sábado, 27 de agosto de 2011

Atividades de História: Conteúdos Complementares do 2º ano do Ensino Médio COMPLEMENTAR:XIII. A expansão capitalista e o imperialismoA GRANDE DEPRESSÃO. IMPACTO DA CRISE DE 1929 E A ECONOMIA BRASILEIRA E MUNDIAL.


3º BIMESTRE 2º ANO EM.
Conteúdos Complementares de História do Ensino Médio 2º Ano - opção de área Ciências Humanas
Eixo Temático III Expansão das Fronteiras: a Guerra como Possibilidade Permanente
Tema 3: Expansão e Guerra
COMPLEMENTAR:XIII. A expansão capitalista e o imperialismo
• Analisar as características da chamada Segunda Revolução Industrial e seus efeitos na correlação de forças entre as nações européias.
• Conceituar capitalismo monopolista, estabelecendo diferenças entre o capitalismo comercial e o capitalismo industrial.
• Analisar o papel das teorias raciais na sustentação do imperialismo.
• Analisar movimentos de resistência à expansão européia.
• Situar temporal e espacialmente os diferentes processos de descolonização da África e da Ásia.
CONTEÚDO
- Expansão capitalista.
- Imperialismo.
( Nova Colonização)
 Primeira Guerra  Mundial.
Belle Época.
Crise na Bolsa de Valores.
Período entre Guerras.
Segunda Guerra Mundial.

 D16 - Caracterizar a divisão social do trabalho como um traço básico do capitalismo
Industrial
D17 - Relacionar a necessidade de conquista de novas fontes de matéria-prima e de
mercados consumidores com a expansão imperialista realizada pelas nações
industrializadas da Europa, os EUA e o Japão no século XIX
D36 - Apontar a balança comercial favorável como um dos elementos básicos do
mercantilismo.
D37 - Apontar o “exclusivo” metropolitano como um dos elementos básicos do
mercantilismo.

COMPLEMENTAR:XIII. A expansão capitalista e o imperialismo
A origem do  capitalismo está na passagem da Idade Média para a Idade Moderna. Com o renascimento urbano e comercial, surgiu na Europa uma nova classe social: a burguesia que buscava o lucro através do comercio, surgiram também os banqueiros e cambistas, cujo lucro estavam relacionados ao dinheiro em circulação: Lucro, acúmulo de riquezas, controle dos sistemas de produção e expansão dos negócios da burguesia são o embrião do capitalismo.
Primeira Fase: Capitalismo Comercial ou Pré-Capitalismo- Séc. XV
Inicia-se com as Grandes Navegações e Expansões Marítimas Européias, a burguesia começa a buscar riquezas em outras terras fora da Europa. Os comerciantes e a nobreza procuravam ouro, prata, especiarias e matérias-primas não encontradas na Europa. Estes comerciantes, financiados por reis e nobres, chegam à América e começam a exploração com objetivo de o enriquecimento e acúmulo de capital com as seguintes características capitalistas: busca do lucro, uso de mão-de-obra assalariada, moeda substituindo o sistema de trocas, relações bancárias, fortalecimento do poder da burguesia e desigualdades sociais.
Segunda Fase: Capitalismo Industrial Séc. XVIII
A  Revolução Industrial, iniciada na Inglaterra, fortalece o capitalismo, modifica o sistema de produção (coloca a máquina para fazer o trabalho dos artesãos). O dono da fábrica aumenta seu lucro, pois a produção é mais rápida. Por um lado esta mudança trouxe benefícios ( queda no preço das mercadorias), por outro  trouxe desemprego, baixos salários, péssimas condições de trabalho, poluição do ar e rios e acidentes nas máquinas.
Muitos países europeus, no século XIX, começaram a incluir a Ásia e a África dentro deste sistema. Estes dois continentes foram explorados pelos europeus, dentro do neocolonialismo. As populações destes continentes foram dominadas e tiveram suas matérias-primas e riquezas exploradas. Eram também forçados a trabalharem em jazidas de minérios e a consumirem os produtos industrializados das fábricas européias.
Terceira Fase: Capitalismo Monopolista-Financeiro séc. XX
O sistema bancário, as grandes corporações financeiras e o mercado globalizado levam ao desenvolvimento. Essa fase acontece até hoje.
Grande parte dos lucros e do capital em circulação no mundo passa pelo sistema financeiro. A globalização permite às grandes corporações multinacionais produzirem seus produtos em diversas partes do mundo, reduzir os custos e dentro de uma economia de mercado, vender seus produtos para vários países. Os sistemas informatizados possibilitam a circulação e transferência de valores em tempo real. Apesar das indústrias e do comércio continuarem a lucrar muito dentro deste sistema, podemos dizer que os sistemas bancário e financeiro são os que mais lucram e acumulam capitais atualmente.
História do Imperialismo e Neocolonialismo
Já em 1850, Inglaterra, FrançaAlemanhaBélgicaItália e EUA, eram grandes potências industriais. E exerceram atitudes imperialistas buscando influência em outros continentes. Com o objetivo de aumentarem seu lucro,  estes países se dirigiram à África, Ásia e Oceania, dominando e explorando estes povos. Não muito diferente do colonialismo dos séculos XV e XVI, que utilizou como desculpa a divulgação do cristianismo; o neocolonialismo do século XIX usou o argumento de levar o progresso da ciência e da tecnologia ao mundo. 
Na verdade, o que estes países queriam era o reconhecimento industrial internacional, e, para isso, foram em busca de locais onde pudessem encontrar matérias primas e fontes de energia. Os países escolhidos foram colonizados e seus povos desrespeitados, os países europeus dividiram entre si o território africano e asiático. Os colonizadores lutaram entre si para se sobressaírem comercialmente. Os EUA lutaram com a Espanha por Cuba. Vencida a Espanha teve que ceder as Filipinas aos EUA. Com a derrota dos chineses durante a Guerra do Ópio. A China teve que assinar o Tratado de Nanquim, que favorecia os ingleses. A dominação britânica foi marcada de crueldade e só teve fim com a  da revolução comunista na China. Outros conflitos imperialistas acabaram levando a 2ª Guerra Mundial.
Como conclusão, pode-se afirmar que os colonialistas só se interessavam pelo lucro das colônias. Foi somente no século XX que as colônias conseguiram suas independências, porém herdaram dos europeus  países marcados pela exploração, subdesenvolvimento e dificuldades políticas.


Complementar: XIII. A expansão capitalista e o imperialismo -  Relacione a 2º coluna de acordo com a 1ª
(1) Origem do  capitalismo
(2) Classe social que surgiu na Europa com o começo do capitalismo foi...
(3) a burguesia buscava lucro através...
(4) O começo do capitalismo se deu através
(   ) Surgiu na passagem da Idade Média para a Idade Moderna, com o renascimento urbano e comercial.
(   ) a burguesia
(   ) do comercio
(   ) acúmulo de riquezas, controle dos sistemas de produção e expansão dos negócios da burguesia.
Complementar: XIII. A expansão capitalista e o imperialismo : Sobre as fases do capitalismo relacione a 2ª coluna de acordo com a 1ª.
(1) 1ª Fase: Capitalismo Comercial ou Pré-Capitalismo- Séc. XV
(2) 2ª Fase: Capitalismo Industrial Séc. XVIII
(3) 3ª Fase: Capitalismo Monopolista-Financeiro séc. XX

(   ) Inicia-se com as Grandes Navegações e Expansões Marítimas Européias
(   ) A burguesia e a nobreza começam a buscar riquezas, procuram ouro, prata, especiarias e matérias-primas não encontradas na Europa.
(   ) Os comerciantes burgueses, financiados por reis e nobres, chegam à América e começam a exploração com objetivo de o enriquecimento e acúmulo de capital
(   ) teve com característica a busca do lucro, uso de mão-de-obra escrava, moeda substituindo o sistema de trocas, relações bancárias, fortalecimento do poder da burguesia e desigualdades sociais.
(   ) Teve início com a  Revolução Industrial, na Inglaterra.
(   ) Nesse período aconteceu a colonização e exploração da América.
(   ) Fortalece o capitalismo, modifica o sistema de produção (coloca a máquina para fazer o trabalho dos artesãos). O dono da fábrica aumenta seu lucro, pois a produção é mais rápida.
(   ) Trouxe benefícios como queda no preço das mercadorias, mas trouxe malefícios como desemprego, baixos salários, péssimas condições de trabalho, poluição do ar e rios e acidentes nas máquinas.
(   ) Nesse período aconteceu a neocolonização na África e Ásia,  a matéria prima e a riqueza foram exploradas, a população foi dominada, forçada a trabalhar em jazidas minerais e a consumir produtos industrializados da Europa.
(   ) Acontece até hoje com o sistema bancário, as grandes corporações financeiras e o mercado globalizado.
(   ) A globalização permite às grandes corporações multinacionais produzirem seus produtos em diversas partes do mundo, reduzir os custos e dentro de uma economia de mercado, vender seus produtos para vários países.
(   ) Os sistemas informatizados possibilitam a circulação e transferência de valores em tempo real.
(   ) Apesar das indústrias e do comércio continuarem a lucrar muito dentro deste sistema, podemos dizer que os sistemas bancário e financeiro são os que mais lucram e acumulam capitais.

Complementar: XIII. A expansão capitalista e o imperialismo: História do Imperialismo e Neocolonialismo. Coloque V ou F no que se refere ao neocolonialismo:
(   ) Já em 1850, Inglaterra, FrançaAlemanhaBélgicaItália e EUA, eram grandes potências industriais.
(   ) Com o objetivo de aumentarem seu lucro,  estes países imperialistas dominaram e exploraram a  África, Ásia e Oceania.
(   ) O colonialismo na América, séculos XV e XVI, utilizou como desculpa para a exploração a divulgação do cristianismo; e o o neocolonialismo do século XIX usou o argumento de levar o progresso da ciência e da tecnologia ao mundo. 
(   ) Os países europeus dividiram entre si o território africano e asiático,  foram em busca de locais onde pudessem encontrar matérias primas e fontes de energia, pois queriam o reconhecimento industrial internacional.
(   ) Os colonizadores lutaram entre si para se sobressaírem comercialmente, conseguindo maior território.
(   ) Os EUA lutaram com a Espanha por Cuba. Vencida a Espanha teve que ceder as Filipinas aos EUA. 
(   ) Com a derrota dos chineses durante a Guerra do Ópio. A China teve que assinar o Tratado de Nanquim, que favorecia os ingleses. A dominação britânica foi marcada de crueldade e só teve fim com a  da revolução comunista na China. 
(   ) Outros conflitos imperialistas acabaram levando a 2ª Guerra Mundial.
(   ) Os colonialistas só se interessavam pelo lucro das colônias. Foi somente no século XX que as colônias conseguiram suas independências, porém herdaram dos europeus  países marcados pela exploração, subdesenvolvimento e dificuldades políticas.

COMPLEMENTAR:XIV. A Primeira Grande Guerra
• Identificar as inovações tecnológicas que sustentaram a euforia européia no início do século XX.
• Caracterizar a Belle Époque, por meio da análise de diferentes fontes iconográficas.
• Explicar como se definiram os dois blocos de nações rivais a partir do início do século XX.
• Localizar geograficamente os principais impérios coloniais às vésperas da Primeira Grande Guerra.
• Contextualizar a eclosão do conflito./• Caracterizar as duas fases da guerra.
• Estabelecer relações entre a guerra e a Revolução Russa de 1917.
• Analisar dados estatísticos sobre o número de mortos civis e militares na guerra.
COMPLEMENTAR:XIV. A Primeira Grande Guerra
BELLE ÉPOQUE – Começou na França, mais ou menos em 1880, e se estendeu até a  Primeira Guerra Mundial, em 1914. No Brasil, tem início em 1889, com a Proclamação da República, e vai até 1922, com o Movimento Modernista e a Semana da Arte Moderna em São Paulo.  Esta é até hoje relembrada como uma época de florescimento do belo, de transformações, avanços e paz. Surgem novas descobertas e tecnologias como o  como o telefone, o telégrafo sem fio, o cinema, a bicicleta, o automóvel, o avião, entre outras invenções, e o cenário cultural fervilha com o aparecimento dos cabarés, do cancan, do cinema. Paris se torna o centro cultural mundial, com seus cafés-concertos, balés, operetas, livrarias, teatros, boulevards e a alta costura inspirando e influenciando várias regiões do Planeta. Este período testemunhou a escalada do socialismo. Mesmo com esta tensão no ar, o contexto desta época é lembrado como a era dourada, subitamente abalada pelo início da 1ª Guerra Mundial.
1ª GRANDE GUERRA MUNDIAL(1914-1918)
Antecedentes – Descontentamento com a partilha da Ásia e da África. ( Alemanha e Itália ficaram fora do processo neocolonial, enquanto França e Inglaterra exploravam diversas colônias, ricas em matérias-primas e com um grande mercado consumidor). A insatisfação da Itália e da Alemanha, é uma das causas da Grande Guerra, porque no início do século XX havia uma forte concorrência comercial entre os países europeus, na disputa pelos mercados consumidores. 
--Corrida armamentista para se protegerem, ou atacarem. Esta corrida bélica gerava  apreensão e medo, onde um tentava se armar mais do que o outro.
-- Rivalidade entre as duas nações poderosas da época (Inglaterra e França). A França havia perdido a região da Alsácia-Lorena para a Alemanha, durante a Guerra Franco Prussiana. O revanchismo francês esperava para retomar a rica região perdida.
-- O pan-germanismo e o pan-eslavismo. Existia uma forte vontade nacionalista dos germânicos em unir, em apenas uma nação, todos os países de origem germânica. O mesmo acontecia com os países eslavos.
O início da Grande Guerra- O estopim foi o assassinato de Francisco Ferdinando, príncipe do império austro-húngaro, durante sua visita a Saravejo (Bósnia-Herzegovina). As investigações levaram ao criminoso, um jovem sérvio, integrante do grupo mão-negra, contrário a influência da Áustria-Hungria nos Bálcãs. O império austro-húngaro não aceitou as medidas tomadas pela Sérvia com relação ao crime e, em 28 de julho de 1914, declarou guerra à Servia.
Política de Alianças- Os países europeus fizeram alianças políticas e militares:  Tríplice Aliança (Itália, Império Austro-Húngaro e Alemanha) e Tríplice Entente, (França, Rússia e Reino Unido). O Brasil participou do lado da Entente, enviando para os campos de batalha enfermeiros e medicamentos.
As batalhas desenvolveram-se principalmente em trincheiras. Os soldados ficavam, muitas vezes, centenas de dias entrincheirados, lutando pela conquista de pequenos pedaços de território. A fome e as doenças também eram os inimigos destes guerreiros. No fim da 1ª guerra, foram utilizados novas tecnologias bélicas (tanques de guerra e aviões). Enquanto os homens lutavam nas trincheiras, as mulheres trabalhavam nas indústrias bélicas como empregadas.
Fim do conflito-Só em 1917 os EUA entraram no conflito ao lado da  Entente, pois havia acordos comerciais a defender com Inglaterra e França (os EUA vendiam armas e outros produtos, se eles perdessem os EUA teriam prejuízos). A entrada dos EUA  marcou a vitória da Entente, forçando os países da Aliança a assinarem a rendição. Os derrotados  assinaram o Tratado de Versalhes que impunha restrições e punições. A Alemanha teve o exército reduzido, a indústria bélica controlada,  perdeu a região do corredor polonês, teve que devolver à França a região da Alsácia Lorena e teve que pagar os prejuízos da guerra dos países vencedores. O Tratado de Versalhes  influenciou a Segunda Guerra Mundial.A guerra gerou aproximadamente 10 milhões de mortos, o triplo de feridos, arrasou campos agrícolas, destruiu indústrias, além de gerar grandes prejuízos econômicos. – Depois da Guerra foi criada a Liga das Nações, com o objetivo de garantir a paz mundial. Conseqüências para o Brasil: fortalecimento e desenvolvimento da indústria.
Crise de 29 - Durante a 1ª Guerra Mundial, a economia norte-americana estava em pleno desenvolvimento (os EUA se tornaram o país mais rico do mundo) suas indústrias produziam e exportavam em grandes quantidades, principalmente, para os países europeus em guerra. Após a guerra o quadro não mudou, pois os países europeus estavam  reconstruindo suas indústrias e cidades e mantiveram suas importações. A situação começou a mudou em 1930. Reconstruídas, as nações européias diminuíram drasticamente a importação de produtos dos EUA. Com a diminuição das exportações, as indústrias norte-americanas aumentaram seus estoques. Grande parte destas empresas possuía ações na Bolsa de Valores de NovaYork e milhões de norteamericanos tinham investimentos nestas ações. Em outubro de 1929, percebendo a desvalorizando das ações, houve uma correria de investidores que pretendiam vender suas ações. O efeito foi devastador, pois as ações se desvalorizaram fortemente. Em poucos dias pessoas muito ricas ficaram pobres. O número de falências foi enorme e o desemprego atingiu  30% dos trabalhadores. A crise, também conhecida como “A Grande Depressão”, foi a maior da história dos EUA. Diversos países  mantinham relações comerciais com os EUA, e a crise se espalhou por quase todos os continentes. Os EUA eram o maior comprador do café brasileiro e com a crise a importação diminuiu e o preço do café caiu. Para que não houvesse uma desvalorização excessiva, o governo comprou e queimou toneladas de café para diminuir a oferta e conseguir manter o preço. Este fato trouxe algo positivo para a economia brasileira. Com a crise do café, muitos cafeicultores  investiram na industrialização, alavancando a indústria brasileira. A solução para a crise surgiu em 1933. No governo de Roosevelt, com o plano  New Deal ( um plano econômico que controlava os preços e a produção das indústrias e das fazendas). Com isto, o governo conseguiu controlar a inflação e evitar a formação de estoques. Fez parte do plano também o investimento em obras públicas (estradas, aeroportos, ferrovias, energia elétrica etc), conseguindo diminuir o desemprego. O programa foi tão bem sucedido que no começo da década de 1940 a economia norte-americana já estava funcionando normalmente.


COMPLEMENTAR:XIV. A Primeira Grande Guerra. Sobre a Belle Época coloque V ou F:
(   ) Começou na França, mais ou menos em 1880, e se estendeu até a  Primeira Guerra Mundial, em 1914.
(   ) No Brasil, tem início em 1889, com a Proclamação da República, e vai até 1922, com o Movimento Modernista e a Semana da Arte Moderna em São Paulo.  (   ) Foi a época de florescimento do belo, de transformações, avanços e paz.
(   ) Surgiram novas descobertas e tecnologias como o  como o telefone, o telégrafo sem fio, o cinema, a bicicleta, o automóvel, o avião, etc.
(   ) O cenário cultural fervilha era o centro das atenções  com o aparecimento dos cabarés, do cancan, do cinema.
(   ) Paris se tornou o centro cultural mundial, com seus cafés-concertos, balés, operetas, livrarias, teatros, boulevards (avenidas) e a alta costura.
(   ) Por causa do clima de paz, e liberdade esse período testemunhou a escalada do socialismo.
(   ) Essa era dourada só foi abalada pelo início da 1ª Guerra Mundial.
COMPLEMENTAR:XIV. A Primeira Grande Guerra.
1- Sobre a 1ª guerra responda rápido:
a- Quando:
b- Onde:
c- O que queria:
d- Estopim:
e- Marcou seu fim:


3- Sobre a 1ª Guerra marque V ou F
(   ) Os países se enfrentaram na 1ª guerra porque disputavam o mesmo mercado consumidor e território fornecedor de matéria prima.
(   ) O que marcou o início da 1ª guerra foi o assassinato de Francisco Ferdinando, príncipe do império austro-húngaro.
(   ) Os países europeus se uniram em alianças  políticas militares para se fortalecerem para um possível confronto.
(   ) Fizeram parte da Tríplice Aliança (Itália, Império Austro-Húngaro e Alemanha)
(   ) Fizeram parte da Tríplice Entente, (França, Rússia e Reino Unido).
(   ) O Brasil participou do lado da Entente, enviando para os campos de batalha enfermeiros e medicamentos.
(   ) A 1º guerra foi chamada de guerra de trincheiras.
(   ) No fim da 1ª guerra, foram utilizados tanques de guerra e aviões como armas de guerra.
(   ) Enquanto os homens lutavam nas trincheiras, as mulheres trabalhavam nas indústrias bélicas.
(   ) Os EUA adotaram atitude isolacionista e só em 1917 entraram no conflito ao lado da  Entente, pois havia acordos comerciais a defender com Inglaterra e França (os EUA vendiam armas e outros produtos, se eles perdessem os EUA teriam prejuízos).
(   ) A entrada dos EUA  marcou a vitória da Entente, forçando os países da Aliança a assinarem a rendição.
(   ) O Tratado de Versalhes impunha restrições e punições aos perdedores da guerra, a  Alemanha teve o exército reduzido, a indústria bélica controlada,  perdeu a região do corredor polonês, teve que devolver à França a região da Alsácia Lorena e teve que pagar os prejuízos da guerra dos países vencedores.
(   ) O revanchismo alemão contra o Tratado de Versalhes  influenciou a Segunda Guerra Mundial

2- O que foi:
a- O pangermanismo->
b- A guerra de trincheiras->
c- O tratado de Versalhes->
d- A corrida bélica->
e- A Entente->
f- A tríplice Aliança->
4-- Numere (1) para as causa e (2) para as conseqüências da 1ª guerra:
 (   ) Alemanha e Itália fora do processo neocolonial
(   ) Assinatura do tratado de Versalhes e rendição.
(   ) Corrida armamentista para se protegerem, ou atacar.
(   ) Vitória da Entente,
 (   ) EUA como o país mais rico do mundo.
(   ) Forte concorrência comercial entre os países europeus, na disputa pelos mercados consumidores. 
(   ) A Alemanha com exército reduzido, a indústria bélica controlada
(   ) A guerra gerou aproximadamente 10 milhões de mortos, o triplo de feridos, arrasou campos agrícolas, destruiu indústrias, além de gerar grandes prejuízos econômicos.
(   ) O pan-germanismo e o pan-eslavismo. Vontade nacionalista  em unir, em uma nação, todos os países da mesma origem.
 (   ) Criação da Liga das Nações, com o objetivo de garantir a paz mundial.
(   ) Fortalecimento e desenvolvimento da indústria brasileira
(   ) Descontentamento da Alemanha e da Itália com a partilha da Ásia e da África.

COMPLEMENTAR:XV. A Segunda Grande Guerra
• Operar com os conceitos: regime totalitário, regime autoritário, democracia liberal.
• Analisar charges que contextualizam a antevéspera da guerra.
• Caracterizar a ideologia nazista através da análise de documentários sobre os campos de concentração.
• Analisar,poemas, músicas, que retratam o impacto das bombas atômicas, jogadas em Hiroshima e Nagasaki, sobre a consciência mundial.
• Analisar estatísticas sobre o número de mortos civis e de mortos militares no conflito.
 


           A GRANDE DEPRESSÃO. IMPACTO DA CRISE DE 1929 E A ECONOMIA BRASILEIRA E MUNDIAL.
Durante a Primeira Guerra Mundial, a economia norte-americana estava em pleno desenvolvimento. As indústrias dos EUA produziam e exportavam em grandes quantidades, principalmente, para os países europeus que estavam em guerra.  Após a guerra o quadro não mudou, pois os países europeus estavam voltados para a reconstrução das indústrias e cidades, necessitando manter suas importações, principalmente dos EUA. A situação começou a mudar no final da década de 1920. Reconstruídas, as nações européias diminuíram drasticamente a importação de produtos industrializados e agrícolas dos Estados Unidos. Com a diminuição das exportações para a Europa, as indústrias norte-americanas começaram a aumentar os estoques de produtos, pois já não conseguiam mais vender como antes. Grande parte destas empresas possuíam ações na Bolsa de Valores de Nova York e milhões de norte-americanos tinham investimentos nestas ações. Em outubro de 1929, percebendo a desvalorizando das ações de muitas empresas, houve uma correria de investidores que pretendiam vender suas ações. O efeito foi devastador, pois as ações se desvalorizaram fortemente em poucos dias. Pessoas muito ricas, passaram, da noite para o dia, para a classe pobre. O número de falências de empresas foi enorme e o desemprego atingiu quase 30% dos trabalhadores.A crise, também conhecida como “A Grande Depressão”, foi a maior de toda a história dos Estados Unidos. Como nesta época, diversos países do mundo mantinham relações comerciais com os EUA, a crise acabou se espalhando por quase todos os continentes. A crise de 1929 afetou também o Brasil. Os Estados Unidos eram o maior comprador do café brasileiro. Com a crise, a importação deste produto diminuiu muito e os preços do café brasileiro caíram. Para que não houvesse uma desvalorização excessiva, o governo brasileiro comprou e queimou toneladas de café. Desta forma, diminuiu a oferta, conseguindo manter o preço do principal produto brasileiro da época. Por outro lado, este fato trouxe algo positivo para a economia brasileira. Com a crise do café, muitos cafeicultores começaram a investir no setor industrial, alavancando a indústria brasileira. A solução para a crise surgiu apenas no ano de 1933. No governo de Franklin Delano Roosevelt, foi colocado em prática o plano conhecido como New Deal, através dele os EUA adotaram  uma política econômica denominada de Estado de Bem Estar Social onde o estado assumia a função de regulação econômica.  O New Deal (novo acordo) foi  um  plano econômico que permitiu ao  governo norte-americano  controlar os preços e a produção das indústrias e das fazendas, controlando a inflação e evitando a formação de estoques.  Através desse plano econômico (new deal)  o governo investiu em obras públicas (estradas, aeroportos, ferrovias, energia elétrica etc), conseguindo diminuir o desemprego. O programa foi tão bem sucedido que no começo da década de 1940 a economia norte-americana já estava funcionando normalmente.
ATIVIDADE:
1-Porque a economia norte americana se desenvolveu  muito durante a Primeira Guerra Mundial?
2- Porque a economia dos EUA parou de crescer na década de 20? Diante disso o que aconteceu nas indústrias norte americanas?
3- Muitos norte americanos tinham ações nas bolsas de valores, mas com a diminuição das exportações houve desvalorização e os norte americanos correram para vender.  Qual a conseqüência desse ato?
4- Que conseqüência a crise econômica dos EUA deve para o Brasil?
5- O que o governo brasileiro fez para diminuir os efeitos da crise?
6- Que ponto positivo teve a crise dos EUA para a economia brasileira?
7- Qual foi a solução encontrada para a crise dos EUA?
8- O que foi o New Deal e o que ele permitiu que os EUA fizessem?



            Descritores:
D29 - Identificar a Guerra do Vietnã como um exemplo de conflito militar indireto envolvendo as superpotências durante o período da chamada Guerra Fria.
COMPLEMENTAR:XVI. Guerra Fria e mundo bipolar
• Contextualizar a construção do Muro de Berlim.
• Analisar textos sobre a Guerra da Coréia.
• Analisar a situação atual da Coréia do Sul e da Coréia do Norte.
• Analisar textos sobre a Guerra do Vietnã.
• Situar a Revolução Chinesa no mundo bipolar.
• Situar a Revolução Cubana no contexto da Guerra Fria.
• Situar o Golpe de 1964 e a ditadura militar no Brasil no contexto da Guerra Fria.
COMPLEMENTAR:XVII. A queda do Muro de Berlim
• Analisar os motivos da derrocada do sistema comunista.
• Analisar o impacto simbólico da queda do Muro de Berlim sobre as esquerdas no mundo.
• Analisar a configuração geopolítica do mundo após o fim do império soviético.
COMPLEMENTAR:XVIII. Conflitos regionais no mundo atual
• Localizar, geograficamente, os principais conflitos no mundo pós-queda do Muro de Berlim.
• Identificar as motivações de conflitos no mundo pós queda do Muro de Berlim, por meio de reportagens e análises veiculadas por revistas, sites, jornais, sobre os conflitos regionais.
CONTEÚDO
Conseqüências da segunda Guerra Mundial.
- Guerra Fria.
- Bipolarização.
- Conflitos no pós Guerra Fria.
- Invasão do Iraque.

AVALIAÇÔES:
Trabalho: Debate “branqueamento, teorias raciais”
Interpretação de texto “belle epoque”
Interpretação da poesia Rosa de Hiroshima e criação de uma poesia sobre os efeitos da bomba atômica.
CONTEXTUALIZAR A CONSTRUÇÃO DO MURO DE BERLIM.
Nas primeiras horas do dia 13 de agosto de 1961, um grupo de militares já estava bem adiantado na tarefa de cercar os portões de Brandenburgo com arame farpado. Em tempos de pós-Segunda Guerra, a ação era resultado da disputa entre os soviéticos socialistas e norte americanos capitalistas. Afinal de contas, ao dividirem o mundo em zonas de influência, o controle do território alemão representava uma conquista significativa. Nesse  contexto, os agentes do lado socialista tomaram a divisão física da Alemanha como solução.
Alguns dias depois, os oficiais da República Democrática Alemã, descarregaram sacos de areia, cimento e tijolos. Assim nascia o Muro de Berlim. Inicialmente, o arame farpado fora substituído por uma mureta que media apenas um metro de altura. Aos poucos, cercas, guaritas, sensores de movimento, minas terrestres e cães de guarda desnudavam o lugar que simbolizaria o epicentro da ordem bipolar. Dois dias após as primeiras obras, em alguns pontos onde antigos prédios serviam de extensão do muro, os civis atravessavam cômodos e janelas para fugirem para a banda capitalista.O absurdo segregacionista demonstrava claramente que o socialismo burocrata soviético não seria capaz de impor uma ampla e natural zona de influência política entre os alemães. Além disso, enquanto o “milagre econômico” (mais conhecido como “Wirtschaftwunde”o grande crescimento econômico) dos ocidentais se tornava realidade, o lado controlado pelos soviéticos experimentava uma época de retração em que o parque industrial encolhia e as condições de vida se tornavam mais difíceis. Paulatinamente, o fracasso do socialismo russo foi se somando às possibilidades de desconstrução daquela obra fria e abominável. No ano de 1973, as duas Alemanhas reatam os seus laços diplomáticos. Na década de 1980, os oficiais da Alemanha socialista permitiram que o outro lado fosse visitado somente após uma complicada avaliação do pedido e o pagamento de um pedágio de 25  marcos.  Nessa mesma época, várias pichações anônimas e a declaração oficial norte-americana defendiam a extinção do Muro de Berlim. No ano de 1989, os húngaros abriram suas fronteiras e, com isso, permitiram que milhares de orientais alcançassem o outro lado. Enquanto isso, a ascensão política de Mikhail Gorbachev na União Soviética indicava que o bloco socialista politicamente se esfacelava. Em 9 de novembro de 1989, a Alemanha Oriental permitiu a travessia para o outro lado. Em clima de festa, os alemães retiravam pedaços de concreto que viabilizaram uma divisão obtusa e traumática.
ATIVIDADES:
1-A 2º guerra mundial teve fim em 1945, Que países foram os grandes vencedores da guerra?
2-Quando foi construído o muro de Berlim?
3-Por que o muro de Berlim foi construído?
4-O que representou o epicentro da ordem bipolar?
5-O que o povo da Alemanha socialista começou a fazer depois da construção do muro?
6-O que  foi o milagre econômico?
7-Enquanto acontecia o milagre econômico do lado sob influencia dos EUA como era do lado soviético?
8-Quais foram os primeiros passos para a destruição do muro de Berlim?
9-Que presidente as URSS apoiou a fim do socialismo?


A COMPARAÇÃO DA GUERRA DO VIETNÃ E DO IRAQUE
Em meio à tão conturbada guerra do Iraque, a comparação com o Vietnã é inevitável. A princípio pelo pretexto alegado pelos EUA para participar da guerra do Vietnã (1964-1975), que, para vários especialistas, foi quase tão infundado quanto a tal evidência alegada pelos americanos de que o Iraque tinha armas de destruição em massa. No caso do Vietnã, tudo se iniciou em julho de 1964, quando navios americanos teriam sido atacados pelos comunistas do Vietnã do Norte ao patrulharem o golfo de Tonquin. Sabe-se que esse ataque não passou de uma desculpa para o governo americano intervir diretamente na região. Já que desde 1962, os EUA enviavam armas, dinheiro e assessores militares para a ditadura pró-capitalista do Vietnã do Sul resistir aos comunistas do norte do país. Uma vez lá, assim como hoje no Iraque, o exército americano descobriu que seu poderio bélico não era capaz de dominar a resistência vietnamita. Beneficiados com uma rede de abrigos subterrâneos e túneis, os vietcongues contra-atacavam por meio de armadilhas e emboscadas. Além disso, a transmissão pela TV das mortes de soldados americanos e de civis vietnamitas desmoronou a popularidade da Casa Branca, que foi alvo de milhares de manifestantes, durante o governo Nixon. Eles exigiam o fim de uma guerra cujo prejuízo financeiro e de vidas se tornaria insustentável. O que não é tão diferente da atual conjuntura que os EUA viveram  na guerra com o Iraque. A grande diferença até o presente momento é o saldo de mortes das duas guerras, do Vietnã foram 500 mil mortos e no Iraque 132 mil (últimos dados divulgados). Nos dois casos os EUA tiveram que se retirar do território ocupado. No caso do Vietnã os EUA assinaram rendição...Foi a única vez que os EUA perderam uma guerra, não por falta de poder bélico mas por pressão da opinião pública.
1-Qual foi o pretexto para os EUA declararem guerra ao Vietnã?
2-Qual foi o pretexto para os EUA declararem guerra ao Iraque?
3-Por que EUA ajudavam os vietnamitas do sul?
4-O que ajudou os vietnamitas a resistir ao poder bélico(de guerra) dos EUA?

OS HIPPIES POSICIONARAM-SE POLITICAMENTE SOBRE VÁRIAS QUESTÕES DE SUA ÉPOCA.
Na década de 1960, o movimento hippie apareceu disposto a oferecer uma visão de mundo inovadora e distante dos vigentes ditames da sociedade capitalista. Em sua maioria jovens, os hippies abandonavam suas famílias para se entregarem a uma vida regada por sons, drogas alucinógenas e a busca por outros padrões de comportamento. Ao longo do tempo, ficariam conhecidos como a geração da “paz e amor”. Mas, muitos deles não se portavam simplesmente como um bando de hedonistas, drogados e alheios ao que acontecia ao seu redor. Ao longo da década de 1960, junto do movimento negro, os integrantes dessa geração discutiram questões políticas de grande relevância e se organizaram para levar a público uma opinião sobre diversos acontecimentos contemporâneos. Conseguindo mobilizar uma enorme quantidade de pessoas, os hippies lutaram pela ampliação dos direitos civis e o fim das guerras que aconteciam naquele momento. Em várias situações, a influência das autoridades sob os meios de comunicação acobertavam a discussão que se desenvolvia, para assim reforçar os comportamentos marginais dos hippies. Não raro, a força policial era acionada para que esses “desordeiros” fossem retirados do espaço público. Entre os grandes confrontos do movimento hippie, se destaca o movimento feito em Chicago, a chamada “Festa da Vida” onde os hippies lançaram um porco (chamado de “Pigasus”) como candidato a presidente dos EUA. O clima de tensão entre os policiais e os manifestantes logo esquentou, e a pancadaria tomou conta do lugar. Vale lembrar que, um pouco antes do acontecido, a mortes de Martin Luther King e Bob Kennedy já esquentava o clima de tensão entre os conservadores e liberais. E isso foi só o começo, já que a insatisfação pioraria com a eleição de Richard Nixon (1969 - 1974), um presidente de clara orientação conservadora. No dia 4 de maio de 1969, os hippies e outros estudantes mobilizaram-se para protestar contra a Guerra do Vietnã e a do Camboja, quatro pessoas morreram e outras nove ficaram feridas. Apesar de projetarem outra sociedade e buscarem novas formas de percepção, os hippies se colocavam como uma voz ativa contra algumas ações políticas da época.

1-Que sistema econômico era contestado pelos hippies?
2- Como era a vida dos hippies?
3- O que significou a expressão  geração “paz e amor”?
4- Por que se diz que muitos dos hippies não se portavam simplesmente como um bando de hedonistas, drogados e alheios ao que acontecia ao seu redor?
5- Que outro movimento de minoria se unia aos hippies para realizar protestos contra a política da época?
6- Os meios de comunicação apoiavam o movimento hippie? Justifique.
7- O que aconteceu na chamada “Festa da Vida”?

Rosa de Hiroshima
Composição: João Apolinário / Gerson Conrradi
Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas, oh, não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa, sem nada
Faça uma poesia falando das destruições da bomba atômica

Nenhum comentário:

Postar um comentário