?
4- Que problemas a suinocultura traz para o meio ambiente?
6- Que aproveitamento pode ter os dejetos da suinocultura?
7- Que solução ambiental pode ter o lixo?
8- O que foi o projeto NOVA GERAR e em que área atuou?
9- Quais são os seis países que representam 45% da população mundial e são os grandes responsáveis pelo agravamento do efeito estufa?
10- Qual é o país que mais polui com CO²?
11- O que o Protocolo de Kyoto estabelecia?
12- Qual foi a justificativa dos EUA e Austrália para não assinar o protocolo de Kyoto?
13- Compare gás metano e dióxido de carbono enquanto gases  que aumentam o efeito estufa?
14- O que pode acontecer se as pesquisas que mostram que as árvores produzem gás metano forem confirmadas?
15- Onde acreditava –se que o metano era produzido?
16- Por que os EUA se retiraram das negociações do Protocolo de Kyoto?
17- Qual é o 2º país maior poluente do mundo?
18- Por que o Brasil ficou livre de metas específicas do Protocolo de Kyoto?
19- Qual foi a resposta dos norte americanos a negativa dos EUA em assinar o Protocolo de Kyoto?
20- Que país inaugurou a primeira bolsa mundial para compra e venda de cotas de emissão de dióxido de carbono?
21- Qual era o objetivo da alternativa ao Protocolo de Kyoto elaborada por EUA e  Austrália?
22- Em que ano aconteceram mais catástrofes naturais? Quais foram as conseqüências?
23- Que fenômenos meteorológicos foram mais intensos em 2005?


Um comentário: