terça-feira, 10 de novembro de 2009

Atividade de Geografia-E.Fundamental 8° ano

Tópico- 11 Regionalização e mercados
11.1. Compreender as formas de regionalizar o mundo, analisando os principais critérios de classificações.

11.2. Reconhecer nas formas de produção regional o desenvolvimento desigual do território brasileiro.

REGIONALIZAÇÃO DO MUNDO EM BLOCOS ECONÔMICOS-CONSIDERAÇÕES GERAIS:
O fim da Guerra Fria embaralhou as cartas do jogo planetário. A dissolução do bloco soviético, uma aparente vitória da superpotência da América do Norte, descortinou realidades novas, que prefiguram o próximo século. O poder mundial tende a se concentrar em macro-áreas do hemisfério norte que aglutinam a riqueza e a capacidade de inovação tecnológica. A economia mundial globaliza-se e, simultaneamente, argumentas-se em blocos regionais. A partilha do mercado mundial envolve as estratégicas das grandes corporações econômicas e as políticas dos estados. A geoeconomia do poder mundial em arranjo faz emergirem mega-blocos geoeconômicos como a União Européia,o Nafta e a Bacia do Pacífico. Esse movimento de integração e abertura de mercados repercute sobre área do mundo subdesenvolvidos, assumindo formas e expressões as mais variadas. O México integra-se ao bloco comercial liderado pelos Estados Unidos; os novos países industrializados do Sudeste Asiático (Tigres Asiáticos) estreitam laços comerciais com o Japão; antigos satélites da ex-URSS no Leste Europeu reestruturaram as suas economias à sombra da Alemanha reunificada. A atual Ordem Mundial (multipolar) foi construída no ambiente da Ordem Bipolar, quando os Estados Unidos,objetivando conter a expansão socialista, criaram planos econômicos, o Plano Marshall (1947), na Europa, reestruturando a economia Alemã e o Plano Colombo (1950), reestruturando a economia japonesa, originando respectivamente a Comunidade Européia e a Bacia do Pacífico, que a partir da desintegração soviética multipolarizaram economicamente o espaço mundial consolidando alguns e originando outros Blocos econômicos Regionais e Sub-Regionais.

TIPOS DE REGIONALIZAÇÃO:
􀂪 Leste-Oeste:Capitalismo x Socialismo
􀂪 Três Mundos:
1º Mundo: Capitalistas Desenvolvidos-
2º Mundo: Socialistas--
3º Mundo: Capitalistas Subdesenvolvidos
􀂪 Norte-Sul:
Países Ricos(Desenvolvidos Economicamente)no Norte x Países Pobres(Subdesenvolvidos)na Sul.
􀂪 Multipolaridade:
BlocosEconômicos- Nafta(EUA), União Européia(Alemanha) e Bacia do Pacífico(Japão)
Causas:
􀂾 Desmembramento da União Soviética (1991).
􀂾 Reestruturação econômica Alemã e Japonesa (década de 60).
BLOCOS ECONÔMICOS:
São associações de países que estabelecem relações econômicas privilegiadas entre si por meio de tratados que visam o aumento da prosperidade geral dos membros e podem ser classificados, segundo o grau de complexidade.Os blocos comerciais são normalmente agrupados em quatro categorias distintas, sendo: Zona de Livre Comércio,União Aduaneira e Mercado Comum.
Área ou Zona de livre Comércio
Estágio inicial da Organização Econômica, onde se encontra o nafta- liderado pelos EUA-l
􀂪 Livre circulação de Mercadorias.􀂪 Livre circulação de investimentos.􀂪 Moeda Nacional é Mantida.
Mercado Comum –.
O Mercosul- liderado pelo Brasil -encontra-se neste estágio.
􀂪 Livre circulação de Mercadorias.􀂪 Livre circulação de investimentos.􀂪 Circulação parcial de pessoas.
União Aduaneira
A União Européia- liderado pela Alemanha- encontrava-se neste estágio.
􀂪 Livre circulação de Mercadorias.􀂪 Livre circulação de investimentos.􀂪 Circulação total de pessoas.􀂪 Serviços.
União Econômica e Monetária
A União Européia- liderado pela Alemanha- encontra-se neste estágio.
􀂪 Livre de Mercadorias.􀂪 Livre circulação de investimentos.􀂪 Circulação total de pessoas.􀂪 Serviços.
􀂪 Moeda Única
Organizações Econômicas Internacionais:
􀂾 União Européia (ex- M.C.E.)- Alemanha
􀂾 Bacia do Pacifico- Japão
􀂾 Nafta- Estados Unidos
􀂾 APEC: Ásia –Pacífico (bloco emergente)Japão –Pacific Economic Community
􀂾 ALCA: Área de Livre Comércio das Américas (deveria entra em vigor a partir de 2005).

Atividades.
1-Quais são os tipos de regionalização do mundo?
2-Quando o mundo passou a ser regionalizado em blocos econômicos?
3- Como são chamados os novos países industrializados do Sudeste Asiático?Com que país se unem para fortalecer seu comércio?
4-Como foi chamado o plano feito pelos EUA para reestruturar a economia da Europa depois da guerra?
5- Como foi chamado o plano feito pelos EUA para reestruturar a economia do japão depois da guerra?
6-Como é chamada a ordem econômica que vivemos hoje?porque?
7--Como era chamada a ordem econômica em que EUA e URSS dividiam a influencia no planeta?
Na regionalização Leste /Oeste do Planeta Que dois sistemas econômicos disputavam hegemonia no mundo?
8-Como era a regionalização do planeta em três mundos?
9-Como é a regionalização do planeta em Norte e Sul?
10-Como é a atual regionalização multipolar do planeta? _multipolaridade-E quais são suas moedas?
11-Quais as causas dessa nova ordem multipolar?
12-O que são Blocos Econômicos?
13-Quais são as categorias em que são agrupados os blocos econômicos?
14-Em que estágio encontra –se cada líder da economia mundial atual,inclusive o Brasil?
15-Quais são as principais organizações econômicas internacionais da atualidade da atualidade?
16-Quais são as características de cada categoria dos blocos econômicos ?
Zona de livre Comércio-
Mercado Comum-
União Aduaneira-
União Econômica e Monetária-
                                                                                                                                 Bom trabalho.!!

Atividade de História 2º ano Ensino Médio

Tópico X: Transnacionalização da economia e da cultura no início do Mundo Moderno


Década de 1970 Documento 1: Seu Zé nasceu na Bahia, perto da cidade de Poções. Já com 8 anos trabalha na pequena propriedade do pai. Ainda jovem vai para Itabuna, “pra zona do cacau, caçando empreitada e morando em alojamento”.Casado, mudou-se para a Zona da Mata onde “fiquei 8 anos de colono, tinha casa. Tive também 15 filhos. A mulher só pode criar 8, 7 morreram. [...] os patrões não têm relógio nem horário. A gente trabalha até a noite chegar, com suor de torcer a camisa. E o dinheiro que a gente ganha é tão pouco que nem dá pra comprar uma corda pra morrer enforcado. [...]A roça não dá. (...) Então o jeito é migrar. Tomei um Vera Cruz e vim direto pra São Paulo. Nem no Rio parei. Vim por fora... à busca de ganho. [...]” Com a ajuda de parentes, chega à favela de Cidade Jardim, onde compra um barraco. Como pedreiro ou caseiro trabalha na condição de assalariado. Aos poucos, torna-se um trabalhador autônomo em serviços de jardinagem. “Agora a gente mora aqui, pra poder mandar um pouco de dinheiro pra nossa gente na Bahia e na favela as pessoas se ajudam muito. Se eu sair daqui eu sofro solidão. Sinto falta deste povo.[...] Se eu pudesse eu agasalhava todo esse povo. Olha, moço, o fraco só fala com o fraco mesmo. Tem os mais fracos do que eu. Tem uns que a fraqueza maltrata mais. O forte não tem que trabalhar. O fraco não vira forte. A não ser que um revés de uma sorte eu acertasse um jogo. Por trabalho não vou arranjar nada não. Não dá pra sobrar do custo de vida. Quero vencer na cidade: quero ganhar 1.000 cruzeiros. Ter 20 jardins pra cuidar. Atualmente ganho 400. Tenho 10.”

Documento 2:Pernambuco tem 24 anos. Tem força para vender. Trabalha como servente de pedreiro e nos fins de semana como copeiro num restaurante. Nasceu no interior de Pernambuco, onde o pai era colono de meia. “Quando menino fui trabalhar em olaria [...] Depois fui trabalhar num engenho, porque queria ganhar melhor e ter um emprego de indústria, não de roça que não tem futuro. Mas não consegui trabalhar nas caldeiras. Me puseram pra cortar cana: trabalho de qualquer, de roça, de salário baixo. Daí vim embora. Tinha um cara que trabalhou uns tempos em São Paulo e depois foi pra minha terra contando muita vantagem dos ganhos. Então eu pensei: eu sou forte e moço, bom de trabalho, se eu vou pra lá posso ganhar o meu e partir pra adquirir um estudo e melhorar de vez.[...] Não gosto de vagabundo. Quem pede esmola não tem vergonha na cara; o sujeito chega onde quiser se trabalhar direito e pra valer. Eu vou estudar pra ver se consigo ser engenheiro. Aí sim. Tenho uma profissão de respeito. Porque bom de trabalho eu sou: o que me falta é o conhecimento, o diploma, saber falar inglês, essas coisas. Eu sou forte e moço, bom de trabalho. Eu vou tentando. Eu vou tentando. Eu, sabe como é, eu sou bom de trabalho.

Documento 3:Zé Luiz vive na favela de Cidade Jardim desde 1972, quando construiu um barraco. Nasceu em Minas Gerais, onde o pai tinha uma propriedade rural: “nosso terreno tinha mais ou menos uma base de 300 alqueires ou mais. Só nosso. Mas nós não plantávamos nada nele, porque a terra era ruim. Não dava nada. Era só sapé. Trabalhava na terra dos outros. Não sei o que aconteceu nessa terra toda. Todo mundo morreu. Uns morreram. Outros foram embora. A terra ficou lá. Quem é bonito, tem dinheiro, passa a mão. E é deles. Tenho oito irmãos. Não vi mais nenhum. Vi um. Sete nunca mais vi. Podem estar aqui em São Paulo. Eu não sei.” Sua vida é marcada por prisões, fugas e facadas, por um número incontável de trabalhos e mulheres. “Esse cara que nasceu pobre, pra ser servente, lavrador, trabalhar na roça, tá lascado. Tá do modo que o diabo gosta. [...] o pobre trabalha pro rico sustentar, porque o rico tem dinheiro pra comprar do pobre. Compreendeu como é que é? Aqui tem trabalho. Se trabalhar, come. Se não trabalhar, come a mesma coisa.” Quase todas as noites e os fins de semana, Zé Luiz chega em casa, toma banho, janta, põe a roupa de mendicância e vai para as igrejas, onde tem missa, batizado ou casamento, com Dirce e os três filhos: “Totonho vai no colo; Zé Ricardo e Roberto Alexandre já sabem como é preciso fazer.” Além dessa atividade, a mais rendosa, Zé Luiz é servente de pedreiro: faz concreto, massa de cimento. É registrado e ganha salário mínimo.(Todos documentos foram tirados de Lúcio Kowarick. A Espoliação Urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.)

1-O que os documentos têm em comum?
2-Identifique as diferentes visões de mundo em relação ao trabalho, nos três depoimentos:
3-O que fez com que o personagem do texto 1 migrasse de sua região?
4-De onde saiu e onde chegou?
5- Que visão ele tinha em relação ao trabalho?(texto 1)
6-Por que você acha que essa região foi escolhida pelo personagem?
7- Que fragmento do texto 1 mostra a falta de mobilidade social?
8-No texto 2 qual era o sonho de Pernambuco?
9-Qual era sua visão em relação ao trabalho?(texto 2)
10-No texto 3 porque Zé Luiz deixou suas terras em MG?
11-O que aconteceu com a terra abandonada?
12-O que aconteceu com a família de Zé Luiz?
13-Que visão Zé Luiz tem em relação ao trabalho?E que visão ele tem em relação ao rico?
14-Que tipos de trabalho são desenvolvidos por Zé Luiz?

Atividade de Geografia-E.Fundamental 7° ano

7º ano 2 Tópico complementar—VI . Populacões tradicionais-- OP—14-- Populacões tradicionais-- R.A—
características das culturas tradicionais:
• Dependência e até simbiose com a natureza, os ciclos naturais e os recursos naturais renováveis a partir do qual se constrói um "modo de vida";
• Conhecimento aprofundado da natureza e de seus ciclos que se reflete na elaboração de estratégias de uso e de manejo dos recursos naturais. Esse conhecimento é transferido de geração em geração por via oral;
• Noção de território ou espaço onde o grupo se reproduz econômica e socialmente;
• Moradia e ocupação desse território por várias gerações, ainda que alguns membros individuais possam ter-se deslocado para os centros urbanos e voltado para a terra dos seus antepassados;
• Importância das atividades de subsistência, ainda que a produção de mercadorias possa estar mais ou menos desenvolvida, o que implica numa relação com o mercado;
• Reduzida acumulação de capital;
• Importância dada à unidade familiar, doméstica ou comunal e às relações de parentesco ou de compadrio para o exercício das atividades econômicas, sociais e culturais;
• Importância de mito e rituais associados à caça, à pesca e a atividades extrativistas;
• A tecnologia utilizada é relativamente simples, de impacto limitado sobre o meio ambiente. Há uma reduzida divisão técnica e social do trabalho, sobressaindo o trabalho artesanal. Nele, o produtor e sua família, dominam o processo de trabalho até o produto final;
• Fraco poder político, que em geral reside com os grupos de poder dos centros urbanos;
• Auto-identificação ou identificação pelos outro de se pertencer a uma cultura distinta das outras.
Sugere-se o resgate e a sistematização em texto coletivo dos conhecimentos prévios dos alunos sobre “populações tradicionais”, tendo como referência questões como as que seguem.
1. Que conhecimentos vocês têm sobre os povos quilombolas, indígenas, caiçaras, ribeirinhos denominados por “populações tradicionais”?
2. O que denominamos por tradicional encerra valores que podem e devem ser perpetuados. Em relação às populações tradicionais quê tradições e culturas seriam esses?
3. Que sistema de valores constitui a essência de uma população tradicional?
4. Por serem "ilhas" de biodiversidade as áreas onde vivem as populações tradicionais têm sido alvo da biopirataria internacional. O que vocês sabem sobre isso?

Atividade de Geografia-E.Fundamental 9° ano

XIX. Revolução técnico-científica/VII. Sistemas técnicos OP—13— Sistemas técnicos.. R.A—11— O túnel do tempo: os sistemas técnicos mudando a vida das pessoas
A atividade 1 consiste em identificar, no texto, as palavras que dão significado aos sistemas técnicos inventados pelo homem, localizando-os no tempo histórico e mostrando sua relevância. Exemplo: “Computador - sistema técnico ---> tecnologia da informação; origem ---> década de 1970; implicações ---> revolução na forma de gerar, processar e transmitir a informação.”
A atividade 2 é um desafio que consiste em identificar as palavras que expressam as inovações tecnológicas no período entre 1988 (data do poema de Drummond) e 2005. Exemplo: telefone celular, notebook ou laptop, biodíesel, clonagem, entre outros.

Entre Palavras -- Carlos Drummond de Andrade.
“Entre coisas e palavras - principalmente entre palavras - circulamos. A maioria delas não figura nos dicionários de há trinta anos, ou figura com outras acepções. A todo momento impõe-se tomar conhecimento de novas palavras e combinações de.Você que me lê, preste atenção. Não deixe passar nenhuma palavra ou locução atual, pelo seu ouvido, sem registrá-la. Amanhã, pode precisar dela. E cuidado ao conversar com seu avô; talvez ele não entenda o que você diz.O malote, o cassete, o spray, o fuscão, o copião, a Vemaguet, a chacrete, o linóleo, o nylon, o nycron, o ditafone, a informática, a dublagem, o sinteco, o telex... existiam em 1940 ? Ponha aí o computador, os anticoncepcionais, os mísseis, a motoneta, o Velo-Solex, o biquini, o módulo lunar, o antibiótico, o enfarte, a acupuntura, a biônica, o acrílico, o tá legal, o apartheid, o som pop, a arte pop, as estruturas e infra-estrutura.Não esqueça também (seria imperdoável) o Terceiro Mundo, a descapitalização, o desenvolvimento,o unissex, o bandeirinha, o mass media, o Ibope, a renda per capita, a mixagem.Só ? Não. Tem seu lugar ao sol a metalinguagem, o servomecanismo, as algias, a coca-cola, o superego, a Futurologia,a homeostasia, a Adecif, a Transamazônica , a Sudene, o Incra, a Unesco, o Isop, a OEA e a ONU.Estão reclamando, porque não citei a conotação, o conglomerado, a diagramação, o ideogema, o idioleto, o ICM, a IBM, o falou, as operações triangulares, o zoom e a guitara elétrica. (...) Olhe aí a fila - quem? Embreagem, defasagem, barra tensora, vela de ignição, engarrafamento, Detran, poliéster, filhotes de bonificação , letra imobiliária, conservacionismo, carnet da girafa, poluição.(...) Fundos de investimentos, e daí? Também os de incentivos fiscais, know how. Barbeador elétrico de noventa microrranhuras. Fenolite-Baquelit. LP e CD. Alimentos supercongelados. Viagens pelo crediário. Circuito fechado de TV na Rodoviária . Argh ! Pow ! Click ! Não havia nada disso no jornal do tempo de Venceslau Brás, ou mesmo, de Washington Luis. Algumas dessas coisas começam a aparecer sob Getúlio Vargas. Hoje estão ali na esquina, para consumo geral. A enumeração caótica não é uma invenção crítica de Leo Spitzer. Está aí, na vida de todos os dias. Entre palavras circulamos, vivemos, morremos, e palavras somos, finalmente, mas com que significado ?”
1-Identifique, no poema e circulem de vermelho, as palavras que representam objetos técnicos antigos.
2- Identifique, no poema e circulem de azul, as palavras que representam objetos técnicos do nosso tempo.
3- Que palavras fazem parte do cotidiano dos colegas, em casa, na escola e em outros lugares, como usuários de sistemas técnicos? Registrem-nas.
4- Selecionem um objeto técnico (por ex. TV) para investigar
5)Sobre a Revolução técnico científica ou 3ª Revolução industrial ,marque V ou F :
(  )iniciou-se ligo após a II guerra mundial, com a revolução da tecnologia da informação, tendo por base o desenvolvimento da eletrônica: microeletrônica, computadores e telecomunicações
(  )ocorreu na segunda metade do séc XX
( )aumenta o processo de produção nas indústrias provocando um enorme desemprego
( )desenvolveu-se a tecnologia de ponta e a robótica.
( )substituição da mão de obra)e aumentando o lucro dos donos dos meios de produção e das grandes empresas.
( )Uma das conseqüências dessa revolução é que a mão de obra migrou para o setor terciário,que requer mais estudo e conhecimento.
( )É caracterizada pelas indústrias avançadas, associadas a centros de pesquisa, formada pelos chamados "cérebros" (cientistas)- e marcados por uma paisagem constituída pelos edifícios "inteligentes".-
6) Numere:
( 1 ) 1ª fase da R.Industrial.
( 2 ) 2ª fase da R.Industrial.
( 3 ) 3ª fase da R.Industrial.
( ) desenvolvimento da eletrônica: microeletrônica, computadores e telecomunicações
( ) tear mecânico; máquina a vapor; fundição do ferro; progressos na agricultura.
( ) dínamo; petróleo; motor de combustão interna; máquinas automáticas.
Marque x na resposta certa:
7-Sabendo que sistema técnico é o conjunto de meios instrumentais e sociais, que se realiza na vida social e, ao mesmo tempo, se produz e se cria o espaço geográfico.podemos dizer que todos os itens abaixo foram sistemas técnicos no Brasil e que o mais antigo meio de transformação do espaço foi:
( )pecuária ( ) cotonicultura ( ) extrativismo do pau- brasil ( ) agroindústria ( ) turismo.
8- Revolução tecnológica: o mundo passou por 3 revoluções tecnológicas: a primeira, foi a revolução industrial, baseada no recurso energético:-------------------------; a segunda baseada no -------------------- fez expandir a indústria dos transportes e acelerou a mobilização mundial; a terceira que se baseou no novos materiais e gerou a -----------------------------baseada na pesquisa científica e fez o mundo se interagir por meio da informação.
Respectivamente ,foram as bases das fases das 3 revoluções Industriais:
(a) carvão,petróleo e informatização(computadores)
(b) carvão, informatização(computadores) e petróleo
(c)petróleo ,carvão e informatização(computadores)
9-)Cruzadinha
3 R *
4 E
1 V
8 O
11 L
9 U
12 Ç
16 Ã
14 O
2 *
6 I
5 N
20 D
10 U
13 S
18 T
19 R
15 I
7 A - x
17 L x
1- Na 1ª Revolução Industrial,---------------------e trens a vapor (facilitou o transporte de pessoas e cargas)
2- péssimas condições de trabalho- salários baixos e castigos físicos- caracterizavam o trabalho ------------
3-No Neocolonialismo ,os europeus dividem a -------------------------- entre si- Inicia-se uma época de violência e exploração em busca de matérias-primas e recursos vegetais.
4-A -----------------------------------chegou na frente e foi o 1º país a se industrializar.
O processo da industrialização exigiu:
5- desenvolvimento técnico e -------------------------------------
6- investimento de grandes --------------------------------.
7- fornecimento de--------------------------------------------
8- ----------------------------------------------------para os produtos transformados
A Revolução Industrial proporcionou:
9- a passagem da sociedade rural para a sociedade ---------------------------------
10- a mecanização da indústria e da --------------------------------------------
11- o desenvolvimento do sistema ------------------------------
12- o desenvolvimento dos transportes e -----------------------------------------------
13- a expansão do ----------------------------------------
Situação nas fábricas:
14-carga ----------------------------------- elevada.
15- ausência de ------------------------------------.
16- barulho e -----------------------------------
As reações dos trabalhadores foram:
17-O ------------------------------- -- os trabalhadores quebraram as máquinas.
18- Criaram as trade unions ,o que deu origem aos --------------------------(luta por direitos)-
19- Foi seguido o ------------------------------que dava direitos políticos para os trabalhadores .
20-A Revolução Industrial surgiu da necessidade de ----------------cada vez mais e mais rápido.
Poluição—ludismo----Capitalismo----Navios-—científico----infantil/feminino-—direitos----capitais-fabrli---África / Ásia---matéria prima---consumidores—Inglaterra---comunicações.---industrial---agricultura—horária---sindicatos—cartismo—produzir.
Meio técnico-científico –é a interdependência da ciência e da técnica em todos os aspectos da vida social, em todo mundo.Esse meio é marcado por novos signos como as multinacionais, a revolução da informação com a instantaneidade e simultaneidade, graças ao progresso da informática. São novos dados, revelados pela modernização e pelo capitalismo agrícola, novas formas e localizações da indústria e da extração mineral, pelas novas modalidades de extração da energia, meios de circulação no processo produtivo, migrações, tercerização e urbanização
10) De acordo com o texto acima podemos considerar como verdadeiras quais das alternativas abaixo?
(a) com a industrialização aumentou a urbanização.
(b ) com a industrialização diminuiu a necessidade de pessoas nas fabricas que robotizaram o trabalho.
(c ) a terceirização do trabalho é uma das conseqüências da Ver.Industrial
11-Auto-avaliação: Elaborar um texto de síntese do aprendizado abordando
...O que aprendi sobre os sistemas técnicos e as transformações no mundo que me permite dizer que o mundo hoje é mais artificial, ou seja, mais técnico-científico e informacional...

Atividade de História 3º ano Ensino Médio

Ditadura Militar no Brasil---
Complete as lacunas com as palavras abaixo:

1-)----------------------------------------------------- foi o período da política brasileira em que os militares governaram o Brasil. Esta época vai de 1964 a 1985. Caracterizou-se pela falta de democracia, supressão de direitos, censura, perseguição política e repressão aos que eram contra o regime militar.
2-)A crise política se arrastava desde a renúncia de ------------------------------em 1961.
3-)O vice -------------------------------------(1961-1964)teve seu governo marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média. Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista. Vale lembrar, que neste período, o mundo vivia o auge da Guerra Fria.
Este estilo populista e de esquerda, chegou a gerar até mesmo preocupação nos EUA, que junto com as classes conservadoras brasileiras,
4-) temiam um golpe ---------------------------------
5-)os --------------------------organizam uma manifestação contra as João Goulart. Foi a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, que reuniu milhares de pessoas pelas ruas do centro da cidade de São Paulo.
6-)Para evitar uma guerra civil, Jango deixa o país refugiando-se no Uruguai. Os ------------------------------ tomam o poder.
7-)É decretado o Ato Institucional Número 1 (-------). Este, cassa mandatos políticos de opositores ao regime militar e tira a estabilidade de funcionários públicos.
8-)-------------------------, general militar, foi eleito pelo Congresso Nacional presidente da República
Estabeleceu eleições indiretas para presidente, além de dissolver os partidos políticos.
9-)Em seu governo, foi instituído o-------------------------------------. Só estavam autorizados o funcionamento de dois partidos: Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e a Aliança Renovadora Nacional (ARENA). Enquanto o primeiro era de oposição, de certa forma controlada, o segundo representava os militares.
10-)O governo militar impõe, em janeiro de 1967, uma nova -----------------para o país. Aprovada neste mesmo ano, a Constituição de 1967 confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação.
11-)Em 1967, assume a presidência o general------------------------, após ser eleito indiretamente pelo Congresso Nacional. Seu governo é marcado por protestos e manifestações sociais. A oposição ao regime militar cresce no país.
12-)A UNE (União Nacional dos Estudantes) organiza, no Rio de Janeiro, a Passeata dos Cem Mil.o governo decreta o Ato Institucional Número 5 (----------). Este foi o mais duro, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.
13-)Em 1969, é eleito indiretamente o general----------------------------. Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como " anos de chumbo ". A repressão à luta armada cresce e uma severa política de censura é colocada em execução. Jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país.
14-)O DOI-Codi (Destacamento de Operações e Informações e ao Centro de Operações de Defesa Interna ) atua como centro de ----------------------------------------------do governo militar.
15)Na área econômica o país crescia rapidamente. Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do--------------------------------------. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, isso gerou uma enorme dívida externa .
16-)Em 1974 assume a presidência o general ----------------------------que começa um lento processo de transição rumo à democracia. Seu governo coincide com o fim do milagre econômico e com a insatisfação popular em altas taxas. A crise do petróleo e a recessão mundial interferem na economia brasileira, no momento em que os créditos e empréstimos internacionais diminuem.
17-)O presidente então anuncia a ------------------------------------lenta, gradual e segura. A oposição política começa a ganhar espaço.
18-)Os militares de------------------------------, não contentes com os caminhos do governo Geisel, começam a promover ataques clandestinos aos membros da esquerda. Em 1975, o jornalista Vladimir Herzog á assassinado nas dependências do DOI-Codi em São Paulo.
19-)Geisel acaba com o AI-5, restaura o habeas-corpus e abre caminho para a volta da -----------------------------no Brasil.
O general João Baptista Figueiredo decreta a----------------------------, concedendo o direito de retorno ao Brasil para os políticos, artistas e demais brasileiros exilados e condenados por crimes políticos.
20-)Em 1979, o governo aprova lei que restabelece o -----------------------------------no país. Os partidos voltam a funcionar dentro da normalidade. A ARENA muda o nome e passa a ser PDS, enquanto o MDB passa a ser PMDB. Outros partidos são criados, como: Partido dos Trabalhadores ( PT ) e o Partido Democrático Trabalhista ( PDT ).
21-)a oposição ganha terreno com o surgimento de novos partidos e com o fortalecimento dos sindicatos,milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O movimento era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria ------------------------------------------para presidente .
22-)Em 1985, o Colégio Eleitoral escolhe ---------------------------------, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República. Porém ele fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu princípios democráticos no país.

Arthur da Costa e Silva --Ditadura Militar.. AI-5 --Jânio Quadros... Garrastazu Medici --João Goulart---comunista. Militares--- Castello Branco--- bipartidarismo ----Ernesto Geisel --- Milagre Econômico ---conservadores-- AI-1--Constituição-- eleições diretas-- Tancredo Neves -- investigação e repressão-- abertura política-- Lei da Anistia--- linha dura—democracia-- pluripartidarismo

Atividade sobre Tópico 17 Fundamentalismos étnicos, religiosos e ambientalistas: o choque entre o multiculturalismo e a intolerância


Tópico 17 Fundamentalismos étnicos, religiosos e ambientalistas: o choque entre o multiculturalismo e a intolerância

Conceitos de etnia, cultura, fundamentalismo e multiculturalismo e alteridade, conflitos contemporâneos.

“As sociedades contemporâneas são heterogêneas, compostas por diferentes grupos humanos, interesses contrapostos, classes e identidades culturais em conflito. Vivemos em sociedades nas quais os diferentes estão quase que permanentemente em contato. Os diferentes são obrigados ao encontro e à convivência. E são assim também as escolas.As idéias multiculturalistas discutem como podemos entender e até resolver os problemas gerados pela heterogeneidade cultural, política, religiosa, étnica, racial, comportamental, econômica, já que teremos que conviver de alguma maneira”.PRAXEDES,Walter. In: A diversidade humana na escola: reconhecimento, multiculturalismo e tolerância. Revista Espaço Acadêmico, n° 42, novembro de 2004.
“O multiculturalismo é a nova cultura do espaço global, uma cultura dinâmica que se refaz com e através dos fluxos globalizantes, modificando e reconstruindo as interações e colocando como desafio a conciliação de uma diversidade de costumes, concepções e valores, sem o perigo de se excluir as formas diferentes de se manifestar (...). Ao rejeitar todo o preconceito ou hierarquia, o multiculturalismo baseia-se no respeito ao ponto de vista, às interpretações e atitudes do Outro, constituindo-se numa fonte de possibilidades de transformação e de criação cultural. Sendo assim, evidencia-nos um entendimento dinâmico de cultura, a qual deixa de ser um conjunto de características rígidas transmitidas de geração em geração, e passa a ser uma elaboração coletiva que se reconstrói a partir de denominadores interculturais “. SIQUEIRA, Holgonsi Soares Gonçalves. In: Multiculturalismo: tolerância ou respeito pelo outro? Jornal A Razão, 26 de junho de 2003.

“A problematização do conceito de cultura de modo a considerá-la uma elaboração coletiva, em transformação constante, em que a cultura dos imigrantes e das minorias são aspectos específicos a ter em conta nas mudanças das sociedades e dos indivíduos. É esta perspectiva de cultura na diversidade que está implícita a um multiculturalismo crítico que vise mudanças culturais, que conceitualize e questione a hegemonia do grupo étnico dominante, que dê lugar á expressão das culturas minoritárias e que, finalmente, promova a igualdade real de oportunidades”. CARDOSO, Carlos Manoel Neves. In: Antropologia e Multiculturalismo. Multicultural n° 5, 1995.
“Fundamentalismo não é uma doutrina (...) Fundamentalismo representa a atitude daquele que confere caráter absoluto ao seu ponto de vista. Sendo assim, imediatamente surge grave conseqüência: quem se sente portador de uma verdade absoluta não pode tolerar outra verdade, e seu destino é a intolerância. E a intolerância gera o desprezo do outro, e o desprezo, a agressividade, e a agressividade, a guerra contra o erro a ser combatido e exterminado. Irrompem conflitos com incontáveis vítimas”. BOFF, Leonardo. In: Fundamentalismo a globalização e o futuro da humanidade, Rio de Janeiro: ed. Sextante, 2002.

ATIVIDADE
 a) Quais são as principais propostas do multiculturalismo?
b) O que as idéias multiculturalistas desejam?
c) Como a cultura é vista de acordo com as idéias multiculturalistas?
d) Como o multiculturalismo vê as minorias?
e) O que é fundamentalismo?
f) Como os fundamentalistas vêem o "outro", aquele que é diferente?
g) Quais são os conflitos fundamentalistas existentes no mundo hoje? Os conflitos podem se referir a questões étnicas, religiosas e ambientalistas.
h) Quais são as atitudes que prevalecem no mundo hoje. As pessoas conseguem respeitar as diferenças?
i) Para você o que poderia ser feito para tentar resolver os conflitos atuais existentes no mundo?

Atividade de História sobre o TÓPICO 16 A CONSTITUIÇÃO DOS DIREITOS(CIVIS, POLÍTICOS E SOCIAIS) NA REPÚBLICA BRASILEIRA: DEMANDAS SOCIAIS E LEGISLAÇÃO



TÓPICO 16 A CONSTITUIÇÃO DOS DIREITOS(CIVIS, POLÍTICOS E SOCIAIS) NA REPÚBLICA BRASILEIRA: DEMANDAS SOCIAIS E LEGISLAÇÃO
Palavras chave: xenofobia, discriminação, preconceito
CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA DO BRASIL- Promulgada em 5.10.1988
TÍTULO I--Dos princípios fundamentais
Art. 3 – Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I – constituir uma sociedade livre, justa e solidária
II – garantir o desenvolvimento nacional
III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais
IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação


ATIVIDADE
 1 Você vive numa sociedade livre, justa e solidária, tal como colocado na Constituição como objetivos nacionais?
2-A questão da pobreza e a marginalização ainda existem no nosso país? Comente.
3-Quais dos direitos acima apresentados você acha que são realmente cumpridos no nosso país?
4-O que você acha que leva ao não cumprimento dos itens garantidos pela Constituição e quais seriam as possíveis saídas para os problemas.

ATO INSTITUCIONAL Nº 5--Ato que estabelecia uma série de leis limitadoras da liberdade do cidadão, promulgado em dezembro de 1968, durante o governo militar.
Art 4º - O Presidente da República poderá suspender os direitos políticos de quaisquer cidadãos pelo prazo de 10 anos e cassar mandatos eletivos federais, estaduais e municipais.
Art 5º - A suspensão dos direitos políticos, com base neste Ato, importa, simultaneamente, em:
I - cessação de privilégio de foro por prerrogativa de função
II - suspensão do direito de votar e de ser votado nas eleições sindicais
III - proibição de atividades ou manifestação sobre assunto de natureza política
IV - aplicação, quando necessária, das seguintes medidas de segurança:
a) liberdade vigiada--b) proibição de freqüentar determinados lugares--c) domicílio determinado
Art 7º - O Presidente da República poderá decretar o estado de sítio .
Art 10 - Fica suspensa a garantia de hábeas corpus .
--In GASPARI, Elio. O dia em que mandaram a democracia às favas. Revista Nossa História, n. 1. RJ: Biblioteca Nacional: Ed. Vera Cruz, no./2003, p. 52-57.

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA - 1988
TÍTULO II--Dos diretos e garantias fundamentais
CAPÍTULO I--Dos direitos e deveres individuais e coletivos
Art. 5 - Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à segurança e à propriedade, (...).
II – ninguém será obrigado a fazer alguma coisa senão em virtude de lei
III – ninguém será submetido nem a tratamento desumano ou degradante
IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença
XI - a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial
XII - é inviolável o sigilo da correspondência e das comunicações telegráficas, de dados e das comunicações telefônicas, salvo, no último caso, por ordem judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer para fins de investigação criminal ou instrução processual penal

ATIVIDADES
1-) Quais são os itens democráticos e autoritários presentes nos dois textos apresentados:
2-) Faça um paralelo entre os direitos democráticos e os estabelecidos pela ditadura.

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA DO BRASIL - 1988
TÍTULO I--Dos Princípios Fundamentais
Art.1º - A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado democrático de direito e tem como fundamentos:
I - a soberania--II - a cidadania--III - a dignidade da pessoa humana
IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa--V - o pluralismo político
Parágrafo único- Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.
TÍTULO II --Dos diretos e garantias fundamentais CAPÍTULO II --Dos direitos sociais Art.6º - São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, a moradia, o lazer, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.
ATIVIDADES:
1-    Qual a diferença existente entre o que determina a Constituição e a realidade brasileira?

Na Constituição do Império, em 1824, podiam votar apenas os que tivessem mais de 25 anos e ganhassem mais de 100 mil réis por ano; os analfabetos votavam, mas as mulheres não. Em 1846 a renda anual exigida subiu para 200 mil réis. A partir de 1882, os novos eleitores analfabetos não podiam ser votados. Com a proclamação da República, em 1889, a idade mínima do eleitor passou a ser de 21 anos, acabando-se a exigência de renda mínima, porém continuando proibido o voto feminino. Em 1891 todos os analfabetos perdem o direito de voto. Em 1932 foi instituído o voto feminino no Brasil e em 1934 a idade mínima baixou para 18 anos, ampliando-se consideravelmente o número de eleitores. A cidadania ativa dos analfabetos foi restituída por emenda constitucional em 1985, continuando proibida a eleição dos mesmos para o exercício de mandatos eletivos. Por fim, a Constituição de 1988 instituiu o voto facultativo para os menores entre 16 e 18 anos e para os maiores de 70 anos, consagrando o voto feminino e dos analfabetos.
ATIVIDADES4--
1-Por que você acha que a mulher ficou tanto tempo excluída da vida política do Brasil?
2-Você acha que um analfabeto poderia representar o povo em algum cargo político?
3-Com o voto censitário ,quem ficava excluído da vida política no Brasil?
4-O que é voto facultativo?
5-O que é sufrágio Universal?
6-O que é voto direto ?

Atividade de História Tópico 15 Do Estado do bem-estar social ao desenvolvimento do neoliberalismo: as políticas de assistência e inclusão social EM


Tópico 15 Do Estado do bem-estar social ao desenvolvimento do neoliberalismo: as políticas de assistência e inclusão social
Leia os textos, a seguir:
TEXTO 1 - O maior dos regimes neoliberais, os EUA do presidente Reagan e a Grã-Bretanha da primeira ministra Margareth Thatcher os regimes mais profundamente comprometidos com a economia do laissez-faire (Deixe fazer)eram também nacionalistas e desconfiados do mundo externo.
” Pontos a respeito da liberalização das economias mundiais:
1-Os países mais desenvolvidos fazem propaganda neoliberal e, não adotarem estas mesmas posições ao formular suas políticas de governo,porque esses adotam práticas de políticas protecionistas de variados modos (tarifas alfandegárias altas para produtos importados, embargo de mercadorias de nações estrangeiras por motivos pouco convincentes, etc.).
2-A liberalização de mercados favorece mais aos países dominantes, pois já dispõem de recursos volumosos para investimentos em infra-estrutura; para subsidiar a produção de certos produtos, tornando assim os produtores nacionais mais competitivos no mercado mundial, Além da disparidade tecnológica entre países desenvolvidos e atrasados economicamente.
“A batalha entre Keynesianos e neoliberais não era nem um confronto puramente técnico entre economistas profissionais, nem uma busca de caminhos para tratar de novos e perturbadores problemas econômicos. Era uma guerra de ideologias incompatíveis. O Keynesianismo modelo político dominante no pós-guerra (1945 em diante), teve sua força atrelada a condições históricas específicas – necessidade da reconstrução material, política e das economias da Europa, medo do avanço do comunismo, etc. Os dois lados apresentavam argumentos econômicos. Os keynesianos afirmavam que altos salários, pleno emprego e Estado do bem-estar haviam criado a demanda de consumo que alimentara a expansão e que bombeara mais demanda na economia era a melhor maneira de lidar com depressões econômicas. Segundo os mandamentos neoliberais, genericamente, a ação do Estado deve reduzir-se ao mínimo possível”ESTADO MÌNIMO” Os neoliberais afirmavam que a economia e a política da Era de Ouro (1945-73) impediam o controle da inflação e o corte de custos tanto no governo quanto nas empresas privadas, assim permitindo que os lucros, verdadeiro motor do crescimento econômico numa economia capitalista aumentassem isso justifica o abandono das políticas relacionadas ao Estado do bem-estar social para implementação da cartilha neoliberal entre meados da década de 1970 e inícios da década de 80 nos países mais ricos ,a crise do Petróleo, de 1973, foi um fator desestabilizador das economias dos Estados do bem-estar social” HOBSBAWN, Eric. Era dos Extremos. SP; Cia. das Letras, 1995, p. 399.
TEXTO 2- CONSTITUIÇÃO FEDERAL DO BRASIL, 1988
CAPÍTULO II--Dos Direitos Sociais
Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.
Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: I - relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa, nos termos de lei complementar, que preverá indenização compensatória, dentre outros direitos
II - seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário
III - fundo de garantia do tempo de serviço
IV - salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim; (...)FONTE:www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao
TEXTO 3
Num mundo de tantas desigualdades sociais, onde o acesso a serviços e produtos básicos (saúde, educação, alimentação digna, etc.) é negado a grandes parcelas da população, o que dizer sobre a cartilha liberal?Se mesmo com a atual atuação do Estado no mercado de produtos e serviços a situação já é falha, podemos imaginar de antemão os resultados desastrosos da aplicação de políticas neoliberais no extremo. Em sociedades onde as desigualdades sócio-econômicas são perversas, chega a ser cinismo tratar todos como iguais.O desmonte da máquina estatal, já nos têm demonstrado a experiência cotidiana, por si só não resolve, é necessário aumento de oferta e competitividade de produtos, baixa nos preços, aumento da qualidade e da eficiência na prestação de serviços básicos à população.
ATIVIDADES:
1-) O que foi o Keynesianismo?
2-) O que foi o Estado do Bem estar Social?
3-)O que foi o Estado Mínimo ou Estado Liberal? 4-)O que foi a Era do Ouro?
5-)Que dois países foram os primeiros a adotarem a liberalização da economia?Sob orientação de quais chefes de governo?
6-) Por que os países mais desenvolvidos não adotam a política neoliberal ao formular suas políticas de governo?
7-) Por que a liberalização de mercados favorece mais aos países dominantes que os dominados -em desenvolvimento-?
8-)De quem é a responsabilidade com os serviços básicos que têm que ser oferecidos á população?E se a política Liberal for levada ao extremo e esses serviços forem tercerizados o que você acha que pode acontecer? “Com a liberalização irrestrita de mercados e das relações de trabalho, com a saída do Estado de setores estratégicos da economia como: telecomunicações, energia, etc., será possível, num futuro próximo, o real comprimento de direitos sociais como os que são acima citados?


Atividade de História sobre o tópico 14. Partidos políticos, sindicatos e a consolidação da democracia brasileira: do peleguismo ao novo sindicalismo urbano


Atividade de História 1º ano Ensino Médio

Tópico 13 Abertura do mercado brasileiro para o capital estrangeiro: do nacional-desenvolvimentismo à implementação de políticas neoliberais

“Nacional-desenvolvimentismo foi como ficou conhecido o sistema de crenças que apoiava o modelo de crescimento econômico adotado no Brasil a partir dos anos 30. Suas bases objetivas eram o financiamento do investimento público através da inflação e a busca da autarquia pela substituição de importações. Suas bases subjetivas foram construídas em torno do mito do Estado Redentor, o único Demiurgo do Desenvolvimento, o Leviatã que conduziria o país na senda do progresso superando quaisquer obstáculos. No meio século que vai da crise de 1929 até o início dos anos 80, a participação do Estado na economia cresceu muito, e a inflação também. Mas o crescimento foi tão espetacular quanto a ampliação da desigualdade, sendo esse o preço a pagar pelo rápido progresso, e também a chave para entender o colapso do modelo. A democracia fez crescer a resistência à inflação e decretou, quando da hiperinflação, a rejeição definitiva do velho desenvolvimentismo.“Trecho extraído da revista Veja, 04 de agosto de 2004, O nacional-empreendedorismo.Autarquia:
“O neoliberalismo foi uma reação teórica e política veemente contra o Estado intervencionista e de bem-estar... Ele ganhou terreno a partir da crise ocorrida em 1973, quando todo o mundo capitalista avançado caiu numa longa e profunda recessão, combinando, pela primeira vez, baixas taxas de crescimento com altas taxas de inflação. Esse modelo econômico prioriza a estabilidade monetária, a contenção do orçamento, o abandono do pleno emprego e o estabelecimento de concessões fiscais para os detentores de capital. Com a adoção deste modelo, a inflação foi contida, porém as taxas de desemprego e o grau de desigualdade aumentaram significativamente.O neoliberalismo defende a idéia de que o mercado, e não o Estado, deveria ser o único alocador de salários e capital. Defende a desregulamentação total, a derrubada das barreiras comerciais e a livre circulação de bens, de trabalho e de capital. É parte essencial do projeto neoliberal uma reestruturação do Estado, visando privatizações em massa, a redução de impostos e tributos sobre o capital e o desmanche do chamado Estado de bem-estar social.”Texto adaptado do livro Balanço do neoliberalismo de Perry Anderson.
Atividade 1
1-conceituar nacional-desenvolvimentismo e neoliberalismo
2-apontem as principais diferenças existentes entre os dois modelos econômicos.
nacional-desenvolvimentismo surgiu no ----------------------------a partir da ----------------------------- o -----------------------------------era o principal agente propulsor da economia e desejava desenvolver a indústria nacional, através da substituição de importações. Já o neoliberalismo foi uma reação ao ----------------------------------~------------------------------e ganhou força com a crise ocorrida em 1973. Neste modelo, o --------------------------------------não deveria ---------------------------na economia, pois era o -------------------------------------------que estabelecia as regras. O nacional-desenvolvimentismo promoveu o desenvolvimento da indústria nacional, o crescimento econômico e o aumento da participação do --------------------------------------------na economia. Porém, esse crescimento industrial e econômico promoveu a alta da inflação e o aumento da desigualdade. Já o neoliberalismo, promoveu a estabilidade monetária e diminuiu os gastos do Estado e conteve a inflação, porém, a desigualdade social e o desemprego aumentaram sensivelmente.
Numere
( 1 )Nacional desenvolvimentismo
( 2)Neoliberalismo
( ) intervenção estatal ( )o estado não faz intervenção na economia ( )prioriza estabilização monetária ( )concessões fiscais para empresários
( ) O mercado e não o estado deve ser o alocador de salários e capital. ( )derrubada de barreiras e livre circulação de bens,trabalho e capitais. ( )privatizações em massa. ( )O Estado é o único capaz de promover o desenvolvimento

Atividade de Geografia-

Tópico comp.--v. Território e territorialidade-- OP—12-- Território e territorialidade

Análise do texto:
Texto – As contradições no uso do território

A sociedade demarca novas e antigas paisagens caracterizadas, pelo desenraizamento e pela exclusão. Seus atores são os sem teto, os refugiados, os camelôs, as gangues, as prostitutas, os doentes, os loucos, os pivetes, os mafiosos, os criminosos, os ladrões, representando os desterritorializados. Esses grupos que sobrevivem nas fronteiras da marginalidade e articulam-se com os lugares, criam territorialidades clandestinas denominadas de reterritorialização. Eles se espacializam nos guetos, na rua, nos becos, nos asilos, nos hospitais, nos presídios, nos clubes, nas sarjetas, praças numa relação conflitante com os outros usuários/incluídos no espaço. A mobilidade e a flexibilidade dos desterritorializados envolvem o espaço e o tempo. O espaço diurno é preenchido pela movimentação do comércio, dos serviços, dos transportes e pelos transeuntes na rotina cotidiana do trabalho e das compras. O espaço noturno é ocupado por outros personagens que atuam na prostituição, em gangues, na mendicância ou na busca do lazer noturno em bares e cafés. Assim, o fenômeno da desterritorialização possibilita a compreensão de novas territorialidades em processo de reterritorialização do lugar. A paisagem excluída ganha visibilidade na desterritorialização dos acampamentos dos Sem Terra, no Brasil, dos refugiados balcânicos na Itália, dos desempregados africanos, na Espanha, nos acampamentos provisórios dos ruandeses na Tanzânia; dos palestinos, no Líbano; de curdos na Lituânia; dos refugiados sudaneses no Quênia.
1- Explicar o entendimento de território e seu desdobramento em territorialidade, desterritorialidade e reteritorialidade. Exemplificar.
2- Inferir da leitura do texto a relação entre os excluídos na cidade e no campo.
3- Explicar como se dá a exclusão na cidade. Quais as conseqüências dessa segregação no patrimônio arquitetônico, no planejamento urbano e distribuição dos bens sociais públicos.
4- Atividade de Problematização
Considerando a segregação que ocorre no espaço urbano, questione porquê os moradores empobrecidos das favelas e dos bairros populares metropolitanos estão presentes mais freqüentemente nas associações comunitárias de base residencial e religiosa, ao mesmo tempo em que apresentam baixa participação nos sindicatos, associações profissionais e nos partidos políticos.

IX. SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS-- OP—15 7º ano


IX. SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS-- OP—15

Há uma relação estreita entre potencial turístico e regiões onde se localizam sítios arqueológicos, verdadeiros museus a céu aberto. É o caso da Serra da Capivara, um dos destinos mais valorizados do turismo científico-cultural do Brasil. O Museu do Homem, ali instalado, tem contribuído para levantar recursos financeiros que sustentam as pesquisas arqueológicas comandadas pela arqueóloga francesa Niéde Guidon.A maior parte das grutas do norte de Minas contém painéis internos e externos com as cores fortes de pinturas rupestres de aproximadamente 10 mil anos. Só a cidade de Montes Claros, principal pólo do norte mineiro, tem espalhados 61 sítios arqueológicos. O potencial turístico está à espera de empreendedores. O mesmo acontece com a região de Lagoa Santa, na Grande Belo Horizonte. Os primeiros achados arqueológicos datam do século XIX e o pesquisador pioneiro foi Peter Lund, naturalista dinamarquês. É inegável a importância do turismo para a implementação de projetos arqueológicos regionais. Mas não é só isso. Museu e turismo também valorizam as tradições culturais locais, oportunizando na comunidade uma tomada de consciência de sua história, além de elevar sua auto-estima para o importante papel de anfitriã. O Museu Arqueológico de Xingó foi criado para estudar, preservar e divulgar o conhecimento sobre a pré-história do homem brasileiro, especialmente aqueles que viveram na região do baixo São Francisco, desde muito antes da chegada dos portugueses ao Brasil.


QUESTÕES  PROBLEMATIZADORAS:

1-Há vestígios de achados arqueológicos no seu município/região?
2-Seu município tem bens culturais ou naturais tombados pelo Estado?
3-Onde fica o museu do Homem?
4-Cite dois sítios arqueológicos de Minas Gerais.
5-Fale sobre os sítios arqueológicos de Montes Claros?
6-O que é sítio Arqueológico.?