sábado, 17 de outubro de 2009

EXEMPLOS DE QUESTÕES DO ENEM 2009

EXEMPLOS DE QUESTÕES DO ENEM 2009

1- A Superintendência Regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)
desenvolveu o projeto “Comunidades Negras de Santa Catarina”, que tem como objetivo preservar a memória do povo afrodescendente no sul do País. A ancestralidade negra é abordada em suas diversas dimensões: arqueológica, arquitetônica, paisagística e imaterial. Em regiões como a do Sertão de Valongo, na cidade de Porto Belo, a fixação dos primeiros habitantes ocorreu imediatamente após a abolição da escravidão no Brasil. O Iphan identificou nessa região um total de 19 referências culturais, como os conhecimentos tradicionais de ervas de chá, o plantio agroecológico de bananas e os cultos adventistas de adoração.
O texto acima permite analisar a relação entre cultura e memória, demonstrando que:
(A) as referências culturais da população afrodescendente estiveram ausentes no sul do País,cuja composição étnica se restringe aos brancos.
(B) a preservação dos saberes das comunidades afrodescendentes constitui importante elemento na construção da identidade e da diversidade cultural do País.
(C) a sobrevivência da cultura negra está baseada no isolamento das comunidades tradicionais,
com proibição de alterações em seus costumes.
(D) os contatos com a sociedade nacional têm impedido a conservação da memória e dos
costumes dos quilombolas em regiões como a do Sertão de Valongo.
(E) a permanência de referenciais culturais que expressam a ancestralidade negra compromete
o desenvolvimento econômico da região.

2-O tráfico de escravos em direção à Bahia pode ser dividido em quatro períodos:
1.o – O ciclo da Guiné durante a segunda metade do século XVI;
2.o – O ciclo de Angola e do Congo no século XVII;
3.o – O ciclo da Costa da Mina durante os três primeiros quartos do século XVIII; 4.o – O ciclo da Baía de Benin entre 1770 e 1850, estando incluído aí o período do tráfico clandestino.
A chegada dos daomeanos (jejes) ocorreu nos dois últimos períodos. A dos nagô-iorubás corresponde, sobretudo, ao último. A forte predominância dos iorubás na Bahia, de seus usos e costumes, seria explicável pela vinda maciça desse povo no último dos ciclos
Os diferentes ciclos do tráfico de escravos da costa africana para a Bahia, no Brasil, indicam que:
(A) o início da escravidão no Brasil data do século XVI, quando foram trazidos para o Nordeste
os chamados “negros da Guiné”, especialistas na extração de ouro.
(B) a diversidade das origens e dos costumes de cada nação africana é impossível de ser
identificada, uma vez que a escravidão moldou os grupos envolvidos em um processo cultural comum.
(C) os ciclos correspondentes a cada período do tráfico de diferentes nações africanas para a
Bahia estão relacionados aos distintos portos de comercialização de escravos.
(D) o tráfico de escravos jejes para a Bahia, durante o ciclo da Baía de Benin, ocorreu de forma
mais intensa a partir do final do século XVII até a segunda metade do século XVIII.
(E) a escravidão nessa província se estendeu do século XVI até o início do século XVIII,
diferentemente do que ocorreu em outras regiões do País.

 3-O desenho do artista uruguaio Joaquín Torres-García trabalha com uma representação diferenteda usual da América Latina. Em artigo publicado em 1941, em que apresenta a imagem e trata doassunto, Joaquín afirma: “Quem e com que interesse dita o que é o norte e o sul? Defendo a chamada Escola do Sul porque na realidade, nosso norte é o Sul. Não deve haver norte, senão em oposição ao nosso sul.Por isso colocamos o mapa ao revés, desde já, e então teremos a justa ideia de nossa posição, e não como querem no resto do mundo. A ponta da América assinala insistentemente o sul, nosso norte”.
O referido autor, no texto e imagem acima,
(A) privilegiou a visão dos colonizadores da América.
(B) questionou as noções eurocêntricas sobre o mundo.
(C) resgatou a imagem da América como centro do mundo.
(D) defendeu a Doutrina Monroe expressa no lema “América para os americanos”.
(E) propôs que o sul fosse chamado de norte e vice-versa.

4-Figuram no atual quadro econômico mundial países considerados economias emergentes,também chamados de novos países industrializados. Apresentam nível considerável de industrialização e alto grau de investimentos externos, no entanto as populações desses países convivem com estruturas sociais e econômicas arcaicas e com o agravamento das condições de vida nas cidades. As principais economias emergentes que despertam o interesse dos empresários do mundo são: Brasil, Rússia, Índia e China (BRIC). Tais países apresentam características comuns, como mão-de-obra abundante e significativas reservas de recursos minerais.
Diante do quadro apresentado, é possível inferir que a reunião desses países, sob a sigla BRIC,aponta para:
(A) um novo sistema socioeconômico baseado na superação das desigualdades que conferiam
sentido à ideia de Terceiro Mundo.
(B) a razoabilidade do pleito de participarem do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (C) a melhoria natural das condições sociais em decorrência da aceleração econômica e da
redução dos níveis de desemprego.
(D) a perspectiva de que se tornem, a médio prazo, economias desenvolvidas com uma série de desafios comuns.
(E) a formação de uma frente diplomática com o objetivo de defender os interesses dos países menos desenvolvidos.
5 E porque diabos caminhamos como carneiros sem sequer saber para onde vamos.
“Eu não vou mais precisar de muita força, vou usar todas as que tenho agora” – ele pensou. E ele se lembrou das moscas que rebentam suas perninhas ao tentarem escapar do mata-moscas.
O Controle Social pode ser tomado como um conjunto de penalidades e aprovações, chamadas
também de sanções. Estas são aplicadas aos indivíduos pela sociedade para assegurar a conformidade das condutas aos modelos estabelecidos. A imagem e o texto destacam aspectos relativos
(A) à garantia de liberdade coletiva pelo uso da força.
(B) aos anseios idealistas utópicos perante as convenções sociais.
(C) à natureza imitadora da maioria dos indivíduos diante das instituições sociais.
(D) à possibilidade de reação e reversão de processos condicionantes.
(E) às relações de poder presentes nas sociedades.

6-Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo. [...] Quis criar liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás, mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma.VARGAS, Getúlio. Carta Testamento, 1954
O contexto político tratado refere-se a um significativo período da história do Brasil, o 2º Governo de Vargas (1951-1954), que foi marcado pelo aumento da infiltração do Partido Comunista Brasileiro (PCB) nos sindicatos e pelo distanciamento entre Getúlio e os militares que o haviam apoiado durante o Estado Novo. O conteúdo da carta testamento de Getúlio aponta para a:
(A) existência de um conflito ideológico entre as forças nacionais e a pressão do capital internacional.
(B) tendência de instalação de um governo com o apoio do povo e sob a égide das privatizações.
(C) construção de um pacto entre o governo e a oposição visando fortalecer a Petrobrás.
(D) iminência de um golpe protagonizado pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB).
(E) pressão dos militares contra o monopólio estatal sobre a exploração e a comercialização do petróleo.

7-A crise de 1929 e dos anos subsequentes teve sua origem no grande aumento da produção industrial e agrícola, nos EUA, ocorrido durante a 1ª Guerra Mundial, quando o mercado consumidor, principalmente o externo, conheceu ampliação significativa. O rápido crescimento da produção e das empresas valorizou as ações e estimulou a especulação, responsável pela "pequena crise" de 1920-21. Em outubro de 1929, a venda cresceu nas Bolsas de Valores,criando uma tendência de baixa no preço das ações, o que fez com que muitos investidores ou especuladores vendessem seus papéis. De 24 a 29 de outubro, a Bolsa de Nova York teve um prejuízo de US$ 40 bilhões. A redução da receita tributária que atingiu o Estado fez com que os empréstimos ao exterior fossem suspensos e as dívidas, cobradas; e que se criassem também altas tarifas sobre produtos importados, tornando a crise internacional.
Os fatos apresentados permitem inferir que:
(A) as despesas e prejuízos decorrentes da 1ª Guerra Mundial levaram à crise de 1929, devido
à falta de capital para investimentos.
(B) o significativo incremento da produção industrial e agrícola norte-americana durante a 1ª
Guerra Mundial consistiu num dos fatores originários da crise de 1929.
(C) a queda dos índices nas Bolsas de Valores pode ser apontada como causa do aumento dos
preços de ações nos EUA em outubro de 1929.
(D) a crise de 1929 eclodiu nos EUA a partir da interrupção de empréstimos ao exterior e da
criação de altas tarifas sobre produtos de origem importada.
(E) a crise de 1929 gerou uma ampliação do mercado consumidor externo e,consequentemente, um crescimento industrial e agrícola nos EUA.

8-A economia solidária foi criada por operários, no início do capitalismo industrial, como resposta à
pobreza e ao desemprego que resultavam da utilização das máquinas, no início do século XIX.Com a criação de cooperativas (de produção, de prestação de serviços, de comercialização ou de crédito), os trabalhadores buscavam independência econômica e capacidade de controlar as novas tecnologias, colocando-as a serviço de todos os membros da empresa. Essa ideia persistiu e se espalhou: da reciclagem ao microcrédito, já existem milhares de empreendimentos desse tipo hoje em dia, em várias partes do mundo. Na economia solidária, todos os que trabalham são proprietários da empresa. Trata-se da possibilidade de uma empresa sem divisão entre patrão e empregados, sem busca exclusiva pelo lucro e mais apoiada na qualidade do que na quantidade de trabalho, em convivência com a economia de mercado.
A economia solidária, na sociedade capitalista, institui complexas relações sociais,demonstrando que:
(A) a fraternidade entre patrões e empregados, comum no cooperativismo, tem gerado
soluções criativas para o desemprego desde o início do capitalismo.
(B) a rejeição ao uso de novas tecnologias torna a empresa solidária mais ecologicamente
sustentável que os empreendimentos capitalistas tradicionais.
(C) a prosperidade do cooperativismo, assim como a da pirataria e das formas de economia
informal, resulta dos benefícios do não pagamento de impostos.
(D) as contradições inerentes ao sistema podem resultar em formas alternativas de produção.
(E) o modelo de cooperativismo dos regimes comunistas e socialistas representa uma
alternativa econômica adequada ao capitalismo.

9-O efeito estufa não é fenômeno recente e, muito menos, naturalmente maléfico. Alguns dos gases que o provocam funcionam como uma capa protetora que impede a dispersão total do calor e garante o equilíbrio da temperatura na Terra. Cientistas americanos da Universidade da Virgínia alegam ter descoberto um dos primeiros registros da ação humana sobre o efeito estufa. Há oito mil anos, houve uma súbita elevação da quantidade de CO2 na atmosfera terrestre. Nesse mesmo período, agricultores da Europa e da China já dominavam o fogo e haviam domesticado cães e ovelhas. A atividade humana da época com maior impacto sobre a organização social e sobre o ambiente foi o começo do plantio de trigo, cevada, ervilha e outros vegetais. Esse plantio passou a exigir áreas de terreno livre de sua vegetação original, providenciadas pelos inúmeros grupos humanos nessas regiões com métodos elementares de preparo do solo, ainda hoje, usados e condenados, em razão dos problemas ambientais decorrentes
Segundo a hipótese levantada pela pesquisa sobre as primeiras atividades humanas organizadas,
o impacto ambiental mencionado foi decorrente
(A) da manipulação de alimentos cujo cozimento e consumo liberavam grandes quantidades de
calor e gás carbônico.
(B) da queima ou da deterioração das árvores derrubadas para o plantio, que contribuíram para
a liberação de gás carbônico e poluentes em proporções significativas.
(C) do início da domesticação de animais no período mencionado, a qual contribuiu para uma
forte elevação das emissões de gás metano.
(D) da derrubada de árvores para a fabricação de casas e móveis, que representou o principal
fator de liberação de gás carbônico na atmosfera naquele período.
(E) do incremento na fabricação de cerâmicas que, naquele período, contribuiu para a liberação
de material particulado na atmosfera.

10-Em fevereiro de 1999, o Seminário Internacional sobre Direito Ambiental, ocorrido em Bilbao, na Espanha, propôs, na Declaração de Viscaia, a extensão dos direitos humanos ao meio ambiente,como instrumento de alcance universal. No parágrafo 3.o do artigo 1.o da referida declaração, fica estabelecido: “O direito ao meio ambiente deverá ser exercido de forma compatível com os demais direitos humanos, entre os quais o direito ao desenvolvimento”. No Brasil, o cumprimento desse direito configura um grande desafio. Na Região mazônica, por exemplo, tem havido uma coincidência entre as linhas de desmatamento e as novas fronteiras de desenvolvimento do agronegócio, marcadas por focos de injustiça ambiental, com frequentes casos de escravização de trabalhadores, além de conflitos e crimes pela posse de terras, muitas vezes, impunes.
Promover justiça ambiental, no caso da Região Amazônica brasileira, implica
(A) fortalecer a ação fiscalizadora do Estado e viabilizar políticas de desenvolvimento sustentável.
(B) ampliar o mercado informal de trabalho para a população com baixa qualificação profissional.
(C) incentivar a ocupação das terras pelo Estado brasileiro, em face dos interesses internacionais.
(D) promover alternativas de desenvolvimento sustentável, em razão da precariedade tecnológica local.
(E) ampliar a importância do agronegócio nas áreas de conflito pela posse de terras e combater
a violência no campo.
-Questão 1 – Gabarito: B
Habilidade 2 – Analisar a produção da memória pelas sociedades humanas.
Questão 2 – Gabarito: C
Habilidade 5 – Identificar as manifestações ou representações da diversidade do patrimônio cultural e
artístico em diferentes sociedades.
Questão 3 – Gabarito: B
Habilidade 6 – Interpretar diferentes representações gráficas e cartográficas dos espaços geográficos.
Questão 4 – Gabarito: D
Habilidade 7 – Identificar os significados histórico-geográficos das relações de poder entre as nações.
Questão 5 – Gabarito: E
Habilidade 14 – Comparar diferentes pontos de vista, presentes em textos analíticos e interpretativos, sobre
situação ou fatos de natureza histórico-geográfica acerca das instituições sociais, políticas e econômicas.
Questão 6 – Gabarito: A
Habilidade 15 – Avaliar criticamente conflitos culturais, sociais, políticos, econômicos ou ambientais ao
longo da história.
Questão 7 – Gabarito: B
Habilidade 18 – Analisar diferentes processos de produção ou circulação de riquezas e suas implicações
socioespaciais.
Questão 8 – Gabarito: D
Habilidade 25 – Identificar estratégias que promovam formas de inclusão social.
Questão 9 – Gabarito: B
Habilidade 27 – Analisar de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, levando em
consideração aspectos históricos e(ou) geográficos.
Questão 10 – Gabarito: A
Habilidade 30 – Avaliar as relações entre preservação e degradação da vida no planeta nas diferentes
escalas.

Como elaborar questões de acordo com a proposta do SIMAVE

Como elaborar questões de acordo com a proposta do SIMAVE.
Como serão as questões das provas de múltipla escolha?

1. Serão compostas por enunciado e alternativas (resposta correta e distratores).
2. Os enunciados apresentarão desafios ou situações‐problema com o apoio de informações presentes em textos, mapas, tabelas, gráficos, documentos históricos e outros, sobre os quais são formuladas as perguntas.
3. Cada enunciado deverá conter as informações necessárias para que o aluno possa responder ao desafio, questão ou situação ‐problema (evitando a ênfase na simples memorização).
4. A resposta correta será a palavra ou frase contida em uma alternativa que responde à questão proposta no enunciado.
5. Os distratores são alternativas incorretas, porém plausíveis, sobre os temas e problemas propostos nos itens

Os parâmetros curriculares para o Ensino Médio --Matriz de Referência: Eixos, Temas e Descritores Geografia e História

Os parâmetros curriculares para o Ensino Médio --Matriz de Referência: Eixos, Temas e Descritores
Eixo 1. Sociedade e natureza
Tema 1.1. Estudos sobre a natureza e sua importância para as sociedades humanas
Descritores
▪ Compreender processos associados às origens, gênese e constituição atual do planeta Terra
▪ Saber utilizar informações sobre o Universo, o Sistema Solar e os corpos celestes para compreender dinâmicas naturais do planeta Terra
▪ Reconhecer os processos de formação e distribuição de continentes e oceanos na superfície da Terra
▪ Compreender aspectos da constituição da litosfera e a ocorrência de movimentos tectônicos,sismos e abalos na crosta terrestre
▪ Reconhecer processos de constituição, formas e níveis de altitude dos diferentes tipos de relevo da superfície da Terra
▪ Reconhecer processos de formação, composição e distribuição de solos em diferentes sistemas naturais
▪ Reconhecer e avaliar a distribuição e disponibilidade de água no Brasil e no mundo
▪ Compreender o funcionamento do ciclo da água considerando características dos diferentes sistemas naturais no Brasil e no mundo
▪ Identificar características das principais bacias hidrográficas no Brasil e no mundo e avaliar seu uso e aproveitamento
▪ Identificar e caracterizar tipos climáticos no Brasil e no mundo, considerando as diferentes classificações existentes
▪ Compreender processos de circulação atmosférica e características climáticas (pluviosidade,temperatura, umidade, insolação etc.) de diferentes regiões da superfície da Terra e sua relação com a vida cotidiana
▪ Conhecer sistemas de previsão do tempo e sua importância para as atividades cotidianas
▪ Identificar a distribuição e características de coberturas vegetais no Brasil e no mundo e avaliar a importância da preservação de sua biodiversidade
▪ Estabelecer relações entre as coberturas vegetais e o clima
▪ Compreender a dinâmica natural de ambientes litorâneos e estuarino‐lagunares e avaliar sua importância para a geração das formas de vida
▪ Identificar e compreender a distribuição da fauna na superfície terrestre e suas interações com os ambientes e sistemas naturais
▪ Reconhecer e analisar formas e interações entre os elementos de origem natural em diferentes paisagens
▪ Compreender e analisar o papel das expedições científicas para a ampliação de conhecimentos sobre a natureza e a vida social no Brasil e no mundo
Tema 1.2. Apropriação e usos da natureza pelas sociedades/Desenvolvimento sustentável --
Descritores
▪ Relacionar as formas de trabalho aos diferentes usos e modos de apropriação da natureza
▪ Compreender as formas de apropriação dos recursos naturais pelos seres humanos ao longo da história e suas conseqüências para a vida no planeta.
▪ Avaliar os atuais padrões de consumo e suas repercussões no uso dos recursos naturais e na vida social como um todo
▪ Estabelecer relações entre formas de relevo e solos e as formas de uso e ocupação de diferentes espaços
▪ Compreender processos históricos de uso e ocupação de diferentes biomas no Brasil e no mundo e avaliar riscos aos ambientes e formas de vida
▪ Avaliar efeitos do desmatamento e das queimadas em florestas tropicais
▪ Compreender e analisar processos de erosão, perda de fertilidade, desertificação e salinização dos solos e sua relação com as atividades humanas
▪ Reconhecer e avaliar efeitos da impermeabilização de solos e ocupação de encostas, fundos de vale e outras áreas de risco nas cidades
▪ Reconhecer e avaliar a produção, deposição e técnicas de coleta e processamento do lixo em diferentes espaços e seus impactos
▪ Conhecer e avaliar causas e efeitos da poluição industrial e atmosférica em diferentes regiões
▪ Reconhecer e analisar dados e fatores relacionados aos processos de mudanças climáticas, emissão de gases‐estufa e aquecimento global e avaliar seus efeitos
▪ Conhecer e avaliar causas e efeitos da contaminação de solos e recursos hídricos no meio rural no Brasil e no mundo
▪ Estabelecer relações entre atividades de extração mineral, desmatamento e contaminação da água e dos solos e avaliar seus efeitos
▪ Conhecer e avaliar usos da natureza e seus eventuais impactos a partir da criação de sistemas de energia, transportes e comunicações
▪ Avaliar impactos da indústria do turismo em diferentes espaços e biomas no Brasil e no mundo
▪ Reconhecer e compreender o papel e a importância de iniciativas sustentáveis para os ambientes, a vida social e a conservação de recursos para as gerações futuras
▪ Identificar espécies da flora e da fauna sob ameaça ou risco de extinção e avaliar iniciativas para a sua preservação
▪ Identificar diferentes técnicas de coleta, reciclagem e reaproveitamento do lixo no Brasil e em outros países
▪ Conhecer e avaliar métodos, técnicas e procedimentos para evitar o desperdício e comprometimento da água e avaliar suas repercussões
▪ Conhecer processos de obtenção e funcionamento fontes alternativas de energia e avaliar seus efeitos para os ambientes e a vida em geral
▪ Compreender o papel de iniciativas e políticas de transporte que reduzam ou eliminem a emissão de gases‐estufa e o nível de poluição atmosférica
▪ Conhecer práticas de turismo sustentável e avaliar sua contribuição para a conservação dos ambientes e para a vida em geral
▪ Analisar iniciativas, técnicas e políticas de conservação e recuperação de coberturas vegetais em diferentes biomas no Brasil e no mundo
▪ Conhecer e analisar práticas agrícolas alternativas e sustentáveis
▪ Conhecer, localizar e analisar usos nas unidades que compõem o Sistema Nacional de Unidades de Conservação
▪ Localizar e caracterizar zonas de megadiversidade no Brasil e no mundo e reconhecer a importância de sua preservação
▪ Conhecer e avaliar aspectos da legislação ambiental brasileira
▪ Conhecer os principais protocolos, acordos e convenções internacionais sobre desenvolvimento
sustentável e suas repercussões no combate à pobreza, às desigualdades sociais e ao comprometimento dos recursos naturais
▪ Comparar propostas para problemas de natureza socioambiental respeitando os direitos humanos e a diversidade sociocultural
Eixo 2. Linguagens da geografia, história e áreas afins Tema 2.1. Leitura e produção de textos em gêneros diversos
Descritores
▪ Estabelecer diferenças entre as linguagens verbais e não‐verbais utilizadas em estudos geográficos e históricos
▪ Ler e interpretar textos escritos e orais segundo diferentes esferas discursivas e gêneros de texto
▪ Produzir textos orais e escritos segundo diferentes esferas discursivas e gêneros de texto
▪ Saber utilizar a leitura e a escrita em gêneros diversos para discutir diferentes fatos, fenômenos e contextos geográficos e históricos
▪ Desenvolver procedimentos para leitura e interpretação de imagens como fotografias, desenhos, charges, ilustrações, gravuras, pinturas e outras para discutir diferentes fenômenos geográficos e históricos
▪ Desenvolver procedimentos para observar, registrar e descrever fatos, fenômenos e objetos a partir de trabalhos de campo e estudos do meio
▪ Saber utilizar registros e anotações feitos em trabalhos de campo e estudos do meio para expor e explicar fatos, fenômenos, processos e contextos geográficos e históricos
▪ Utilizar dados graficamente representados para interpretar aspectos relacionados à vida econômica e social dos países
▪ Utilizar recursos da leitura e escrita em procedimentos de pesquisa em diferentes fontes,documentos e suportes de texto
▪ Saber utilizar recursos de informática e internet para buscar informações, ler e produzir textos em gêneros diversos
Tema 2.2. Leitura e interpretação de mapas
Descritores
▪ Compreender a linguagem cartográfica como registro visual universal, apropriando‐se de seus símbolos, códigos e convenções
▪ Desenvolver procedimentos para ler e interpretar informações representadas em tabelas, gráficos,mapas e esquemas
▪ Compreender a importância das representações cartográficas para a análise da diversidade de paisagens, lugares e territórios
▪ Reconhecer e utilizar os elementos estruturais de um mapa (título, escala, legenda, projeção,coordenadas geográficas, símbolos e fontes) para sua leitura e interpretação
▪ Reconhecer as modalidades de representação em mapas (ordens, quantidades, diferenças,movimentos) e seus respectivos símbolos, referências gráficas e modos de implantação
▪ Compreender o conceito de escala cartográfica e sua importância para a análise geográfica
▪ Conhecer e utilizar os pontos ou direções cardeais como referenciais para orientação em diferentes representações cartográficas
▪ Reconhecer o sistema de coordenadas geográficas como referenciais para a localização de pontos na superfície terrestre
▪ Ler, interpretar e elaborar legendas de mapas levando em conta variáveis visuais e modos de implantação de informações (ponto, linha e zona)
▪ Ler e interpretar informações representadas em plantas, cartas, mapas e croquis sem escala
▪ Ler e interpretar mapas temáticos para compreender diferentes fenômenos de origem natural ou social
▪ Saber utilizar o mapa de fusos horários em cálculos de tempo, distância e horários de diferentes pontos da superfície da Terra
▪ Reconhecer, ler e interpretar mapas turísticos em diferentes escalas
Eixo 3. O campo e a cidade Tema 3.1. Urbanização brasileira e mundial--
Descritores
▪ Conhecer e analisar processos de crescimento populacional e da urbanização no Brasil e no mundo
▪ Compreender a cidade como objeto espacial construído historicamente e caracterizado pela densidade, concentração e diversidade de pessoas, recursos, atividades e edificações
▪ Compreender as transformações históricas ocorridas nos centros urbanos em função do desenvolvimento econômico
▪ Identificar, localizar e analisar o peso político, econômico, social e cultural das metrópoles mundiais
▪ Conhecer aspectos das origens, gênese e constituição atual da rede urbana brasileira
▪ Compreender e analisar o papel e a distribuição de atividades econômicas em cidades e no meio rural
▪ Compreender a natureza dos fluxos e relações entre cidades a partir dos sistemas de transportes,comunicações e informações
▪ Conhecer e analisar a emergência das cidades médias e das aglomerações urbanas não metropolitanas no Brasil
▪ Compreender as relações campo‐cidade a partir da expansão do modo de vida urbano
▪ Conhecer e avaliar a oferta e distribuição de habitações, equipamentos, infra‐estruturas e serviços públicos em cidades do Brasil e do mundo
▪ Reconhecer e avaliar situações de segregação social/espacial em cidades brasileiras e de outras regiões e países do mundo
▪ Conhecer os vários fluxos imigratórios para o Brasil e analisar seu impacto na vida social e cultural das cidades brasileiras.
▪ Compreender e avaliar causas e efeitos de enchentes, desmoronamentos e constituição de outras áreas de risco em cidades
▪ Compreender e avaliar medidas e políticas públicas de combate à pobreza e garantia do direito à cidade no Brasil e no mundo
▪ Analisar características da produção agropecuária e do extrativismo mineral, vegetal e animal no Brasil e no mundo
▪ Avaliar o papel e a importância de espaços públicos, parques e áreas verdes em diferentes cidades
▪ Identificar e avaliar atividades no meio rural voltadas ao turismo e lazer de populações urbanas
▪ Conhecer e avaliar a expansão e organização do turismo de sol e praia em cidades litorâneas brasileiras
▪ Identificar e analisar infra‐estrutura, serviços e equipamentos voltados ao turismo em cidades brasileiras
Tema 3.2. Cidades: espaço e tempo
Descritores
▪ Analisar a diversidade de paisagens das cidades, reconhecendo os elementos de origem natural e social e seus respectivos arranjos espaciais
▪ Analisar a importância dos diversos conjuntos arquitetônicos urbanos para a preservação da memória e das identidades locais e nacionais
▪ Avaliar o papel dos centros antigos para a preservação da memória e das identidades em diferentes
núcleos urbanos
▪ Compreender o papel de monumentos, museus e edificações de diferentes períodos como patrimônio cultural relacionado à memória e identidade de cidades e regiões
▪ Reconhecer a importância do patrimônio cultural para as atividades de turismo e visitação em diferentes cidades do Brasil e do mundo
▪ Conhecer o estado da preservação das cidades históricas brasileiras e avaliar sua importância para as atividades de turismo e visitação
▪ Conhecer e valorizar práticas sociais de turismo e visitação que preservem o patrimônio cultural de diferentes cidades e sítios históricos
Eixo 4. Mobilidade geográfica Tema 4.1. Redes de energia, transportes, comunicações e informações Descritores
▪ Conhecer e analisar o desenvolvimento técnico e a distribuição das redes de transporte ferroviário e seu papel na integração do território no Brasil e em outros países
▪ Conhecer e analisar o desenvolvimento técnico e a distribuição das redes de transporte rodoviário e seu papel na integração do território no Brasil e em outros países
▪ Conhecer e analisar o desenvolvimento técnico do transporte aeroviário, a distribuição e categorias dos aeroportos e seu papel nos fluxos e integração do território no Brasil e no mundo
▪ Conhecer e analisar o desenvolvimento técnico do transporte marítimo e fluvial, a distribuição e categorias dos portos e seu papel nos fluxos e integração do território no Brasil e no mundo
▪ Conhecer e analisar o desenvolvimento técnico e distribuição das redes de energia no Brasil e no mundo e analisar seu papel nos fluxos econômicos e na integração social e territorial
▪ Estabelecer relações entre energia, meios de transporte e meio ambiente
▪ Conhecer e avaliar o desenvolvimento técnico, implantação e difusão dos sistemas de telecomunicações e informações no Brasil e no mundo
▪ Avaliar o papel das tecnologias de informática na difusão de informações e na integração entre países e regiões
▪ Refletir sobre o papel e a condição das redes técnicas de transportes e comunicações como fator de mobilidade e acessibilidade e da circulação de bens, pessoas e informações
▪ Analisar políticas de transporte urbano e metropolitano, avaliando o papel dos transportes coletivos e do automóvel individual
Tema 4.2. Fluxos e deslocamentos
Descritores
▪ Conhecer e analisar a natureza, características, fluxos e direções dos deslocamentos populacionais atuais (migrações de trabalho, refugiados políticos, guerras e conflitos regionais, turismo e visitação,atividades econômicas e outras)
▪ Reconhecer os fluxos turísticos internacionais atuais, analisando intensidades, direções e principais áreas emissoras e receptoras
▪ Reconhecer e avaliar direções, natureza e intensidade dos fluxos turísticos no Brasil hoje
▪ Compreender as transformações da intensidade, natureza e direção dos fluxos migratórios no Brasil e no mundo
▪ Estabelecer relações entre deslocamentos e políticas de controle da entrada de estrangeiros e da imigração em diferentes países
Tema 4.3. Viagem e turismo--
Descritores
▪ Conhecer e analisar a evolução histórica das atividades de turismo e viagem no Brasil e no mundo
▪ Conhecer a natureza, funções e organização espacial de diferentes lugares turísticos
▪ Analisar registros de viajantes sobre o Brasil em diferentes períodos históricos
▪ Compreender e avaliar características das principais áreas emissoras e receptoras de fluxos turísticos no Brasil e no mundo
▪ Analisar dinâmicas e intensidade de fluxos turísticos entre países do Mercosul e da América do Sul
▪ Analisar fluxos turísticos a partir do embarque e desembarque de passageiros em diferentes meios de transporte
▪ Conhecer e analisar indicadores derivados das atividades características do turismo (ACT):equipamentos ou serviços de agências de viagem, hospedagem, alimentação, transporte, cultura,lazer e entretenimento
▪ Conhecer e analisar dados e indicadores de receitas e geração de emprego e renda decorrentes das atividades de turismo no Brasil e em outros países
▪ Conhecer e analisar categorias e modalidades de turismo e perfis do turista segundo a faixa etária,renda, motivação e características dos espaços turísticos visitados
▪ Compreender processos históricos de constituição de lugares turísticos e avaliar suas repercussões
▪ Avaliar o papel do turismo de massa no comprometimento de recursos naturais, humanos,econômicos e sociais dos diferentes espaços de visitação
▪ Conhecer e avaliar novas modalidades de turismo em áreas rurais e ecoturismo, analisando fluxos,direções e características dos espaços de visitação
▪ Identificar e analisar equipamentos, serviços, infra‐estruturas e receitas do turismo ligado a eventos, negócios e convenções em cidades brasileiras
▪ Conhecer e avaliar políticas públicas para o turismo em escala local, regional e nacional no Brasil
Eixo 5. Um só mundo, muitos cenários geográficos e históricos--Tema 5.1. Diversidade cultural--Descritores
▪ Reconhecer a diversidade de paisagens no Brasil e no mundo e seus elementos de origem natural e cultural
▪ Reconhecer, valorizar e respeitar a diversidade do patrimônio cultural material e imaterial em diferentes sociedades
▪ Identificar características de diferentes patrimônios étnico‐culturais e artísticos no Brasil e em outros países
▪ Reconhecer, valorizar e respeitar a diversidade lingüística e religiosa no Brasil e no mundo
▪ Identificar e analisar propostas que reconheçam a importância do patrimônio étnico‐cultural para a preservação da memória e das identidades nacionais
▪ Compreender e analisar as diferentes temporalidades e modos de vida presentes nas sociedades indígenas brasileiras
▪ Conhecer os processos de constituição e localizar terras indígenas e comunidades descendentes de quilombolas
▪ Estabelecer diferenças entre os modos de vida urbano e rural no Brasil e no mundo atual
▪ Reconhecer os espaços de diferentes minorias étnicas ou nacionais no Brasil e no mundo
▪ Compreender a diversidade regional como elemento da organização do espaço geográfico nacional
▪ Conhecer, valorizar e respeitar manifestações artísticas e culturais das diferentes regiões brasileiras, envolvendo produção de obras de arte, festas, danças, ritmos musicais e hábitos alimentares
▪ Conhecer e analisar propostas de combate ao preconceito e discriminação de raça, gênero, origem e orientação sexual no Brasil e no mundo
▪ Identificar características da vida social e cultural brasileira durante o período colonial
▪ Identificar elementos relacionados à diversidade cultural do Brasil, tendo em vista a história da colonização
▪ Compreender o significado dos achados arqueológicos para o estudo da organização social e da vida cultural de povos ▪ Compreender a organização social e a vida cultural dos seres humanos que viveram na pré‐história a partir de achados
▪ Compreender fatos da vida social e cultural do presente a partir da análise do passado
Tema 5.2. Quadro político e econômico--
Descritores
▪ Compreender as singularidades dos lugares e suas interações sociais, econômicas e culturais com o mundo
▪ Compreender as principais características dos processos de constituição dos Estados nacionais modernos
▪ Compreender o processo histórico de constituição do Estado brasileiro
▪ Localizar países, regiões e continentes no mapa‐múndi político e em mapas regionais
▪ Compreender e avaliar as relações de poder entre as nações e quadro geopolítico atual
▪ Identificar e analisar a ocorrência de guerras e conflitos regionais em diferentes países e continentes
▪ Reconhecer e avaliar o papel dos arsenais bélico‐nucleares como fonte de poder no mundo contemporâneo
▪ Compreender movimentos nacionalistas e separatistas e sua relação com a criação de novos Estados nacionais, considerando aspectos históricos
▪ Reconhecer e analisar aspectos da produção econômica em diferentes setores de atividade no Brasil e no mundo
▪ Compreender e analisar as dinâmicas demográficas em diferentes países, sociedades e culturas,levando‐se em conta indicadores de natalidade, mortalidade e migrações
▪ Avaliar o grau de desenvolvimento humano e econômico‐social de países e regiões a partir de indicadores diversos
▪ Compreender processos de constituição da globalização como nova escala de relações humanas eavaliar seus efeitos
▪ Analisar e compreender a inserção do Brasil na economia mundial no contexto atual da globalização
▪ Compreender o papel dos territórios e das redes geográficas como expressões da espacialidade do mundo atual
▪ Compreender e analisar a atuação do Brasil no plano externo levando em conta os seus interesses econômicos e geopolíticos diante de outros países e blocos regionais
▪ Reconhecer as mudanças nas fronteiras e extensão de Estados a partir da emergência de blocos comerciais regionais e o surgimento ou desaparecimento de soberanias nacionais
▪ Compreender e avaliar as dinâmicas e conflitos em zonas de fronteira em diferentes regiões e continentes
▪ Reconhecer e avaliar o papel dos sistemas de energia, transporte, comunicação e informação para a constituição de uma esfera global de relações humanas
▪ Compreender a organização de atividades econômicas transnacionais no contexto da globalização
▪ Compreender o papel das inovações tecnológicas e da produção de conhecimentos para a vida econômica e social no mundo contemporâneo
▪ Avaliar a desigual distribuição e apropriação de bens de alta tecnologia nas diferentes sociedades
▪ Compreender a organização político‐social e a vida cultural dos povos da América antes da chegada dos europeus
▪ Analisar e interpretar as transformações econômicas e sociais vividas pelos países comunistas ao longo do séc XX e XXI
▪ Compreender a organização política e o significado das guerras para as sociedades da Antiguidade
▪ Reconhecer em diferentes documentos históricos os fundamentos da cidadania e da democracia presentes na vida social contemporânea

Descritores de Língua Portuguesa em Geografia e História,

GEOGRAFIA


Linguagem cartográfica
Desenvolver a capacidade de fazer a leitura do espaço, utilizando-se da linguagem cartográfica como forma de orientação,locomoção e localização.Contextualização sócio-espacial
Sentir-se membro integrante da humanidade,consciente das contradições historicamente construídas e sujeitas a mudanças que estará capacitado a propor.
Situar-se no espaço e no tempo sentindo-se sujeito da organização e capaz, através do pensamento reflexivo, de interferir na construção e reconstrução destes.
Perceber-se como ser humano agente de sua história e da história universal, podendo assim contribuir no desenvolvimento individual e coletivo.Interação/ação
Compreender a dinâmica das mudanças sociais ao longo do tempo e do espaço, para intervir e interagir como agente modificador via conhecimento adquirido, na busca de melhor qualidade de vida.
Compreender o processo de desenvolvimento da sociedade, como sendo decorrente das relações espaciais homem-naturezasociedade em seus desdobramentos, a fim de que possa ousar propor mudanças ou resistir às imposições.
Perceber as relações do local/global como espaços de conflitos, de forças antagônicas na busca do entendimento dos processos socioeconômicos, nas quais o agente está inserido, promovendo justiça social,distribuição econômica e equilíbrio ambiental.
Entender os fatores que geram a mobilidade social, buscando formas de mudança (autogestão)preservando a identidade num mundo globalizado.
Utilizar o conhecimento ecológico, para organizar propostas de utilização racional dos recursos energéticos e hídricos, na melhoria da qualidade de vida da sociedade atual e gerações futuras, atuando na transformação e na preservação do meio.
HISTÓRIA
Ser humano situado no tempo e no espaço
Entender-se como sujeito histórico situado no tempo e no espaço, interagindo nas relações sociais e nos princípios da cidadania.
Compreender a organização das sociedades nos diferentes tempos e espaços.
Entender o mundo em que vive e dimensionaros vários e simultâneos tempos históricos.
Ser humano sujeito da história
Perceber-se como um ser político socialmente ativo.
Compreender as relações de produção e suainfluência na formação da sociedade.
Aplicar o conhecimento histórico no cotidiano de suas relações sociais e culturais.
Situar-se como agente construtor da História,numa sociedade em constante transformação, relacionando presente –passado – presente, numa perspectiva local –global – local.
Agir como um sujeito livre, crítico e autônomo,capaz de intervir nas relações sociais existentes.
Ser humano cultural e social
Valorizar a herança histórico-cultural percebendo suas interferências no mundo contemporâneo.
Construir identidades pessoal e social,desenvolvendo valores e atitudes,respeitando a diversidade.

Descritores de Língua Portuguesa, conforme distribuição de prioridades, na 3ª série do ensino médio*

 Descritores de Língua Portuguesa, conforme distribuição de prioridades, na 3ª série do ensino médio*

Tópico I – Prioridade 3 Procedimentos de Leitura
D1 Localizar informações explícitas em um texto. P3
D3 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. P2
D4 Inferir uma informação implícita em um texto. P1
D6 Identificar o tema de um texto. P3
D14 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. P4
Tópico II - Prioridade 5 Implicações do Suporte, do Gênero e/ou Enunciador na Compreensão do Texto
D5 Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propagandas,quadrinhos, foto, etc.). P1
D12 Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros. P1
Tópico III – Prioridade 4 Relação entre Textos
D20 Reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daquelas em que será recebido. P1
D21 Reconhecer posições distintas entre duas ou mais opiniões relativas ao mesmo fato ou ao mesmo tema. P1
Tópico IV - Prioridade 1 Coerência e Coesão no Processamento de Textos
D2 Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a continuidade de um texto. P2
D7 Identificar a tese de um texto. P1
D8 Estabelecer relação entre a tese e os argumentos oferecidos para sustentá-la. P1
D9 Diferenciar as partes principais das secundárias em um texto. P1
D10 Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa. P2
D11 Estabelecer relação causa/conseqüência entre partes e elementos do texto. P1
D15 Estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc. P1
Tópico V - Prioridade 2 Relações entre Recursos Expressivos e Efeitos de Sentido
D16 Identificar efeitos de ironia ou humor em textos variados. P1
D17 Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações. P3
D18 Reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada palavra ou expressão. P2
D19 Reconhecer o efeito de sentido decorrente da exploração de recursos ortográficos e/ou morfossintáticos. P3
Tópico VI - Prioridade 5 Variação Lingüística
D13 Identificar as marcas lingüísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto. P1

 São modalidades estruturais da inteligência: conjunto de ações e operações mentais que o sujeito utiliza para estabelecer relações com e entre os objetos, situações, fenômenos e pessoas que deseja conhecer.
o que são competências cognitivas?Quais aspectos cognitivos serão Avaliados
 saber inferir;
 Atribuir sentido;
 Articular partes e todo;
 Excluir;
 Comparar;
 Observar;
 Identificar;
 Tomar decisões;
 Reconhecer;
 Fazer correspondências.

O que é?
A Matriz de Referência é um documento que dispõe sobre Eixos, Temas e Descritores definidos para elaborar as provas
Como os educadores podem utilizar a Matriz? Como referência para organizarem planos de estudos.
Qual é a estrutura da Matriz de Referência? A Matriz de Referência está estruturada em Eixos, Temas e Descritores. Os Eixos e Temas são campos de estudo da geografia, história e áreas afins a serem desenvolvidos na escola, com vistas à compreensão das diferentes realidades econômicas, sociais, políticas e culturais. Eles servirão como roteiro aos estudantes e educadores em sua participação nas diferentes etapas do Desafio.
São cinco Eixos:
1. Sociedade e natureza
2. Linguagens da geografia, história e áreas afins
3. O campo e a cidade
4. Mobilidade geográfica
5. Um só mundo, muitos cenários geográficos e históricos

Conteúdo para ser trabalhado no 3º ano--Ensino Médio História--


CONTEÚDO COMPLEMENTAR DE GEOGRAFIA 3º ANO ENSINO MÉDIO. 1º BIM
EIXO TEMÁTICO VII TEMA 7 : A RELAÇÃO SOCIEDADE E NATUREZA EM QUESTÃO
SUBTEMAS
• Regiões hidroconflitivas do planeta Terra
• Desertificação climática, desertificação ecológica
• Megadiversidade brasileira: mito ou realidade?
Quadrilátero Ferrífero: domínios da natureza e políticas ambientais
Mutações no Mundo Natural
TÓPICOS--26. RECURSOS HÍDRICOS -  OP—25-- RECURSOS HÍDRICOS R.A—28-- RECURSOS HÍDRICOS.
HABILIDADES--26.1. Avaliar os acordos e controles da gestão ambiental da água.
26.1.1. Analisar as políticas públicas em nível nacional e internacional para o resguardo do patrimônio ambiental do planeta.
CONCEITUAR:
água potável - qualidade de vida - esgoto, lixo, efluentes industriais - mercúrio dos garimpos clandestinos - desmatamentos -  queimadas - lençol freático - planeta superpovoado - sistema hidrológico global - conflitos de territorialização da água doce no planeta -  as implicações socioambientais da construção de hidrelétricas - desenvolvimento sustentável - gestão ambiental da água  
O QUE ENSINAR
- As regiões hidroconflitivas do planeta, avaliando as políticas em nível nacional e internacional para sua gestão
- Fenômenos meteorológicos relacionados aos recursos hídricos contidos em linguagens cartográfica e estatística
- Transformações geográficas nas regiões atingidas pela construção de barragens identificando as críticas e contestações de que é alvo problematizando a gestão e a gestão ambiental da água.

TÓPICO--27. PADRÃO DE PRODUÇÃO E CONSUMO OP—26-- PADRÃO DE PRODUÇÃO E CONSUMO. R.A—31— PADRÃO DE PRODUÇÃO E CONSUMO.
HABILIDADES--27.1. Prognosticar sobre o futuro do planeta, tendo como referência os padrões de produção e consumo do capitalismo global.
27.1.1. Explicar, na perspectiva da sustentabilidade, os padrões de produção e de consumo que têm referenciado o desenvolvimento econômico do capitalismo global.
CONCEITUAR- consumo sustentável - Cúpula Rio-92 -  consumo e produção insustentáveis - fontes de energias renováveis - Capitalismo econômico.- Desenvolvimento econômico.- Processos climáticos e hidrológicos.
O QUE ENSINAR
• Os padrões de produção e consumo que têm referenciado o desenvolvimento econômico capitalista sob a ótica da sustentabilidade
• A relação entre o efeito estufa e o buraco da camada de ozônio com o padrão de produção e consumo
• Confronto de dados entre o consumo dos países centrais com os países periféricos.
DESCRITORES:
D84 - Comparar os principais usos e formas de ocupação dos diversos domínios naturais e suas implicações socioambientais.
D85 - Comparar as principais bacias hidrográficas do mundo, do ponto de vista físico e socioeconômico.
D86 - Reconhecer o potencial de uso dos oceanos: maricultura, exploração de petróleo,extração mineral.
D39 - Associar o mapa hipsométrico, o mapa das bacias hidrográficas e o potencial
energético dos rios brasileiros.
D89 - Avaliar, através de textos, gráficos e tabelas, a importância dos recursos hídricos para a vida dos seres humanos.
AVALIAÇÂO:
1) O aumento da demanda por água é provocado pelo crescimento da população,pelo desenvolvimento industrial e pela expansão da agricultura irrigada. Busque comprovação da afirmativa em reportagens divulgadas na mídia escrita e eletrônica. Faça um resumo da informação e apresente à turma. Problematize e participe do debate.
Debate: como estimular o cidadão do espaço de vivência/brasileiro a produzir e consumir de forma sustentável?




CONTEÚDO COMPLEMENTAR DE GEOGRAFIA  3º ANO ENSINO MÉDIO. 2º BIM

TÓPICO--28. DINÂMICA TERRESTRE OP—27-- DINÂMICA TERRESTRE. R.A—29-- DINÂMICA TERRESTRE.
HABILIDADES--28.1. Reconhecer os fenômenos responsáveis pela dinâmica terrestre.
28.1.1. Explicar os fenômenos da dinâmica terrestre relacionados ao tectonismo e vulcanismo, tendo como referência o movimento das placas tectônicas.
28.1.2. Explicar os fenômenos relacionados à litosfera, hidrosfera e atmosfera.
CONCEITUAR; dinâmica  terrestre - uso/abuso pela dos ecossistemas terrestres -  litosfera – vulcanismo -
- Gestão insustentável/sustentável dos recursos do território - poluição urbano-industrial -  chuva ácida/ilhas de calor/efeito estufa/aquecimento global - explosão do turismo -  furacões - monções
O QUE ENSINAR
• Paisagens que evidenciam a dinâmica terrestre e seu uso como atratividade das áreas turísticas.
Impactos do vulcanismo em regiões da terra.
Os tornados, furacões e suas conseqüências.                  O El Niño e La Nina.
• Impactos do aquecimento global na dinâmica terrestre
• Mecanismo da formação de ilhas de calor, da chuva ácida e do efeito estufa
TÓPICO--29. DESERTIFICAÇÃO  OP—28—DESERTIFICAÇÃO. R.A—30—DESERTIFICAÇÃO.
29.1. Reconhecer os processos ecológicos e antrópicos da desertificação
29.1.1. Analisar textos, mapas, gráfi cos, tabelas e imagens sobre a desertificação em processo no Norte de Minas Gerais: área de abrangência, localização geográfica, municípios em situação de risco e suas conseqüências em âmbito natural, social, urbano, institucional.
29.1.2. Analisar textos, mapas, gráfi cos, tabelas e imagens sobre a desertificação e arenização em processo no Brasil.
CONCEITUAR: Agenda 21 – Desertificação - semi-áridas -  subúmidas - variações climáticas pastoreio - uso agrícola - mineração predatória - desmatamentos - clima árido -  espécies xerófilas – erosão - intemperismo -  decomposição química das rochas - vazios demográficos - evaporação - precipitação - caráter antrópico predatório - Tipos de solos.
O QUE ENSINAR
As habilidades propostas para o desenvolvimento deste tópico focalizam:
• Os custos da desertificação em nível de impactos naturais, sociais, econômicos, urbanos e institucionais através de comparação de dados expressos em mapas e gráficos
• O fenômeno da desertificação ecológica no mundo relacionando sua área de abrangência com as características dos países endividados e periféricos
• A desertificação no estado de Minas Gerais: área de abrangência, localização geográfica, municípios em situação de risco e elaborar um texto sobre conseqüências de âmbito natural, social, urbano, institucional, os programas de combate e os resultados obtidos.
TÓPICO--30. DIVERSIDADE BIOLÓGICA OP—29-- DIVERSIDADE BIOLÓGICA. R.A—32--DIVERSIDADE BIOLÓGICA.
-30.1. Avaliar o potencial da biodiversidade dos ambientes tropicais.
30.1.1. Avaliar os limites e possibilidades do trabalho compartilhado entre Organizações Não-Governamentais (ONG) e empresas transnacionais com vistas à manutenção da diversidade biológica e o combate à biopirataria.
CONCEITUAR: material - maior patrimônio genético do planeta - Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (Rio-92) - recursos biológicos  - povos indígenas e comunidades tradicionais (seringueiros, ribeirinhos, quilombolas) - conhecimento tradicional  -  Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (CGEN). – megadiversidade- biodiversidade
biotecnologias -  engenharia genética
O QUE ENSINAR
A megadiversidade brasileira                Conhecimento tradicional.                 Biopirataria
Limites e possibilidades do trabalho compartilhado entre organizações não-governamentais e empresas transnacionais com vistas à manutenção da diversidade biológica
Projetos integrados do ponto de vista social, econômico e ecológico em áreas de ocorrência da Mata Atlântica.
DESCRITORES:
D88 - Analisar as razões do crescimento do movimento ambientalista no mundo, com base em artigos de jornais e revistas.
D90 - Compreender as transformações ambientais decorrentes do efeito estufa.
D91 - Relacionar as práticas turísticas em diferentes áreas do globo com as características ambientais dos lugares.
D87 - Analisar as conseqüências da diminuição da camada de ozônio para a vida na Terra

CONTEÚDO COMPLEMENTAR DE GEOGRAFIA  3º ANO ENSINO MÉDIO. 3º BIM

EIXO TEMÁTICO VIITEMA 8 : AS NOVAS FRONTEIRAS DO CAPITALISMO GLOBAL: OS TERRITÓRIOS NAS NOVAS REGIONALIZAÇÕES
SUBTEMAS:
• Globalização e pluralidade cultural
• O papel das instituições internacionais na regulação do território mundial
• As telecomunicações unindo o mundo em redes digitais
• O crescimento dos países emergentes no movimento da globalização
Os Cenários da Globalização e Fragmentação.
TÓPICOS--31. TERCEIRO SETOR - OP—30-- TERCEIRO SETOR. R.A—33--TERCEIRO SETOR.
HABILIDADES--31.1. Reconhecer a importância do terceiro setor e os projetos de inclusão social nos países periféricos.
31.1.1. Interpretar textos, mapas, tabelas e gráficos como portadores de informação de tipos de organização, freqüência, distribuição e localização do Terceiro Setor no Brasil e no mundo.
CONCEITUAR:
- papel do Estado - primeiro setor - setor privado - segundo setor- terceiro setor - ONGs - globalização e fragmentação - segregação espacial - redes de solidariedade.
O QUE ENSINAR
• O que é o terceiro setor, quem participa, como funciona, como interfere na configuração espacial
• O terceiro setor como alternativa de inclusão social: as rádios comunitárias, os projetos de primeiro emprego, a responsabilidade social de empresas e o desenvolvimento local
• O terceiro setor no espaço globalizado: onde cresce (países) e como interfere nas políticas e no desenvolvimento
TÓPICO--32. FLUXOS ECONÔMICOS  OP—34-- FLUXOS ECONÔMICOS. R.A—36--FLUXOS ECONÔMICOS. OP—
32.1. Analisar os fluxos econômicos que expressam uma territorialidade visível, tais como: Nafta, Mercosul, União Européia, Apec e Asean.
32.1.1. Avaliar as contradições que envolvem a relação MERCOSUL e ALCA
CONCEITUAR -meio técnico científico - fluxos econômicos-  globalização - corporações multinacionais -  Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento - blocos econômicos- democracia liberal- geografia dos excluídos - mecanismos jurídicos, nacionais e supranacionais democráticos e solidários como OIT (Organização Mundial do Trabalho), UNESCO, Conselho Mundial de Igrejas, sindicatos, comunidades solidárias, organizações não-governamentais, Cruz Vermelha, Médicos Sem Fronteiras, Anistia Internacional e grupos de Defesa dos Direitos Humanos. Incorpora-se a estas instituições, a economia solidária, do terceiro setor, agrupando de forma superficial e imprecisa, filantropia e caridade; e, também, as ONG's, empresas privadas, institutos, fundações e organizações sem fins lucrativos
O QUE ENSINAR
• Os fluxos econômicos e as relações comerciais entre blocos econômicos e países
• As redes e os fluxos, a territorialidade da infra-estrutura para a globalização expressando diferentes paisagens
• Os fluxos financeiros e suas implicações na reorganização do capital, no atual estágio da globalização
• As relações geopolíticas decorrentes dos fluxos econômicos
33--DESTERRITORIALIZAÇÃO E REDES DE SOLIDARIEDADE R.A—37-- DESTERRITORIALIZAÇÃO E REDES DE SOLIDARIEDADE.
O QUE ENSINAR
- A migração e o desemprego recriando novas territorializações na espacialidade das cidades globais
- Os desafios da gestão solidária do território
- As políticas públicas de inclusão e a emergência do terceiro setor refletindo sobre a construção das redes de solidariedade
- O movimento da população na contemporaneidade mundial e as múltiplas desterritorialidades político, sociais e culturais
- As redes de solidariedade a exclusão social
- O mapa da exclusão social no Brasil e no mundo
CONCEITUAR:desterritorializadas ou em trânsito na busca de novos países e da solidariedade humana. São eles:México, Gibraltar, Rússia, Vietnã, Afeganistão, Líbano, Curdistão, Croácia, Sudão, Tanzânia, Ruanda, Zaire, Angola, Moçambique, Equador, Amazônia, Honduras, Índia, Filipinas. - refugiados, - migrantes ilegais, dos despatriados.
Médicos Sem Fronteiras, Cruz Vermelha, os Grupos de Defesa dos Direitos Humanos, as ONG’s
DESCRITORES:
D58 - Diferenciar Nação (questão cultural) de Estado Nacional (territorial e político).
D59 - Analisar a concepção de Estado a partir do surgimento do Estado alemão.
D60 - Analisar, a partir de textos e mapas geopolíticos, o cenário mundial no período entre guerras e pós-II Guerra Mundial.
D61 - Analisar o fortalecimento dos Estados Unidos a partir da implementação política do New Deal.
D62 - Relacionar os principais aspectos do nazi-facismo com estabelececimento do
terceiro Reich alemão.
D63 - Associar os resultados da Conferência de Yalta com fortalecimento da URSS no contexto europeu e da Conferência de Potsdam à divisão da Alemanha. (O)
D64 - Diferenciar os sistemas político-econômicos que se estabelecem na Alemanha dividida.
D65 - Analisar a importância da ONU nas relações internacionais de poder do mundo pós-guerra.
D66 - Analisar a Doutrina Truman e sua influência política através da Teoria da Contenção,econômica, através do Plano Marshall, e militar, através da OTAN. (G)
D67 - Reconhecer os objetivos da OTAN e suas alterações ao longo do tempo. (B)
D68 - Associar a Doutrina Monroe com a atuação dos Estados Unidos na América Latina,destacando-se Cuba.
D69 - Analisar o arranjo geopolítico mundial a partir da queda do muro de Berlim.
D70 - Analisar, do ponto de vista histórico e geopolítico, o conflito árabe-israelense.
4.2 O processo de descolonização afro-asiática e a ideologia terceiro-mundista
D71 - Analisar, com o auxílio de um planisfério ou textos, o processo de descolonização afro-asiático.
D72 - Relacionar o enfraquecimento geopolítico das potências européias com o processo de descolonização afro-asiático.
D73 - Identificar os principais objetivos da Conferência de Bandung e o surgimento da concepção terceiro-mundista.
4.3 Redefinições da Ordem Mundial: crises do Sistema Soviético e as transformações do Leste Europeu
D74 - Avaliar os problemas político-econômicos da URSS durante os governos de Stálin até Gorbatchev e os principais objetivos da perestroika e da glasnost.
D75 - Relacionar a desintegração da URSS com as recentes transformações sociopolíticas econômicas no Leste Europeu e na Alemanha unificada.
2.6 Os blocos econômicos e a formação dos grandes mercados
D34 - Analisar historicamente a formação dos Blocos Econômicos como a União Européia,
NAFTA, o MERCOSUL e dos Tigres Asiáticos (Nic’s). (G)
D35 - Explicar o funcionamento da União Européia, do NAFTA e do MERCOSUL.
AVALIAÇÂO
Debates destacando a constituição do MERCOSUL e da ALCA, analisando os aspectos importantes envolvendo os fluxos econômicos e o desenvolvimento do Brasil


CONTEÚDO COMPLEMENTAR DE GEOGRAFIA  3º ANO ENSINO MÉDIO. 4º BIM

TÓPICO--34. FRONTEIRAS OP—31--FRONTEIRAS. R.A—35--FRONTEIRAS.
HABILIDADES--34.1. Analisar as causas e os efeitos da migração clandestina nos países centrais e periféricos.
34.1.1. Avaliar as conseqüências do fechamento das fronteiras dos países de maior desenvolvimento econômico.
34.1.2. Analisar o deslocamento populacional no jogo de forças entre globalização e fragmentação.
CONCEITUAR: Fronteiras, limites, territórios - imposição de língua, costumes, religião, tradições, - conflitos religiosos, étnicos, políticos/estratégicos, culturais, econômicos, nacionais. - pátria, estado, território, povo, - exclusão-  fluxos migratórios - comércio internacional de mercadorias, inclusive de consumo proibido - drogas ilícitas - fronteiras: políticas, administrativas, culturais, comerciais, religiosas - mobilidade (legal/ilegal) de pessoas, de mercadorias, os grupos étnicos, religiosos, culturais
 O QUE ENSINAR
• A tipologia de fronteiras – não há fronteiras para uma minoria qualificada, que transita de modo contínuo nos seus trabalhos e se transferem de um país a outro quando o desejam; podem ser ultrapassadas desde que autorizadas pelos governos aos turistas com disponibilidade em suas contas bancárias e cartões de crédito internacionais; dificilmente são ultrapassadas legalmente por uma classe de excluídos que, atraídos pela possibilidade de melhoria de suas condições de vida, tentam utilizar-se de mecanismos ilegais de imigração.
• Semelhanças, distinções: fronteiras e limites
• Fragmentação e incorporação de territórios
• As fronteiras na escala nacional: a soberania do Estado restringe-se ao território delimitado pelas fronteiras nacionais.
• As fronteiras na escala internacional: não há um poder geral que submete os Estados a leis e regras. O sistema internacional de Estados é formado por unidades geopolíticas soberanas que cooperam ou conflitam de acordo com o que definem ser seus interesses particulares.
• O papel que o território e a territorialização, os limites e as fronteiras assumem no sistema mundial de estados-nações, interferindo em sua dinâmica como restrição ou como incentivo ao lucro.
• As fronteiras como pontos estratégicos do território e o controle sobre elas.

TÓPICO--35. SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO OP—32— SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO R.A—34— SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO
HABILIDADES --35.1. Avaliar a importância das redes mundiais de informação na produção do espaço mundial.
35.1.1. Identificar os pontos de interconexão das redes mundiais de informação com os fluxos do turismo e dos serviços culturais.
CONCEITUAR:
Sociedade Pós-Industrial - globalização - rede global de informática e comunicações - microeletrônica e as telecomunicações.
O QUE ENSINAR
• As diversas representações da globalização
• Os pontos de interconexão das redes mundiais nos fluxos de turismo e serviços culturais
• O mundo globalizado, informatizado e a massa de excluídos.
DESCRITORES:
D18 - Analisar as principais teorias racistas (apartheid, anti-semismo e o neonazismo),com o auxílio de textos.
D19 - Avaliar a questão racial no Brasil, com o auxílio de textos e dados socioeconômicos da população negra ou indígena.
D20 - Explicar os principais conflitos étnicos e religiosos do mundo atual.